Jornal dos Desportos

Director: Matias Adriano
Director Adjunto: Policarpo da Rosa
Futebol

Prxima poca de desafio pesado

Gaudncio Hamelay-Lubango - 10 de Junho, 2019

Fotografia: Jornal dos Desportos

A direcção do Clube Desportivo da Huíla, a equipa técnica (o treinador Mário Soares mereceu o voto de confia do elenco directivo, para continuar à frente do comando técnico) e os atletas  têm um "grande desafio", na temporada futebolística 2019/2020, cujo arranque está previsto para Agosto, face ao resultado na edição passada do Girabola Zap, o terceiro lugar na tabela de classificação geral, reconheceu  o director -geral Carlos Manuel.
“Hoje, a direcção se disser que o nosso compromisso será a manutenção na Primeira Divisão, estaríamos a mentir a nós próprios. Entretanto, sabemos que o desportivo com os recursos que tem,  luta como pode”, disse.
Destacou, que na conversa mantida com os patrocinadores, a direcção do clube militar da Região Sul comprometeu-se em ir o "mais alto possível", na época futebolística 2019/2020, para participar nas competições africanas  da próxima temporada,  renunciada que foi, este ano, por questões financeiras.
“Será um desafio muito pesado que iremos colocar à equipa técnica, aos atletas e à própria direcção. Veremos o que é quê há-de acontecer”, sublinhou.
Carlos Manuel referiu, que essa garantia de que “teremos um campeonato melhor”, tem a ver com a manutenção dos atletas, o seu estado de saúde e a possibilidade de alguns reforços, em sectores que eventualmente o clube estava a necessitar , na temporada passada. Salientou que o guarda-redes Ndulu, apesar de não ter ainda a estatística nacional, fez 34 jogos durante o campeonato passado, ou seja, “foi totalista, um caso muito raro”, enalteceu.
Logo, defendeu Carlos Manuel, a direcção do clube precisa de ver esse sector (baliza) para que na próxima época, o guarda-redes Ndulu tenha concorrência.
“Se ele (Ndulu) continuar a render, como está render e sem problemas nenhum de lesão e saúde, com certeza pode fazer os 34 jogos seguintes”, afiançou.
O director-geral do CDH informou, igualmente, que o único atleta que terminou  contrato e foi dispensado, é o avançado nigeriano Razaq. Quanto ao congolês democrático Jacques, igualmente cedido pelo 1º de Agosto, fica no plantel por mais uma época. 
“O avançado Razaq não fica connosco, porque terminou o seu contrato. O Jacques  continua connosco. Ele (Jacques) o ano passado teve problemas de lesão e vai integrar o grupo na pré-época. Agora, esperemos que esteja bem, porque prometeu-nos que viria recuperado. Vamos ver isso, na pré época, se assim não acontecer, com certeza não continuará no Desportivo da Huíla”, frisou.