Jornal dos Desportos

Director: Matias Adriano
Director Adjunto: Policarpo da Rosa
Futebol

Rasca ambiciona bota de ouro

Jorge Neto - 16 de Dezembro, 2011

Rasca promete fazer muitos golos em 2012

Fotografia: Jornal dos Desportos

Os objectivos do avançado Rasca, do Recreativo do Libolo, no próximo ano, vão além da defesa do título de campeão nacional, porque o goleador ambiciona também sagrar-se o “bota de ouro”, isto é, o melhor marcador do Girabola, situação que seria, pela primeira vez, uma marca na sua já extensa carreira no futebol angolano. O número 24 da formação da vila de Calulo defende que todo o avançado almeja esse troféu, apesar de que nem sempre consegue conquistá-lo, por vários motivos.

“Naturalmente, tenho o objectivo de ser o melhor marcador do campeonato. No ano passado o título ficou com o Daniel, marcámos 18 golos cada. Vou trabalhar para conquistar esse título, porque é um dos que me falta, após ser campeão por duas vezes”, revelou o jogador, apontando este como um dos seus objectivos pessoais para a próxima época. Rasca garantiu que está satisfeito com a renovação de contrato por mais uma temporada de laranja e azul ao peito, pois acredita que podem alcançar mais conquistas. “Renovei o contrato por mais uma época e estou satisfeito porque me sinto bem no clube, já visto a camisola do Libolo há três anos e quero continuar porque acho que ainda podemos fazer mais coisas positivas para o clube.

O segundo melhor marcador dos libolenses, depois de Aguinaldo (13 golos), fez uma avaliação crítica da sua prestação, que teve uma baixa e relação aos números alcançados na temporada anterior, mas consola-se com o título de campeão nacional. “A minha prestação, em termos de golos, foi muito baixa esta temporada. No ano passado, marquei 18 golos, fui o segundo marcador do Girabola. Esta temporada, fiz oito, mas em compensação ganhámos o campeonato. Às vezes, não conseguimos tudo o que queremos, mas há que continuar a trabalhar para nos superarmos”, afirmou. 

“Vamos lutar pela defesa do título”

O avançado Rasca, do Recreativo do Libolo, campeão nacional, afirmou que antevê um campeonato muito complicado no próximo ano, mas adiantou que a sua equipa vai lutar para defender o título conquistado na presente temporada. O atleta, que veste a camisola libolense há três anos, prevê grande competitividade. “Acredito que o campeonato, no próximo ano, vai ser um pouco complicado, porque as outras equipas se estão a reforçar para tentar chegar ao título. Mas vamos lutar para defender o nosso título e vamos dar o nosso máximo”, disse o avançado, que marcou oito golos no recém-terminado Campeonato Nacional.

O influente jogador libolense assegura que a conquista do título inédito do Girabola, pela formação da Vila de Calulo, esteve ligada a vários factores, sobretudo o espírito de grupo. “O segredo está no trabalho, um bom balneário, um bom grupo e bons treinadores, que consigam transmitir os seus conhecimentos de forma natural para que os jogadores consigam interpretar com facilidade o que eles pretendem”, disse o avançado. O goleador manifestou a sua satisfação pelo segundo título do Girabola, pois, como lembrou, “este é o meu segundo título. O primeiro foi ao serviço do ASA. Estou satisfeito por ter conseguido mais uma vez, porque os títulos fazem parte da carreira de um jogador”, assegurou.   JN

Campeão do Girabola
pronto para as Afrotaças

O sorteio da Confederação Africana de Futebol ditou a formação do Orlando Pirates da África do Sul como adversário do Recreativo do Libolo, na primeira eliminatória de acesso à fase de grupos da Liga dos Clubes Campeões Africanos. Rasca considera um oponente forte, mas acredita que pode ser ultrapassado, para que possam chegar o mais longe possível nesta competição. “O Orlando Pirates é uma boa equipa, mas não temos de pensar no adversário porque temos também um bom grupo. O objectivo é ir lá ganhar para passar à outra fase no desafio que teremos em nossa casa. Queremos ir o mais longe possível e vamos trabalhar para o conseguir”, assegurou.

O goleador antevê algumas dificuldades no confronto com a formação do país de Nelson Mandela, pelo facto do adversário estar a competir neste momento, ao contrário dos liboleneses. “Um factor que nos deixa em desvantagem é que o campeonato deles está a decorrer e o nosso atravessa um defeso e, quando jogarmos, não estaremos ao mesmo ritmo que eles”,
rematou.  JN

Caála assegura reforços
para a próxima época

Após garantir a continuidade dos seus principais jogadores, à excepção dos médios Celson e Dudú, cujas negociações ainda decorrem, a direcção do Recreativo da Caála assegurou já os préstimos do avançado Igor (Bravos do Maquis) e do médio Cigarro (Académica do Lobito), visando o reforço do seu plantel para a próxima época futebolística. Segundo apurou a Angop de fonte do único representante da província do Huambo ao Girabola, embora não seja ainda oficial a lista de reforços para 2012, os planálticos podem chegar a acordo, nos próximos dias, com os avançados Vado (Sagrada Esperança), Danilo (Nacional de Benguela), os defesas Saki (Sagrada Esperança), Locô (Petro de Luanda) e o polivalente Projecto (Académica do Soyo).

A mesma fonte informou que os dois novos reforços assinaram contratos válidos por uma época e mais uma de opção, caso tenham bom desempenho ao longo da próxima temporada. Na mira dos responsáveis do Recreativo da Caála, quarto classificado do Girabola 2011, estão ainda futebolistas como Neruda (FC de Cabinda), Avex e Nuno, ambos dispensados pelo Petro de Luanda. A direcção do clube caalense prolongou por uma época os contratos de Capessa (guarda-redes), Buba e Elias (defesas), além do avançado Paizinho, melhor marcador da equipa no recém-terminado Girabola, à semelhança do que aconteceu na época anterior.

Os médios Osório Carvalho e Dário Cardoso, titulares indiscutíveis durante o Girabola’2011, deixam o clube por terem recusado a proposta de renovação que lhes foi endereçada pelo clube. Osório, segundo a mesma fonte, transferiu-se para o 1º de Agosto, ao passo que Dário vai representar, em 2012, o Recreativo do Libolo, campeão nacional. Quem também deixa o Recreativo da Caála, pelas mesmas razões, é o defesa central Kialunda, pretendido pelo Interclube e ASA. Foram dispensados, por fraco rendimento, os defesas Henrique e Bulimá, os médios Nsimba e Rúben, além dos avançados Moré e Massinga.

Confirmados para a próxima época estão Lokwa, Estêvão, Capessa (guarda-redes), Elias, Buba, Vidigal, Campos, Boca, Maurício, Marinho (defesas), Alioune, Vovó (médios), Paizinho, Shay e Femi (avançados). As oficinas da equipa, que continua a ser orientada pelo português Luís Aires, abrem a 16 de Janeiro, com a realização de exames médicos e, quatro dias depois, o conjunto viaja para Portugal, onde vai realizar um estágio competitivo de cerca de 15 dias.