Jornal dos Desportos

Director: Matias Adriano
Director Adjunto: Policarpo da Rosa
Futebol

Presidente nega falta de salários

J?lio Gaiano-Lobito - 08 de Fevereiro, 2017

António Jamba descarta que a direcção tenha qualquer pendente com atletas que deixaram o clube

Fotografia: Kindala Manuel

O presidente do Progresso da Lunda Sul, António Jamba, considerou infundadas e eivadas de irresponsabilidade as reivindicações apresentadas pelos atletas que abandonaram o clube, por alegada falta de pagamento de salários e de prémios de jogo, por parte da sua direcção. O dirigente acusou o técnico Kito Ribeiro, como parte do problema instalado no processo que ditou a saída de muitos atletas do clube, quando muitos deles ainda tinham contratos e deviam aguardar o término da época.

"Há muita mentira nisso. As coisas devem ser ditas como tal, pois foram eles os infractores, e agora pretendem passar por vítimas. Estamos atentos e não vamos aceitar truques de quem quer que seja. Repare, que antes mesmo de terminar o vínculo contratual que os ligavam ao Progresso da Lunda Sul, assinaram contratos noutros clubes, o que à luz dos regulamentos não é aconselhável.

Em jeito de recado afirmou, que os atletas não honraram os compromissos que tinham com a formação lunda, por isso, deviam repensar antes de fazer qualquer pronunciamento. "No mínimo, deviam ter vergonha e calar pela falta de honestidade que cometeram contra quem os acolheu nos momentos em que mais precisavam", lamentou.

O homem-forte do Progresso da Lunda Sul jurou de pés juntos que a sua direcção não deve salário a ninguém, pelo que promete manter a  posição de não pagar um cêntimo sequer aos "queixosos", já que abandonaram o clube à revelia, e devem pagar por isso. Todavia, promete pagar o prémio do jogo em falta a todos, desde que estejam livres de qualquer vício funcional.

"Estamos a trabalhar, no sentido de pagar o prémio de jogo referente ao Kabuscorp do Palanca. É uma dívida que nos comprometemos saldar, e nos livrarmos de todas as querelas, o resto não temos nada a ver", esclareceu António Jamba. O dirigente admitiu, não obstante muitos destes atletas o vínculo que os ligava ao clube terminar em Dezembro, estes deviam dar qualquer satisfação à direcção, e não agir no silêncio, assumindo compromissos com outras agremiações.

"São eles que devem reparar o erro que cometeram contra o nosso clube, ao romper unilateralmente o contrato que os ligava até Dezembro passado, e rumaram para outras agremiações, sem no mínimo nos informar sobre o assunto", frisou.

Direcção acusa
Kito Ribeiro


António Jamba acusou o técnico Kito Ribeiro de má-fé, e lamenta a forma como este tratou o processo da sua saída para o Progresso Associação do Sambizanga. Na sua óptica, o técnico podia ser mais comedido e sério, na abordagem do assunto. Confessa, que a transferência do treinador para o seu novo clube, soube através dos órgãos da comunicação social, e a sua direcção não foi tida nem achada nesse todo  processo, quando este tinha contrato até ao final do ano.

"O técnico tinha um contrato válido por três anos, e só devia terminar no dia 31 de Dezembro. Infelizmente, deu-se de esperto e ludibriou-nos a todos, e assinou para um outro clube", recordou a dignidade e o respeito pelos pessoas, que é um valor que devemos todos primar. "Somos adultos, e como profissionais é lícito que se respeitam os deveres e as obrigações que nos liguem a determinadas entidades.

Por isso, não faz sentido passar por situações como estas, que colocam em causa a dignidade e o respeitos das pessoas, que se julgam sérias e responsáveis", lembrou. O Jornal dos Desportos soube do presidente do Progresso da Lunda Sul, que dos atletas implicados na "confusão" com a direcção do clube, sobressaem os nomes de Diogo, transferido para o 1º de Agosto; René e Norberto que seguiram o técnico Kito Ribeiro para o Progresso do Sambizanga.

ESTÁGIO
Direcção satisfeita com resultados


A prestação da equipa do Progresso da Lunda Sul,  no estágio realizado em Benguela para a época 2017, deixou a direcção do clube satisfeita e confiante numa campanha tranquila no campeonato nacional, e augura uma prestação airosa na Taça de Angola.

"Os trabalhos realizados na província de Benguela foram muito proveitosos. A equipa técnica tirou as devidas ilações, e tem ideia daquilo que vai ser o plantel para o Girabola Zap e a Taça de Angola. Perdemos alguns jogadores, mas mantivemos a nossa estrutura desportiva, que nos garante resultados positivos", destacou.

Antevê uma época competitiva, para todos os contendores. "Advinha-se uma empreitada difícil e complexa, a julgar pelo nível e pela qualidade das equipas que vão competir na prova. Ainda assim, estamos preparados para o que dêr e vier, daí a razão da escolha do local para o estágio da pré-época", precisou.

O presidente do Progresso da Lunda Sul considerou irrelevantes os resultados obtidos nos jogos amistosos, já que os mesmos serviram para testar a mobilidade dos jogadores, e incuti-los a cultura de inter-ajuda e espírito de sacrifício que vão ter de enfrentar ao longo do ano, e consolidar a quarta posição alcançada em 2016.

"A equipa está boa do ponto de vista anímico e atlético. Deu para ver isto mesmo nos jogos que realizaram, com equipas da I e II divisões aqui (Benguela), e em Luanda. Denotou-se disciplina táctica e muita qualidade técnica dos jogadores, o que nos agrada bastante", sublinhou. "Jogámos contra equipas de níveis do Girabola, do provincial local, e qualquer uma delas deram a réplica necessária, e mais do que isso, valorizamos  o trabalho programado pelo técnico, em função daquilo que constitui a realidade do clube", comentou.

Ao longo da pré-época, o Progresso da Lunda Sul realizou nove jogos de controlo, venceu seis, diante da Académica do Lobito, por 4-1, Flamingos da Caponte (3-0); do Recreativo do Liro (5-2); do Misto de Jogadores Oriundos da RD Congo (4-0 e 3-0) e Misto de Jogadores Federados e Radicados em Luanda (2-1). Dois empates, frente ao Recreativo da Caála e dos Flamingos da Caponte, por 1-1. A única derrota que consentiu na pré-temporada foi diante do 1º de Maio de Benguela, por 0-1.

O presidente António Jamba fez votos que os resultados se reflictam naquilo que a equipa técnica, a direcção, e massa associativa esperam dos jogadores no Girabola Zap. Na sua óptica, o essencial foi alcançado para manter os níveis competitivos. A comitiva deixou a cidade ferroportuária, de regresso à procedência (Lunda Sul) na madrugada de segunda-feira. Um jogo, para a apresentação do plantel aos associados, pode acontecer ainda no decurso desta semana, no Estádio das Mangueirinhas. Para a referida festa, a direcção pretende convidar uma equipa local.

No jogo de estreia do campeonato nacional, o Progresso da Lunda Sul desloca-se à vizinha província do Moxico, para defrontar o FC Bravos do Maquis. O desafio tem lugar no domingo dia 12, no Estádio municipal comandante Jones Kufuna Yembe "Mundunduleno". A ideia é começar a prova a vencer, que traduz o desejo manifestado pelo presidente António Jamba.