Jornal dos Desportos

Director: Matias Adriano
Director Adjunto: Policarpo da Rosa
Futebol

PR felicita qualificao de Angola ao campeonato do Mundial

Valdia Kambata - 22 de Abril, 2019

Fotografia: Edies Novembro

O Presidente da República, João Lourenço, felicitou neste domingo, em Luanda, a selecção de futebol em sub-17 pela qualificação ao Campeonato do Mundo este ano no Brasil. Na sua página no instagram, o Chefe de Estado escreveu: “Nesta hora em que Angola vibra com o apuramento da selecção de futebol de sub-17 para o mundial do Brasil, felicito os bravos rapazes pela conquista, augurando sucesso nas próximas empreitadas”.

A selecção nacional em sub-17 obteve o feito inédito para o país ao qualificar-se sábado para as meias-finais do campeonto africano que decorre em Dar-es-Salaam, com vitória sobre a anfitriã Tanzânia, por 4-2, no fecho da fase de grupos.

O Campeonato do Mundo da categoria disputa-se em Outubro próximo, no Brasil.Até então Angola só havia participado no Campeonato do Mundo em honras (Alemanha2006) e em sub-20 (Argentina2001).

Enquanto isso, o seleccionador nacional de futebol de Sub-17, Pedro Gonçalves, garantiu que a qualificação de Angola ao Mundial da categoria, a decorrer de 17 de Setembro a 8 de Outubro próximos no Brasil, é fruto do árduo trabalho realizado desde o ano passado.

“Este é um processo que já leva um ano de desenvolvimento e maturação daquilo que somos  hoje como equipa e que neste momento produziu esse efeito, que é a participação da selecção de Angola num Campeonato do Mundo em Sub-17”, começou por dizer o técnico em entrevista ao nosso jornal, via internet, após a vitória, sábado, sobre a Tanzânia.

O triunfo sobre a similar tanzaniana, no jogo referente a terceira e última jornada do Grupo A da Campeonato Africano das Nações (CAN), que se disputa em Dar-es-Salam, teve um sabor especial para o técnico português Pedro Gonçalves.

E isto, porque no dia 20 de Abril de 2018 foi designado, empossado e apresentado no cargo de seleccionador de Angola de Sub-17 e, curiosamente, um ano depois e numa data coincidente, teve a honra de orientar o conjunto no jogo histórico, que lhe permitiu, pela primeira vez, carimbar o passaporte para um Campeonato do Mundo.

“No início sabíamos que, das exigências a nível competitivo, seria muito difícil, até porque  se mudou a forma de qualificação e tínhamos que participar na Taça COSAFA, para então nos qualificarmos para o CAN. Não foi fácil mas conseguimos”, disse.

Quanto  ao próximo jogo, que será diante dos Camarões, considera bastante difícil, a julgar pelo porte físico dos jogadores da equipa adversária.

“A selecção dos Camarões é extremamente forte do ponto de vista físico. Conta com jogadores com uma maturidade física, pouco comum para esta idade, e que se fazem valer sobretudo por isso. Vamos procurar soluções para superar esse aspecto, que no fundo representa a mais-valia desta selecção. Procuraremos bater-nos com dignidade e, acima de tudo, jogar de forma descontraída, já que o nosso principal objectivo  já está cumprido”, disse.

O responsável técnico dos  Palanquinhas garante, por outro lado, que a equipa está pronta  para fazer um bom jogo,  tendo em vista a final da competição. “Estamos motivados , pois é uma oportunidade  que temos para chegar a final de uma competição como o CAN”, salientou .    

Por outro lado, o técnico agradeceu a todos que fizeram parte desta conquista , com particular destaque para os técnicos de formação. “Os meus parabéns e gratidão a todos os que fazem o futebol em Angola, em especial aos jogadores, aos que aqui estão, aos que fizeram parte deste percurso, mas que aqui não estão e aos que dia-a-dia se esforçam, com uma dedicação estrema, para alcançar este patamar”, assegurou ainda na entrevista concedida ao Jornal dos Desportos.

O técnico da Selecção Nacional de Sub-17 revela, ainda, que o êxito que o conjunto atinge neste CAN, que decorre em Dar-es-Salam, representa uma vitória de todos os que trabalham nos clubes de bairros, provinciais, nos de grandes referência, nas Associações Provinciais e na Federação Angolana de Futebol. 

DAR-ES-SALAM
Zito Luvumbo brilha na prova
Zito André Sebastião Luvumbo ou simplesmente “Zito”, é a principal referência  no combinado nacional de Sub-17. O atleta tem merecido vários elogios, por parte da imprensa que acompanha esta edição do Campeonato Africano das Nações (CAN), que se disputa na Tanzânia, e sendo destacado como dos melhores da competição.
Por isso, o atleta angolano está ser seguido por vários olheiros. A imprensa inglesa garante, que  Zito está sob os radares do Benfica, muito por obra da sua prestação nesta prova, que se estende até dia 28 deste mês. O atleta já esteve à experiência no Manchester United e terá deixado impressionados muitos olheiros de clubes europeus. 
Mimo, aos 15 minutos, David (68\') e Capita por duas vezes (40 ' e 72') marcaram os golos de Angola, ao passo que Mary, aos 7', e Pius John (42\') os da equipa anfitriã. 
Pela qualificação do conjunto ao Mundial, houve várias mensagens a exaltar o feito, particularmente do Presidente da República, João Lourenço, que destacou a conquista, “augurando êxitos” nas próximas fases, em que a Selecção estiver engajada. Numa nota, o MPLA manifesta-se, de que se orgulha do feito e sublinha que “com dedicação, empenho e determinação, estes jovens poderão trazer ainda muita alegria para o país”. A ministra da Juventude e Desportos, Ana Paula do Sacramento Neto, enalteceu igualmente o feito. Recorde-se que, nas meias-finais, Angola vai defrontar os Camarões.                             
 CRENÇA
Atleta do D 'Agosto sonha com a final

