Jornal dos Desportos

Director: Matias Adriano
Director Adjunto: Policarpo da Rosa
Futebol

Quartos-de-final tm jogos aliciantes

13 de Maio, 2019

Sambilas e militares protagonizam partida de alto risco nos Coqueiros

Fotografia: Vigas da Purificao | Edies Novembro

Os quartos -de -final da Taça de Angola que se disputar esta quarta-feira, reserva jogos aliciantes, só entre equipas do Girabola. Não existe nenhum intruso, ou seja, equipas do escalão inferior do futebol nacional, o que torna a competição ainda mais emocionante, sem desprimor para os clubes da Segundona.  

Com a época a caminhar para o término e algumas agremiações a balancearem as respectivas prestações, outras, centram as atenções nesta competição, como a salvação. Dos quatro embates, o destaque recai para o dérbi  mais antigo e popular da capital do país, pós independência, entre o Progresso do Sambizanga e o 1º de Agosto. 

Com palmarés diferentes na prova, sambilas ( um troféu) e militares (cinco) protagonizam um duelo com favoritismo repartido, se atender o espírito de Taça, em que nem sempre as melhores equipas provam em campo o seu estatuto. 

Ainda assim, os rubros - negro têm o nível de motivação em alta, pela boa prestação ao longo da temporada, ao contrário do adversário que enfrenta problemas administrativos, com salários e prémios de jogos em atraso,  entra em campo como o mais sério candidato a seguir em frente. 

O Petro de Luanda, detentor e a mais titulada com dez taças no seu palmarés, depois de passar com distinção pelo Recreativo do Libolo, em Calulo, recebe, no Estádio 11 de Novembro, o Bravos do Maquis, adversário que tem dívidas a saldar com os tricolores.

A 'mania' de ser papão nas provas nacionais, coloca a equipa orientada pelo espanhol Toni Cosano como a mais séria candidata a carimbar o passe, para as meias-finais. A tarefa não se afigura fácil, porque do lado oposto está Zeca Amaral, um técnico astuto e que muito pode esperar-se, até maravilhas. De resto, um bom jogo em perspectiva.

A realizar uma das suas melhores épocas, o Desportivo da Huíla mede forças, no Estádio do Ferrovia, com o Kabuscorp, que está ferido no seu orgulho, depois do ambiente que se viveu nos últimos dias, com o "Caso Rivaldo"  a voltar à baila.

E, como o futebol é uma modalidade espectacular, por vezes bastante emotiva e com desfecho imprevisível, aliada à complexidade da competição, estamos diante de uma eliminatória em que tudo pode acontecer. As duas equipas têm deixado, nos últimos jogos, uma imagem positiva, o que deixa antever uma partida equilibrada. 

No Uíge, o Santa Rita de Cássia, equipa que está a realizar um final de época à imagem do nome da sua padroeira, protectora absoluta das mães e esposas que sofrem pelos maus tratos, recebe o Interclube. Alcançado o primeiro objectivo, a permanência no Girabola, o técnico Paulo Saraiva e seus pupilos de certeza que querem fazer história.

A imagem de sacrifício e solidariedade, patenteada na entreajuda defensiva, postura que apresenta como a chave do sucesso, coloca os católicos numa posição privilegiada na disputa rumo às meias-finais. A presença inédita nos quartos, pode ser algo significante para os donos da casa, mas para os visitantes que auguram salvar a época, sabe a pouco. Por isso, a pressão está do lado de Paulo Torres e seus atletas.