Jornal dos Desportos

Director: Matias Adriano
Director Adjunto: Policarpo da Rosa
Futebol

Petro de Luanda e 1 de Agosto encaixam 550 mil dlares

Paulo Caculo - 03 de Outubro, 2019

Militares e tricolores com ganhos pela presena na fase de grupos da competio milionria de clubes j

Fotografia: Jornal dos Desportos

A entrada na fase de grupos da Liga dos Campeões Africanos, permitiu ao Petro de Luanda e ao 1º de Agosto "engordar" as respectivas contas bancárias de forma significativa. Os dois maiores emblemas do futebol nacional embolsaram, cada um, a quantia de USD 550.000, 00 (Quinhentos e Cinquenta Mil Dólares).
 A receita angariada pelos "embaixadores" angolanos na Champions pode crescer, ainda mais, caso sejam capazes de manter a senda dos triunfos. Ou seja, por cada vitória  durante a disputa da fase de grupos, Petro e 1º de Agosto devem encaixar 100 mil dólares, ao passo que em caso de empate, embolsam metade deste valor.
O "ataque" aos milhões da Liga dos Campeões Africanos, pode render muito mais aos cofres de ambos os clubes, se atingirem à final da competição.
Uma eventual presença nos quartos-de-final, permitiria a Petro e 1º de Agosto embolsar, ambos, 650 mil dólares cada. Já em caso de qualificação à meia-final, o feito significaria o encaixe de 800 mil cada, ao passo que a presença na final valeria um prémio de um milhão e 250 mil. Em caso de conquista do título, os clubes angolanos ganhariam uma receita de dois milhões e 500 mil dólares.
O facto é que a nova tabela de prémios, recentemente divulgada pela CAF, tornou a competição milionária muito mais atractiva e interessante, do que há dois anos. O aumento das cifras, resultou da assinatura de um novo contrato de patrocínio com a empresa francesa de petróleo TOTAL, válido para oito anos, supostamente avaliada em mais de um bilião de dólares.
O 1º de Agosto já teve a oportunidade de gozar deste novo modelo de premiação da CAF, quando em 2018, na sua última presença na fase de grupos da Liga milionária de clubes, chegou à meia-final da prova, tendo sido eliminado pelo Esperance de Tunis, num jogo de triste memória. Nessa altura, os campeões angolanos embolsaram 650 mil dólares americanos.
A boa recompensa financeira amealhada pelos militares na anterior participação na competição africana, deverá continuar a servir de motivação para a busca dos próximos louros, de formas a enriquecer a conta bancária e alargar o leque de aquisições para o plantel, tendo em vista o alcance de objectivos cada vez mais ambiciosos. 
Para a presente disputa das competições africanas de clubes (Liga dos Campeões e Taça da Confederação) a CAF colocou à disposição quatro milhões e 500 mil dólares, contra os três milhões oferecidos em 2016.
Há três anos, o vencedor da “Champions” recebia apenas 950 mil dólares, o finalista vencido levava para casa 665 mil, enquanto o semi-finalista recebia 427.500 mil dólares.
Contudo, o dinheiro disponibilizado pela CAF aos clubes africanos, ainda pode ser considerada uma "gota no oceano", se comparado com a quantia oferecida pela UEFA. O finalista vencido da UEFA “Champions League” recebe três milhões e 800 mil euros.
O campeão tem um prémio no valor de seis milhões e 400 mil euros, enquanto quem não se qualifica para a Champions ou a Taça UEFA recebe 160 mil euros, um valor aproximado ao do finalista vencida da Taça da Confederação, prova africana, cujo troféu chama-se Nelson Mandela.
Um dos pressupostos que está na base desta diferença de dinheiro, prende-se com o valor que os canais de televisão pagam para transmitir os jogos da UEFA Champions League e a Liga de Clubes Campeões Africanos, a par dos patrocinadores.
O sorteio da fase de grupos da 'Champions League' de África realiza-se no próximo dia 9 de Outubro, na cidade do Cairo, Egipto. Os favoritos ao título desta temporada são os "suspeitos de sempre", nomeadamente Al Ahly do Egipto, TP Mazembe da RDC e o Esperance de Tunis da Tunísia, campeão em título.