O atacante do 1º de Agosto, ao serviço da Selecção Nacional de Sub-17, que se encontra a disputar o Campeonato Africano das Nações da categoria na Tanzânia, Zito Luvumbo, disse em curta entrevista ao site Cafonline, que depois de alcançar o essencial, que foi o apuramento para ao Mundial, a meta agora está virada para a final do torneio.
Interrogado sobre quais eram as suas ambições pessoais no CAN de Sub-17, o jogador revelou que o essencial era trabalhar para o colectivo e conseguir a qualificação para o Campeonato do Mundo, em detrimento de questões individuais.
“Francamente nenhuma, o mais importante é o colectivo, conseguir qualificar nossa selecção para a Campeonato do Mundo é minha ambição. Estou mais interessado em marcar metas, que possam ajudar a alcançar esse objectivo do que em visar ambições pessoais, que devem vir depois”, respondeu o atleta do clube militar.
Quanto às expectativas sobre este CAN, Zito revelou que esperava por um torneio deste nível, razão pela qual não está desapontado com o que tem estado a viver na prova. “Claro que antes eu já esperava por um torneio de um nível muito bom e não estou desapontado. É realmente uma grande competição e o objectivo é sempre ir até à final, porque temos equipa e tempo para fazer isso”, acrescentou.                       AUGUSTO PANZO

FEITO INÉDITO
Vitória que sabe à Terra do Samba

Uma vitória com sabor redobrado. É efectivamente isso que se pode caracterizar do triunfo, no último sábado, da Selecção Nacional de Futebol de Sub-17, sobre a similar da Tanzânia, por 4-2, na capital desse país, Dar-es-Salam, e válido para a terceira e última jornada da fase inicial da Taça Africana das Nações da categoria.
Angola, que já havia dado um sério aviso à concorrência com a conquista em 2018, em Belle Vue, Ilhas Maurícias, da Taça COSAFA com a equipa nacional de Sub-17, junta agora o útil agradável com a qualificação às meias-finais desta grande cimeira do futebol continental e, simultaneamente, para o Mundial deste ano no Brasil.
É verdade. Com duas vitórias e uma derrota, a Selecção Nacional de Sub-17 logrou esse feito inédito no seu historial. O conjunto, às ordens do português Pedro Gonçalves, começou com um triunfo, na ronda inaugural do Grupo A, sobre a congénere do Uganda, por 1-0, depois perdeu para a campeã Mundial, Nigéria, na segunda pelo mesmo resultado. Já no sábado, como se referiu atrás, fez o que lhe competia, batendo a equipa da casa por 4-2, num duelo que além de garantir a qualificação às semi-finais deste Campeonato Africano das Nações (CAN) de Sub-17, carimbou, em antecipação, o passe para o Mundial deste ano. Daí, a vitória sobre a Tanzânia teve já sabor à Terra do Samba.
O combinado nacional bateu-se, desse modo, com dignidade perante os adversários que cruzaram o seu caminho na primeira etapa deste CAN, que decorre em Dar-es-Salam.
Aliás, mesmo na derrota diante dos nigerianos, os pupilos de Pedro Gonçalves evidenciaram grande postura, dando uma excelente réplica aos oponentes e vai, daí, que pelo que ocorreu durante os minutos regulamentares do desafio o empate seria o resultado mais justo. Apesar disso, o conjunto manteve atitude até o fecho desta fase. Por isso mesmo, a vitória de 4-2 sobre a Tanzânia, acabou por se transfigurar como corolário daquilo que foi eficiência patenteada pela equipa nacional nesta primeira fase, em que soube alicerçar a conquista destes dois feitos inéditos: qualificação às meias-finais de um CAN de Sub-17 e, concomitantemente, de um Mundial da categoria. 
O próximo adversário de Angola é o Camarões, um conjunto igualmente rotulado como dos mais bem cotados do futebol continental e que garantiu paralelamente a qualificação para as meias-finais de prova, que decorre em Dar-es-Salam e para o Mundial do Brasil, fruto da primeira posição ocupada no Grupo B. Ainda assim, os Palanquinhas vão procurar provar que não chegaram a esta etapa da competição por mero acaso.
Nesta etapa não se esperam facilidades, para quem quer que seja. Tal como os Camarões, Angola também pode assumir as despesas do jogo das semi-finais. Chegados a esta fase, quer um conjunto, quer outro, vai tentar provar o que vale futebolisticamente. Espera-se, efectivamente, que após a disputa das meias-finais, que siga em frente o conjunto que melhor aproveitar as oportunidades que criar e oxalá que este seja, de facto, Angola, que nesta quarta “aventura” num CAN da categoria, justifica a evolução que vem patenteando no seu futebol. A conquista da COSAFA em 2018 prova isso. 
 O próximo passo pode ser a final, facto que, a acontecer, seria «ouro sobre o azul» na carreira destes bravos rapazes, que tentarão honrar também o nome e a Bandeira Nacional, quando desfilarem no Mundial do Brasil. Força Angola e a ver vamos!!!...  SÉRGIO V. DIAS