Jornal dos Desportos

Director: Matias Adriano
Director Adjunto: Policarpo da Rosa
Futebol

Rui Arajo quer proteco aos clubes pequenos

Gauncio Hamelay no Lubango - 27 de Julho, 2019

Clube 1 de Maio de Benguela conta com apoios do empresariado para o Girabola

Fotografia: ARO MARTINS | Edies Novembro

O presidente do Estrela Clube 1º de Maio de Benguela, Rui Araújo, defendeu a necessidade da Federação Angolana de Futebol (FAF) e o Executivo, prestarem maior atenção às equipas consideradas pequenas, tendo afirmado que o nosso futebol, não está bom , e deu como exemplo o que aconteceu, recentemente, com a selecção nacional de honras.   

“Os responsáveis da FAF devem saber, que o nosso futebol não está bom. Vejam, por exemplo, aquilo que aconteceu com nossa selecção de honras. Isto é um alerta. Devem olhar para aquelas equipas consideradas pequenas, mas que fazem falta ao desporto nacional. E nós (1º de Maio de Benguela) somos uma delas, assim como o Clube Desportivo da Huíla”, apelou.

Referiu que apesar disso, está plenamente convencido que a governação do país, que está a mudar Angola, também tem que olhar um pouco para o desporto, para que os desportistas possam contribuir para o progresso da Nação. “Estou plenamente convencido que a governação do país, que está a mudar Angola, também tem que olhar um pouco para o desporto, para que nós também possamos contribuir para o progresso desta grande Nação”, reiterou.

Rui Araújo, por outro lado, assegurou, na cidade do Lubango, Huíla, onde na passada quarta-feira, o 1º de Maio defrontou o Desportivo local, em desafio de pré-época, estar a projectar administrativamente a temporada futebolística 2019/2020, que arranca  a 2 de Agosto próximo, com bastante cautela para “deixar de ser mendigo”, como acontecia em edições anteriores. O presidente do grémio proletário deu a conhecer que a nova direcção do clube, tomou posse recentemente e tudo está a fazer para que as coisas possam correr da melhor maneira e de acordo com o estatuto que o 1º Maio de Benguela tem a nível nacional.

Rui Araújo revelou que a nova direcção está a sentir algumas dificuldades no seu trabalho diário, porque encontrou um clube completamente destruído, por isso, “estamos a fazer um lote novo”. Apesar das dificuldades que o clube enfrenta há algum tempo, Rui Araújo informou que foram feitos muitos contactos junto da classe empresarial benguelense, para prestar na presente época os apoios necessários.

“O empresariado de Benguela gosta de Benguela. Faltava-lhes o elo para que fosse ligado.  Então, este elo apareceu com o 1º de Maio na primeira divisão. Foram feitos muitos contactos e temos a certeza, tal como já tinha dito anteriormente, que nós não vamos ficar mendigos como antes. Vamos ter os apoios necessários, porque a província de Benguela precisa de uma equipa na primeira divisão”, tranquilizou.O presidente do Estrela 1º de Maio de Benguela admitiu, sem qualquer tipo de regionalismo, que o futebol está a mudar de local e lembrou que anteriormente as equipas de Benguela viajavam oito vezes para jogar em Luanda.