Jornal dos Desportos

Director: Matias Adriano
Director Adjunto: Policarpo da Rosa
Futebol

Progresso abandona atleta lesionado

Avelino Umba - 08 de Junho, 2019

Jogador formado no Real Sambila tem contrato at Novembro prximo com o clube liderado por Paixo Jnior

Fotografia: Vigas da Purificao | Edies Novembro

O defesa central da equipa do Progresso Sambizanga, Buchinho, lamentou, há dias, em entrevista ao Jornal dos Desportos, ter sido abandonado pelo seu agente Adão Costa, assim como a falta de apoio da direcção do clube, para o tratamento da lesão que o apoquenta há mais de um ano.

Contratado na época 2016, ao Real Sambila, clube em que foi formado, Buchinho, com 19 anos de idade na altura, foi uma das peças preponderantes na manobra da equipa treinada por Albano César e mais tarde por Hélder Teixeira, totalizando quatro temporadas de sucesso no popular clube do Sambizanga.    

Contudo, na temporada de 2018, uma lesão no joelho direito, contraída a 22 de Maio, no jogo diante do 1º de Maio de Benguela, partida referente à décima jornada, disputado no estádio dos Coqueiros, deixou o jogador inactivo até à presente data.   

O clube sambila, segundo o jovem de 22 anos de idade, não fez nada até ao momento, a não ser promessas, para o tratamento da lesão. Aliás, como disse, a agremiação do Sambizanga aventou mesmo a hipótese de o mesmo ser enviado a Windhoek,  República da Namíbia, o que não aconteceu, e, como azar não vem só, o seu agente, Adão Costa,  também  virou-lhe as costas.

"O meu sentimento é de muita tristeza. Dei o meu máximo ao serviço do Progresso Sambizanga, mas desde que estou lesionado, há mais de um ano, não vejo apoio por parte de quem de direito, a direcção do clube no caso, assim como do meu agente (Adão Costa), que também virou-me as costas", lamentou o defesa, tendo acrescentado que, a cada dia que passa, vê a sua situação mais complicada.O jogador assegurou que tentou fazer tratamento em algumas clínicas em Luanda, porém sem sucesso, e foi aconselhado, pela equipa médica do Progresso Sambizanga, a viajar para o exterior do país.

"Indicaram-me algumas clínicas da capital do país, para a realização da cirurgia, mas foram os próprios médicos que me aconselharam a preparar condições para viajar ao exterior, onde tem melhores condições para o efeito", disse.Deste modo, apesar de reconhecer as dificuldades com que o clube passa, o jogador, ainda assim, apela a sensibilidade da direcção liderada por Paixão Júnior e do seu agente (Adão Costa), para que resolvam o assunto.    

"Apesar de ter terminado cedo a prova, resultante da lesão que contrai ao serviço do clube, acho que ainda faço parte do plantel e mereço receber aquilo que os outros recebem, e não ser excluído, como é o caso de salários. Por esta razão, apelo mais uma vez a sensibilidade da direcção do clube, na pessoa do seu presidente (Paixão Júnior), uma pessoa que respeito e merece a minha consideração, pena estar mal acompanhado, para levar avante os vários problemas que enfermam o grémio sambila", referiu. 

Senhorio“despeja” atleta

A falta de pagamento da renda de casa, onde o vivia o jogador, sob responsabilidade da direcção do clube, motivou o senhorio a pôr fim o contrato, que culminou com o "despejo" do atleta, no passado dia 23 de Maio. De acordo com o lesado, a questão em causa criou bastantes transtornos à sua vida, pois teve que regressar à casa da mãe, tudo por culpa  da direcção do clube Progresso Sambizanga, que deixou de pagar as rendas de casa.

"Estou a viver um momento bastante difícil, pois para além da falta de apoio para o tratamento da minha lesão, surge agora o meu despejo, por falta de pagamento das rendas, que estavam sob responsabilidade da direcção do clube", disse. Buchinho lamentou o facto de não receber salários há quase um ano, o que tem criado enormes constrangimentos à sua vida e da família, pois tem uma filha e esposa por sustentar, numa altura em que se apresta a contrair matrimónio. 

"Para além do fim do contrato com o senhorio, por justa causa da parte dele, estão também os meus salários em atraso, numa altura que tenho já família constituída, pois tenho mulher e uma filha, e com matrimónio agendado para o próximo mês de Agosto\", desabafou.  Com contrato válido até Novembro próximo, Buchinho estará livre de assinar com quem quiser, caso não for desejo da direcção sambila em renovar o contrato com o jovem futebolista.

PAIXÃO JÚNIOR
“Jogador será tratado na Namíbia”

O presidente do Progresso Associação Sambizanga (PAS), Paixão Júnior, mostrou-se surpreendido com a entrevista concedida pelo jovem atleta Buchinho, ao nosso jornal, no quadro da lesão contraída ao serviço da equipa.  De acordo com o dirigente máximo da formação sambila, o jogador está precipitado em ver-se curado da lesão, mas não imagina os esforços que tem feito o clube, para que tal pretensão seja concretizada. Paixão Júnior garantiu que o clube não está alheio a situação do atleta e, prova disso, é que o mesmo já esteve a fazer exames na Clínica da Endiama, à expensas do clube.

"O jovem (Buchinho) está precipitado, mas não sabemos as razões, porque estamos atentos ao seu actual estado. A sua lesão não é de fácil resolução. Ele precisa de ser operado e já temos contactos avançados com uma equipa de médicos na Namíbia, onde ele será submetido a tratamento", assegurou Paixão Júnior, em recente conversa ao telefone.

O presidente de direcção do Progresso acrescentou, por outro lado, que o jogador só não está ainda na Namíbia, porque o clube enfrenta graves dificuldades financeiras."Não há dinheiro nem para os jogadores comerem, imaginem a situação do clube. Neste momento, estamos a envidar esforços para pagar salários, porque o clube não tem dinheiro. Ele (Buchinho) já recebeu dois salários, mas há atletas que estão a jogar, que nem receberam nada. O jogador deve ter calma e ser melhor aconselhado", disse, antes de finalizar:

"Vamos fazer com o Buchinho o mesmo que fizemos com o Paz e o Yano. Ele será observado e tratado na Namíbia. Mas, para tal, precisamos de reunir os dez mil dólares".   Consta que o atleta chegou a beneficiar, ainda, de uma ajuda financeira do colega Vá, antigo companheiro no Real Sambila, com quem partilhou vários momentos duramte a sua formação.                                                          PAULO CACULO