Jornal dos Desportos

Director: Matias Adriano
Director Adjunto: Policarpo da Rosa
Futebol

Rui Camops espera da eleio

16 de Março, 2017

Rui Campos vai merecer tambm a confiana dos demais membros da CAF. da Federao Malgaxe de Futebol,

Fotografia: Nuno Flash


O angolano Rui Campos concorre ao lugar de membro do Comité Executivo da Confederação Africana de Futebol (CAF), cujo acto eleitoral se realiza hoje, na cidade de Adis Abeba, capital da Etiópia. À margem da 39ª Assembleia-Geral Ordinária da CAF, acontece ainda a eleição de novos membros do organismo para o quadriénio 2017/2021.

Issa Hayatou, presidente cessante da CAF, concorre ao cargo com o presidente da Federação Malgaxe de Futebol, Rhamad Rhamad. Caso o camaronês vença as eleições, dá início a um oitavo mandato desde que ascendeu à presidência da Confederação Africana de Futebol, em 1988, em Rabat, Marrocos.

Para os dois lugares disponíveis, Rui Campos concorre com Danny Jordan (sul-africano), Sekutu Papel (Ilhas Seychelles) e Francis Mbidi (namibiano). No caso do concorrente angolano ser eleito, torna-se o primeiro cidadão dos Países Africano de Língua Oficial Portuguesa a assumir um cargo na Confederação Africana de Futebol.

Apesar da oposição de Francis Mbidi, Sekutu Papel e Danny Jordan, Rui Campos mostra-se confiante na eleição por ter o apoio de 54 países. Na eventualidade de Issa Hayatou ser reeleito, Rui Campos  seguramente que deve garantir um lugar no Comité Executivo da CAF, porquanto o presidente cessante da CAF considera o presidente da formação do Cuanza Sul como dirigente desportivo visionário,  capaz levar o futebol continental a patamares mais altos.

Com as propostas de Issa Hayatou, o dirigente desportivo angolano esteve à frente na organização de vários eventos desportivos, no continente, com destaque para o Campeonato Africano das Nações (CAN’2017), disputado no Gabão.

Contactado pelo Jornal dos Desportos, Amílcar Silva, analista desportivo para o futebol africano, referiu que caso Rui Campos integre o Comité Executivo da CAF pode ser um ganho para o país.“ Em minha opinião, acho que é uma candidatura oportuna. Nós temos de começar a viver um ambiente de viragem no nosso futebol.

O nosso futebol ganhou há alguns anos um conjunto de vicissitudes, que não permitiam atingir situações e performances que já tivemos noutras épocas. Temos de repensar o futebol angolano. É o momento da viragem. É conhecedor do nosso futebol. É presidente de um clube.

Foi várias vezes campeão nacional. Já esteve nas competições africanas. Embora, esteja a ser uma iniciativa dele e bastante arrojada, transmite confiança. Neste momento, ter uma pessoa no Comité Executivo da CAF pode ser muito útil, para que as cosias mudem em Angola, e noutras perspectivas”, salientou.

Amílcar Silva acrescentou ainda, que o futebol africano precisa de pessoas com ideais e que saibam executá- las.“ Com um elemento com o perfil de Rui Campos no Comité Executivo da CAF, tenho a plena certeza que muita coisa pode mudar, principalmente, no futebol angolano. Temos de mudar o futebol desde a FAF, Associações Provinciais e Ministério da Juventude e Desportos. Já realizámos vários encontros sobre o futuro do futebol nacional,  nunca passaram do papel.

Não temos sustentabilidade no nosso futebol. Pretendemos fazer um futebol mais realista. Portanto, a candidatura de Rui Campos é bastante oportuna”.

Com objectivos diametralmente opostos, Armando Machado, antigo presidente da Federação Angolana de Futebol (FAF) concorreu há 18 anos para o cargo de presidente da CAF, perdeu as eleições para Issa Hayatou.

Abordado, sobre a candidatura de Rui Campos ao cargo de membro do Comité Executivo da Confederação Africana de Futebol, Armando Machado mostrou-se confiante na eleição do presidente do Recreativo do Libolo, porque goza da simpatia na CAF, e deu mostras de ser um dirigente desportivo visionário. Se Issa Hayatou for reconduzido, Rui Campos vai merecer também a confiança dos demais membros da CAF. Penso que reúne os requisitos para integrar o Comité Executivo.

É uma pessoa que faz muito para o desenvolvimento do futebol em Angola, e não só”, conclui o presidente Honorário da FAF.Para Amaral Aleixo, antigo goleador e actual vice-presidente do Petro de Luanda, a eventual entrada de Rui Campos para o Comité Executivo da CAF, constitui em primeira instância, um prestigio para o nosso país. \"É prestigiante saber que um dos nossos está lá, num órgão decisivo. Ele é desde já um dirigente desportivo bastante visionários que pode constituir-se num valor acrescentado para o futebol africano.\"

Amaral Aleixo recua 18 anos ao tempo, e enaltece a ousadia de Armando Machado que na época concorreu à presidência da CAF, foi derrotado por Issan Hayatou. \" Eu gostava salientar que o grande paladino do nosso desporto foi Armando Machado, o primeiro a tentar entrar na CAF. Espero que desta vez, com Rui Campos, sejamos melhor sucedidos. Um dirigente com provas dadas em Angola só terá a ganhar. As suas qualificações técnicas permitem-nos fazer uma abordagem positiva do nosso futebol. Ele é capaz e pode lá chegar.\"