Jornal dos Desportos

Director: Matias Adriano
Director Adjunto: Policarpo da Rosa
Futebol

Progresso da Lunda Sul fica um ano sem competir

Betumeleano ferrao - 23 de Novembro, 2017

Progresso da Lunda vai cumprir um ano de suspenso na prxima temporada, pelo que vai ter de aguardar at 2018

Fotografia: Jornal dos Desportos

O Progresso da Lunda vai cumprir um ano de suspensão na próxima temporada, pelo que vai ter de aguardar até 2018 para voltar a disputar até o seu provincial, revelou ontem em conferência de imprensa José Carlos, presidente do Conselho de Disciplina da FAF. \"As consequências não param por aqui, outras mais estão previstas, dentre eles está essa de ficar impedido de competir por um ano\", anunciou.
A FAF não sabe em que base as pessoas afectas ao Progresso fazem previsões de voltar ao campeonato em 2019, mas deixou bem claro que esse é um objectivo impossível de ser atingido.
\"A nossa norma diz que quem incorre nesse tipo de sanção fica mais uma época sem poder jogar em nenhuma prova porque está suspenso, então não têm como estar no Girabola em 2019\", alertou.
Antes de tornar pública a desqualificação e consequente descida de divisão do Progresso, a FAF permitiu na manhã do mesmo dia que António Jamba, presidente do clube, consultasse os seus regulamentos.
\"Isso foi antes de fazer sair o comunicado, ele se deslocou até aqui na nossa sede para consultar o regulamento, o que nos resta dizer agora é que tudo isso só está a acontecer porque aconteceu numa das 3 últimas jornadas do campeonato, por ser uma prova de pontos a lei prevê esse tipo de medidas, se ocorresse antes a sanção também seria diferente\", esclareceu.
O Progresso da Lunda Sul passou por algumas turbulências internas, esse é um dos motivos por que o presidente do Conselho de Disciplina levanta a hipótese de o clube ter ficado privado de pessoas que dominavam tudo relacionado com os regulamentos.
\"Não quero meter a minha foice em seara alheia, mas não nos podemos esquecer que houve um problema sério no departamento de futebol quase na recta final da época, é capaz de ter influenciado\", afirmou.

COERÊNCIA
FAF aconselha clube “lunda” a assumir a sua culpa

A Federação Angolana de Futebol aconselhou a direcção do Progresso da Lunda Sul a aceitar que é o único culpado pela sua descida de divisão.
 "Não entendemos que o que está a acontecer agora é que o clube não quer aceitar a sua responsabilidade em todo esse processo, o que queremos é que a direcção do Progresso tenha coragem de assumir o seu erro", lamentou José Carlos, presidente do Conselho de Disciplina.
A federação diz ter agido com base na lei, mas nota que o Progresso da Lunda insiste em alegar que tem motivos de queixa, mas sem apresentar provas para sustentar a aparente injustiça.
"Para nós esse caso está completamente encerrado, mas achamos por bem hoje (ontem) dissipar algumas dúvida nesse diferendo, usando a terminologia que eles estão a usar, para reafirmar em definitivo que para nós está esclarecido, o regulamento de competições é claro", afirmou José Carlos. O presidente do Conselho de Disciplina revelou que a FAF agiu contra a equipa "lunda" sem levar em conta o protesto do Académica do Lobito, antes mesmo dos estudantes aparecem a fazer barulho já a federação estava a se preparar para notificar o Progresso da sua grave falha.
"O Conselho de Disciplina tem o seu mapa interno de controlo de cartões, sempre que um atleta é admoestado nós somos avisados, pelo que não carecíamos de uma comunicação do Académica, tanto é assim que até hoje nós nem sequer respondemos ao documento que nos enviaram", esclareceu.
A justiça sem pressão feita pela federação caiu mal ao Progresso da Lunda Sul e a província, algumas figuras em Saurimo, capital provincial, têm feito acusações que José Carlos considera sem sentido porque só existe um protagonista nesse caso, o próprio clube.
"É por isso, que não faz sentido falar em cabala, a FAF está para regular o exercício da modalidade com base nos seus regulamentos de disciplina e de competição, e o que eles prevêem para esse caso é a desqualificação e descida de divisão", afirmou.
O Progresso da Lunda Sul errou em fazer alinhar o atleta Cabibi contra o Académica do Lobito e agravou mais a sua situação ao permitir que o seu vice-presidente, suspenso pela FAF. O presidente José Carlos argumentou esse aparente descuido era motivo mais do que suficiente para a federação indeferir um eventual recurso dos lundas.
Com base nos regulamentos, o presidente do Conselho de Disciplina garantiu que o clube deveria ter feito um "requerimento de interposição de recurso", mas fez o contrário, "fez um documento com uma remessa de recurso dirigido ao Conselho Jurisdicional".
Esse acto negligente fez com que os lundas queimassem etapas, "pelo conteúdo do documento o que eles fizeram foram alegações de recurso, mas antes deveriam ter feito um requerimento de interposição de recurso, que nunca foi feito", garantiu.