Jornal dos Desportos

Director: Matias Adriano
Director Adjunto: Policarpo da Rosa
Futebol

Palancas com show de golos garantem meias-finais na Cosafa

Policarpo da Rosa enviado especial - 28 de Julho, 2009

Caiu ontem o pano do grupo A dos quartos-de-final, da Taça Cosafa, que decorreu em Maseru.

Angola, justificando o seu estatuto de selecção mundialista, não deu tréguas aos seus adversários e apurou-se para as meias-finais da competição.

Depois de golear na ronda inaugural as Ilhas Maurícias por 5-1, venceu ontem a selecção anfitriã, o Lesotho, por 3-1. Duas vitórias que estavam nas previsões de todos aqui presentes, e foi bom para a organização, que teve na selecção angolana a bandeira destes quartos-de-final.

Com este triunfo, Angola pode chamar para si a organização de uma das meias-finais, como nos garantiu ontem no final do jogo a madame Sue, a chefona da organização.Com este triunfo, os Palancas Negras sobem a sua cotação na zona, mesmo sabendo que os seus adversários (Ilhas Maurícias e Lesotho) não têm qualquer projecção no “ranking” africano.

Contudo, ainda assim foi bom vencer, pois vai aumentar os níveis de confiança da equipa, depois daquilo que foi a prestação no CAN do Egipto.

Mas, e é bom que se diga, nem tudo foi um mar de rosas. Embora os resultados sejam tão desnivelados, a selecção teve de se aplicar a fundo para lograr o seu apuramento para as meias- finais.

No jogo contra as Ilhas Maurícias esteve, inclusive, a perder. Valeu a nossa selecção o acerto de Akwá, que ao marcar três golos aniquilou as ténues esperanças dos mauricianos.

Ontem, contra o Lesotho, apenas na etapa complementar conseguimos impor o nosso futebol, depois de um rigoroso empate nos primeiros 45 minutos, em que jogamos com mais uma unidade a partir do minuto 18. O que conta para a história foram as duas vitórias e a consequente passagem para as meias-finais, etapa onde vamos já encontrar os outros colossos do Continente.

Durante os dois jogos, Oliveira Gonçalves teve a oportunidade de testar várias opções, que lhe poderão valer no futuro. A excepção de Manucho, que apenas desembarcou na noite de sexta-feira, devido a problemas administrativos, Zé Quitongo, que nem sequer viajou, por, segundo soubemos, falta de passaporte, Elisio, Arnald e Sérgio que não foram utilizados sequer um minuto, e ainda Lamá, Oliveira Gonçalves teve a oportunidade de ver em acção todos os restantes jogadores que nunca jogaram pela selecção, sendo que Zé Augusto e Mateus foram os mais utilizados.

De todos eles, o que nos mereceu maiores elogios é Mateus. Para além de ter marcado dois golos, um em cada jogo, deu indicações positivas de que pode lutar por um lugar entre os convocados para o Mundial da Alemanha. A palavra pertence ao técnico Oliveira Gonçalves.

 

FICHA TÉCNICA

Estádio: Setsolo ( Maseru)
Árbitro: Frank Mlangeni (Swazilândia)
Assistentes: M. Gama e S. Nhleko (Swazilândia)
Comissário: Philip Makgalemele (Lesotho).
Lesotho: Khoboli; Mokhele, Mothoana, Seema, Ntobo Pheko, Muso, Ramafole, Shale (cap), Mphongoa e Ranchobe.
Treinador: M. Mohapi
Substituições: Aos 60 e 72´ Muso e Ranchobe foram rendidos por Sesinyi e Moletsane.
Acção disciplinar: Shale, aos 18´ viu a cartolina vermelha por agressão a Jamba,e aos 4´ Ranchobe viu o amarelo.
Angola: João Ricardo; Loco, Lebo Lebo, Jamba e Delgado; Simão, Zé Augusto, Fofana e Zé Kalanga; Akwá (cap) e Mateus.
Treinador: O. Gonçalves.
Substituições: Aos 46, 70 e 80´ Fofana, Mateus e Zé Augusto foram rendidos por Love, Santana e Joãozinho.
Acção disciplinar: Simão viu a cartolina amarela, aos 85´.
Golos: 0-1, aos 46´por Mateus; 0-2, aos 50 por Zé Kalanga; 0-3, aos 60´ novamente por Zé Kalanga; 1-3, aos 90´ por Moletsane.
Ao intervalo: 0-0
Resultado final: 1-3.

 

Mateus espera marcar presença na Alemanha

Estreou-se pela Selecção Nacional da melhor maneira. Marcou dois golos, um em cada jogo, deixando aberta as hipóteses de estar no Campo do Mundo da Alemanha. Falamos de Mateus, o ponta-de-lança que veio do Gil Vicente. Para, estar presente na grande cimeira do futebol mundial é o desejo do jovem formado nas escolas do 1º de Agosto.

- Considero que foi uma experiência positiva, o torneio correu-me bem, marquei dois golos, pelo que melhor estreia não poderia ter acontecido. O treinador deu-me os parabéns, sinónimo de que gostou da minha prestação.
Espera integrar a lista de convocados para o Mundial?

- É o meu sonho. Vou daqui para frente continuar a trabalhar para merecer a confiança do treinador.

Os homens do jogo

Os melhores de cada um dos jogos foram angolanos. Contra as Ilhas Maurícias, Akwá, marcador de três golos, mereceu a primazia. Ontem, na final contra o Lesotho, Zé Kalanga mereceu por votação unânime a coroa de melhor jogador do jogo. cada um recebeu um troféu e 2000.00 rands (cerca de 350 dólares americanos).

Ontem, por exemplo, para além dos golos marcados, um dos quais de grande execução técnica, Zé Kalanga realizou uma excelente exibição.

Já que toca aos outros aspectos nada faltou as quatro selecções, fruto de uma organização impecável, a rondar os 19,5 valores. Tudo a horas e programado. Desde os treinos aos jogos. Tudo funcionou em pleno.