Jornal dos Desportos

Director: Matias Adriano
Director Adjunto: Policarpo da Rosa
Futebol

Palancas prosseguem preparao

Paulo Caculo - 01 de Outubro, 2018

O seleccionador nacional pode incidir a preparao hoje nos exerccios fsicos com e sem bola

Fotografia: Contreiras Pipas | Edies Novembro

Duas sessões de treinos marcam hoje, às 08 e 15 horas, no estádio da Cidadela, o regresso da Selecção Nacional aos trabalhos, na esteira do ciclo de preparação visando o desafio frente à Mauritânia, referente à terceira jornada do grupo I das eliminatórias de qualificação ao Campeonato Africano das Nações, agendado para 2019, no Reino dos Camarões .
Depois da folga cumprida ontem. pelo grupo de trabalhos às ordens de Srdjan Vasiljevic e adjuntos, a sessão de treinos desta manhã e tarde deverá ser uma sequência natural dos ensaios físicos, técnicos e tácticos, realizados desde o início dos trabalhos.
Durante o treino da manhã, o seleccionador nacional pode, seguramente, incidir a preparação nos exercícios físicos com e sem bola, com particular relance para os habituais trabalhos de resistência e velocidade e mudança de rotações.
Já na sessão prevista o período da tarde, Srdjan Vasiljevic pode promover uma preparação totalmente com bola, devendo, nesse aspecto, voltar a insistir nos ensaios de circulação, passe e posse de bola.
Durante a preparação, ainda com o grupo reduzido, tem sido notória a preocupação do seleccionador com a importância dos jogadores valorizarem a posse de bola e o passe, como elos primários de ligação ao jogo, mas sobretudo com a estratégia defensiva, incitando a cultura da pressão ao homem com bola.
Srdjan Vasiljevic está nestes dias (tal como já habituou desde que chegou aos Palancas) bastante interventivo, tendo se colocado várias vezes no centro do relvado, sobretudo nos mini-jogos ensaiados, umas vezes gesticulando em jeito de protesto, outra vezes interrompendo jogadas, para exemplificar como deve ser feito.
Gerson e Job são as duas grandes contrariedades do combinado nacional. Os dois atletas do Petro de Luanda já não regressam ao grupo de trabalho, em virtude de terem sido definitivamente afastados. O guarda-redes padece de dores no ombro, ao passo que o médio ofensivo recupera de uma crise de paludismo.
Srdjan Vasiljevic deve contar com o grupo completo, apenas depois do dia 8 de Outubro, altura em que começam a chegar os profissionais que actuam no exterior do país.
Em relação aos convocados, o seleccionador não deverá fazer mais alterações ou mexidas ao grupo chamado para defrontar o Botswana, na jornada anterior das eliminatórias. A grande expectativa, no entanto, reside em saber se Geraldo, Mano Calesso e Yano, ausentes da anterior convocatória por razões distintas, voltarão a ser convocados.

Palancas
aprimoram
aspectos
técnicos
Os treinos da selecção nacional ao longo da semana finda, foi maioritariamente baseado no aprimoramento das acções defensivas e ofensivas, sendo que o seleccionador Serdan Vasilevic tem sido mais incisivo nas explicações, sobre a sua ideia em relação ao jogo do dia 12, com a Mauritânia, no estádio 11 de Novembro, em Luanda.
Com os atletas disponíveis a darem o melhor de si, visando a partida da 3ª jornada do grupo I, qualificativo ao CAN de 2019, nos Camarões, a disposição e a entrega dos jogadores tem agradado o seleccionador nacional.
A trabalhar apenas com os que militam no país, com excepção de Vá que, até a época passada jogou pelo Leixões da II Liga Portuguesa (é dado como certo no Petro de Luanda para o Girabola2018/2019),  a integração dos convocados que jogam no exterior do país, vai tornar a selecção mais compacta para os objectivos que se pretendem.
Angola ocupa a terceira posição da série, após vitória na ronda anterior diante do Botswana (1-0). O único tento da partida foi anotado por Gelson Dala.
A Mauritânia é o líder com seis pontos, secundada pelo Burkina Faso, também com três. O Botswana ainda não pontuou.

Esta partida, é de certeza, uma oportunidade para os Palancas Negras voltarem a pontuarem e manterem vivo os objectivos traçados, já que neste tipo de competição, os jogos em casa são sempre para vencer e procurar "roubar" um ponto na visita aos adversários.

Adversário  projecta "equipa de peso"

O seleccionador nacional da Mauritânia, Corentin Martins, anuncia, amanhã, a lista dos jogadores, para o inicio da preparação do jogo com os Palancas Negras, previsto para dia 12 deste mês, em Luanda, inserido nas eliminatórias de acesso à fase final do CAN de 2019, a disputar-se nos Camarões.
A Mauritânia, que ocupa o primeiro lugar no Grupo I  (Angola é o segundo), pode voltar a apostar no grosso dos jogadores, que está a realizar a sua eficiente campanha, sobretudo, os profissionais que actuam em diversos países.
O técnico Corentin Martins pode, assim, voltar a confiar no guarda-redes Brahim, nos defesas Abdoul Ba e Aly Abeid, nos médios, Guidileye, Khassa Camara e no atacante Adama Ba, que estiveram mais em destaque nos jogos com o Burkina Faso. No geral podem ser: guarda-redes: Souleimane Brahim (FC Nouadhibou), Boubacar Salahdim (FC Tevragh-Zeïna), Namori Diaw (ASC Kedia).
Defesas: Abdoul BA (AJ Auxerre / França), Bakary N´diaye  (Difaâ Hassani de El Jadida / Marrocos), Saly Sarr (Servette FC / Suíça), Diadié Diarra (CS Sedan Ardenas / França), Abdallahi Mahmoud (Deportivo Alavés / Espanha), Harouna Abou Demba (Grenoble Foot 38 / França), Ousmane Samba (Joana d'Arc de Drancy / França), Aly Abeid (Espanhol / Espanha), Abdelkader Thiam (EUA Orleans ).
Para o sector intermédio as escolhas podem recair em Hassen El Id (Real Valladolid / Espanha), Khassa Camara (AO Xanthi / Grécia), Mohamed Dellah Yali (FC Tevragh-Zeinna/Grécia), Dialo Guidiléye, Abdoulaye Silèye Gaye (FC Nouadhibou), Lejouade Mohamed (ASC Tidjikja)
Os avançados mais  citados a convocar são: Adama Ba (Giresunspor Kulubu / Turquia), Ismael Daakite (Tataouine dos EUA / Tunísia), Mamadou Niass (Salam Zgharta / Líbano), Khalil Moulaye Ahmed Bessam (AS Gabes / Tunísia), Babacar Baguili (CS Hammam Lif / Tunísia), Abdallahi Soudani (AS Gabès / Tunísia).
A Mauritânia vai defrontar Angola a 12 e 16 deste mês, numa altura em que ascendeu três lugares no ranking da FIFA. Ocupa actualmente a 103ª posição em vez da anterior 106ª, permanecendo, assim, à beira das 100 melhores selecções do mundo. Um ranking melhorado pelo recente desempenho contra o Burkina Faso em Nouakchott (2-0), como parte das eliminatórias para a próxima Taça das Africana de Nações. António Felix