Jornal dos Desportos

Director: Matias Adriano
Director Adjunto: Policarpo da Rosa
Futebol

Percurso aceitvel da Seleco Nacional

Paulo Caculo - 31 de Dezembro, 2018

Melhores exibies da Seleco Nacional foram protagonizadas nos jogos disputados no presente ano

O ano que se apressa a esfumar-se, teve o cunho de testemunhar uma fase positiva da Selecção Nacional de Futebol de Honras, na eliminatória de qualificação à próxima Taça das Nações Africanas (CAN), agendada entre 15 de Junho e 13 de Julho de 2019, provavelmente no Egipto, ou na África do Sul.
Desde que  os Palancas Negras assumiram o compromisso de discutir com os demais candidatos do seu grupo (I), o acesso à maior competição de selecções do continente, cedo deixaram transparecer a ideia de que estavam na eliminatória para justificarem os seus objectivos. 
Apesar de transmitir confiança aos adeptos, nem por isso a estreia na eliminatória revelou-se positiva para a \"equipa de todos nós\", a derrota (1-3) averbada na deslocação a Ouagadougou, Burkina Faso, foi a mancha que  ensombrou a exibição até muito bem conseguida. O jogo que se disputou em Junho de 2017, deve realçar o golo de honra rubricado por Gelson Dala, no estádio 4 de Agosto.
 Dois meses depois, a Selecção Nacional, ainda sob comando do técnico brasileiro Beto Bianchi, estava pronta a redimir-se da inesperada derrota sofrida na jornada inaugural da eliminatória. Diante do Botswana, no Estádio 11 de Novembro, o golo solitário de Gelson Dala bastou a Angola para somar os primeiros três pontos, na campanha rumo ao CAN.
Após o embate com os tswaneses, muita coisa alterou na estrutura da selecção. O Seleccionador Nacional \"pressionado\" pôs o lugar à disposição. A direcção da FAF, de imediato, contratou Srdjan Vasiljevic, facto que resultou, também, na chegada de novas referências à equipa nacional.
 Em Outubro, melhor estreia não podia esperar-se do sérvio. Ante a selecção da Mauritânia, no Estádio 11 de Novembro, os Palancas Negras acabaram por despachar os mauritanianos, por contundentes 4-1. Mais do que vencer, a Selecção Nacional, soube, inclusive, aliar o resultado à exibição.
Ainda longe de carimbar a qualificação, o combinado nacional precisava de repetir a dose vitoriosa, em casa da Mauritânia. Entretanto, contra todas às expectativas e numa deslocação marcada por sinais evidentes de \"anti-jogo\", a Selecção Nacional acabou por perder (0-1), pela margem mínima. O jogo ficou, igualmente manchado, pela arbitragem parcial do juíz. 
A derrota frente a Mauritânia, obrigou Angola a alterar a forma de encarar a eliminatória, olhou para as jornadas seguintes, como se de autênticas finais se tratassem. Na verdade, a adopção de tal postura, começou a surtir os efeitos desejados. Como prova disso, foi com naturalidade que em Novembro, na recepção ao Burkina Faso, regressou às vitórias, com golos de Mateus Galiano. 
O triunfo devolveu total esperanças aos angolanos, na qualificação ao CAN, na medida em que deixou-os à distância de três pontos. Ou seja, em Março de 2019, Angola vai precisar de ganhar, obrigatoriamente, ao Botswana, em casa deste, para assegurar a presença na competição continental. 
Para chegar ao CAN, é necessário vencer o Botswana, em Gaberone. É uma tarefa complicada, exigente, sobre todos os pontos de vista e que requer de Angola uma actuação quase perfeita, com eficácia no ataque e solidez na defesa. 
A pergunta que se coloca, é saber se o combinado nacional  vai continuar a justificar a força colectiva e a solidez competitiva, para merecer a qualificação. Apenas a vitória interessa, sob pena de hipotecar o tão desejado sonho de regressarmos ao CAN, pela oitava vez. Em suma, o próximo ano vai ser de decisões!

Galiano regista ano
de ouro nos Palancas


No seu regresso aos Palancas Negras, o ano 2018 foi um ano de graça, para o jogador Mateus Galiano. O atacante é o principal "abono de família" da Selecção Nacional de honras, nesta campanha de qualificação para o Campeonato Africano das Nações (CAN) de 2019, nos Camarões.
O avançado regista  quatro golos rubricados, foi decisivo em dois desafios importantes neste percurso da selecção rumo à Taça das Nações, ao fazer um bis, nomeadamente, no jogo com a Mauritânia, na terceira jornada, e frente ao Burkina Faso, na quinta ronda.
 Como os números não mentem e ajudam a dissipar dúvidas, Mateus Galiano protagoniza o seu melhor registo ao serviço dos Palancas Negras, é dos principais "esteios" do ataque do combinado nacional, às ordens do sérvio Srdjan Vasiljevic.
No cômputo geral, Angola marcou oito golos, nesta fase qualificativa,  quatro foram assinados por Galiano, três rubricados por Gelson Dala e um por Djalma Campos.