Jornal dos Desportos

Director: Matias Adriano
Director Adjunto: Policarpo da Rosa
Futebol

Petro em vantagem est proibido de adormecer

Betumeleano Ferro - 20 de Dezembro, 2018

Petro de Luanda defronta no 11 de Novembro o AS Nyuki do Congo Democrtico para segunda mo da penltima eliminatria

Fotografia: Contreiras Pipas | Edies Novembro

O magro um a zero coloca, na teoria, o Petro de Luanda na fase seguinte da Taça da Confederação, mas amanhã, a partir das 16h00, no estádio 11 de Novembro, vai faltar a prática, ou seja, os tricolores têm de confirmar o ascendente do jogo anterior para deixar para trás o ignoto AS Nyuki do Congo Democrático. A exigência é fácil de cumprir, mas vai exigir atitude competitiva para que o plantel às ordens de Beto Bianchi  não morra na praia, como já aconteceu várias vezes.
A bola está do lado do adversário, é verdade, mas esse tipo de pensamento pode ser fatal demais para as aspirações do embaixador angolano, o toma lá dá cá pode acontecer também em Luanda, se o Petro foi vencer no reduto alheio é porque o Nyuki pode fazer o mesmo aqui. Os tricolores têm de entrar motivados para fazerem com competência a sua parte, não podem relaxar em nenhum momento, porque a parte mais importante da eliminatória é disputada amanhã.
O jogo tem carácter decisório para as duas equipas, claro que o Petro de Luanda deu um passo em frente e se colocou em posição bem privilegiada para continuar em prova, agora só falta confirmar, sem a obrigação de vencer, que a outra fase está mesmo garantida.
A magreza do resultado impede os tricolores de pensar em gestão, ou melhor, a única gestão a que têm de estar atentos é a da posse de bola para conseguir, se necessário for, acertar mais vezes na baliza adversária. É verdade que o Petro de Luanda não está sob obrigação de marcar para se apurar, mas quantos mais golos conseguir melhor, mas de preferência que aconteça sempre antes do Nyuki, pois não correr atrás do prejuízo tem de ser o lema da equipa angolana.
Os adeptos tricolores estão mais activos esta temporada, estão a cobrar muito mais, pelo que Beto Bianchi e pupilos têm de fazer pela vida, para não dar motivos de queixa aos que estiverem nas bancadas. Correr o risco de lidar contra dois adversários não é uma experiência nada agradável, por isso os tricolores têm de se mostrar cedo em campo, para não serem manietados pelo oponente.
A precisar de, no mínimo, devolver o 1-0, o Nyuki está em Luanda disposto a tudo, é ponto assente que não vai ficar na sua literal zona de conforto, porque isso significaria entregar a eliminatória sem oferecer o mínimo de luta. A equipa do Congo Democrático sabe que não precisa de um milagre, assim é normal que se estique em demasia no 11 de Novembro para aplicar, nem que seja a dose mínima, para depois tentar resolver na lotaria dos penáltis.
O AS Nyuki está longe de chegar ao patamar dos cartões de visita que vêm do seu país e que sempre arrastaram muitos adeptos, angolanos inclusive, para os nossos estádios. Ainda assim, dá para concluir que está na Taça da Confederação com os seus próprios pés, pode não ter a experiência africana do Petro de Luanda, mas pode fazer estragos, se tiver oportunidades.
A obrigação de ganhar está mais para o lado do Nyuki, mas isso de modo algum significa que o Petro de Luanda vai adoptar uma atitude de espera, deixar que o adversário tome conta do jogo pode ser muito prejudicial para os tricolores, afinal, quantos menos motivos de esperança os forasteiros tiverem, menos motivados vão estar para discutir a eliminatória, a inversa também é verdadeira, motivo por que o Petro tem de ser irrepreensível em tudo.
O Petro de Luanda sabe por que é o único representante angolano nas afrotaças, agora o Nyuki veio a Luanda para testar a prontidão tricolor. Vai ser interessante prestar atenção ao desempenho tricolor durante os 90 minutos, porque vai evidenciar se colocou as barbas de molho, depois do inesperado que pós o rival 1º de Agosto fora das afrotaças.

LANÇAMENTO DO JOGO
Bianchi fala hoje à imprensa

O treinador do Petro de Luanda, Beto Bianchi, anuncia hoje de manhã, em conferência de imprensa no Complexo do Catetão, o \"onze\" inicial, para o jogo de amanhã, às 16h00, no estádio 11 de Novembro, diante do AS Nyuki, da Republica Democrática do Congo, a contar para segunda mão da penúltima eliminatória de acesso à fase de grupos da Taça da Confederação.
Depois da importante vitória de uma bola a zero no jogo da primeira mão, em Kinshasa, a equipa tricolor trabalha com a maior preocupação no meio campo e no sector defensivo, pois jogadores como Além e Herenilson foram muito explorados nos treinos, tudo indica que Beto Bianchi não quer sofrer golo na eliminatória contra os congoleses.
Os adeptos afluíram em massa ao Catetão para ver a sessão de treino de ontem, realizado à porta fechada. Contudo, o JD apurou que o hispano-brasileiro trabalhou  alguns pormenores  básicos, como cruzamentos de bolas paradas e tácticas de saída de acções ofensivas e defensivas, para o alinhamento seguro do esquema táctico do jogo.
Os jogadores do meio campo, foram explorados bastantes durante o treino de ontem, porque, como avançou o treinador brasileiro, precisam trabalhar muito para construção do meio campo e alguns esquemas de contra-ataque. Tony e Tiago Azulão, com tamanha responsabilidade no ataque petrolífero, trabalharam separados do grupo, aprimorando alguns aspectos ofensivos.
A equipa de arbitragem, provenientes de Moçambique, é composta pelos juízes Celso Armindo Alvação (principal), Olívio Adriano Salmone (1º assistente) e Arsénio Chadreck Maringula (2º assistentes) e Zefanias Chijamela (4º árbitro).
O Comissário ao jogo é Arlindo Carneiro Rodrigues, da Republica de São Tomé e Príncipe.
A equipa do AS Nyuki chegou ontem à noite à cidade de Luanda e hoje, às 16h00, faz o treino de reconhecimento no relvado do estádio 11 de Novembro, palco do desafio de amanhã.  
Edvaldo Lemos