Jornal dos Desportos

Director: Matias Adriano
Director Adjunto: Policarpo da Rosa
Futebol

Sagrada procura reabilitao em casa

Betumeleano Fer?o - 29 de Julho, 2017

Estdio do Dundo costuma ser sinnimo de vitria para os Diamantiferos

Fotografia: Jos Soares| Edies Novembro

O oito e o oitenta são dois números, que se aplicam bem na campanha do Sagrada Esperança, no Girabola ZAP. Os diamantíferos, às vezes alternam o bom com o mau, e desperdiçam pontos de maneira inesperada como sucedeu na ronda passada com o JGM. Para o jogo desta tarde no Dundo, a partir das 15h00, o técnico Ekrem Asma e pupilos têm de se reabilitar frente ao Clube Recreativo da Caála, senão os adeptos vão desconfiar que nos bastidores existem coisas, que prejudicam o rendimento da equipa.

Uma vitória sobre os caálenses, é uma tarefa ao seu alcance, contudo, a grande questão que se coloca é se a equipa caseira vai ser competitiva para somar os três pontos. Ninguém espera que a equipa da casa chegue, veja e vença, porém, há motivos para acreditar que os diamantíferos estão ansiosos em lutar pela vida, para lavar a cara depois da vergonhosa derrota de 3-0, na ronda passada.

O Dundo costuma ser sinónimo de vitória para o Sagrada, e os adeptos estão na expectativa, de ver a equipa a recuperar a fórmula do sucesso. A julgar pelas repentinas oscilações de rendimento, o 12º. jogador quer uma resposta imediata dos craques, até nem pensam na hipótese de verem a equipa  entrar numa literal crise de resultados.

A caminhar de maneira tranquila, o Caála faz o que pode para somar os pontos necessários, dentro e fora de casa. A diferença pontual, cinco, entre as duas formações, dá motivação para os forasteiros focarem os olhos na obtenção dos três pontos, pois, vão enfrentar um oponente quase da mesma bitola.

Os caálenses têm de escolher o caminho mais simples para chegar a vitória, e uma postura ofensiva é o que se exige de quem ambiciona triunfar fora de portas, e não ficar à espera que o adversário tome a iniciativa. A equipa de David Dias tem de pegar no jogo e fazer com que os donos da casa dancem sempre a sua música, para deixá-los nervosos e intranquilos por serem dominados perante os seus adeptos.

A intermitência do Sagrada Esperança, tem de despertar as faculdades competitivas do Clube Recreativo da Caála, para  saber que o adversário é capaz de tudo, e tem de obrigar os caálenses a efectuarem uma exibição irrepreensível, capaz de fazer com que a equipa seja eficiente em todos os momentos, para evitar o desaire no Dundo. Por isso, é indispensável que os caálenses só pensem no relaxe, quando soar o último apito do árbitro.

ESTÁDIO 4 de Janeiro
Aflitos tentam reacender a chama


A luta pela despromoção não é definida em absoluto esta tarde, mas é ponto assente que a jornada tem confrontos entre equipas envolvidas no campeonato da manutenção, por isso é de esperar no final dos jogos, Santa Rita - JGM , que muita coisa comece no desfecho dos que lutam para evitar a descida de divisão. O grande aliciante dos dois jogos, é ver como os três \'condenados\' que ocupam as posições mais abaixo da tabela de classificação vão fazer para desfazer o nó, que teima em não desatar.

Com a sentença cada vez mais próxima, só restam aos aflitos ganhar e esperar, mas como as formações do Uíge e do Huambo jogam entre si, algumas contas podem ser feitas na hora. Para provar que milagres também existem no futebol, o Santa Rita de Cássia tenta tirar proveito do factor casa, para afundar mais o JGM. O cenário actual deixa pouca perspectiva de recuperação aos dois contendores, mas quando o apito soar às 15 horas, cada um deles vai  esforçar-se por mostrar as obras para somar mais três pontos de esperança.

Quem vencer, de modo algum resolve o seu dilema, mas ganha ânimo para lutar de novo, na próxima jornada. A fraca pontuação, até das equipas que não estão no campeonato de despromoção, dá motivação às duas formações para continuarem na corrida por pontos, já que para permanecer no Girabola não precisa de uma grande pontuação.

O desempenho competitivo caseiro dos “católicos” contrasta com a fraqueza fora de portas dos planálticos. Uma vitória dos anfitriões é consensual nas casas de apostas, ainda assim, ninguém está à espera de ver os visitantes desperdiçarem  oportunidades de fazer pela vida para ganhar a um concorrente directo.                   
BF

Amanhã
Yuri promete dar o seu melhor

O avançado do Desportivo da Huíla Yuri, um dos melhores marcadores esta época, garantiu ontem, no Lubango, que todo o trabalho, empenho e a dedicação empreendida pela equipa durante a preparação vai ser compensada no desafio de amanhã, no estádio do Ferroviário, no Lubango, com uma vitória sobre a Académica do Lobito.

O autor de tentos decisivos das cinco vitórias obtidas pelos militares da Região Sul na prova, disse ontem em conferência de imprensa de antevisão ao desafio, que trabalharam durante a semana para garantirem os três pontos. “Trabalhamos durante a semana para dar o nosso melhor no campo, garantir os três pontos e dar alegria ao povo da Huíla.

O trabalho, a nossa entrega e o empenho será recompensado com a vitória, porque vamos entrar em campo para assegurar os três pontos”, manifestou o avançado que deverá formar a dupla do ataque com o veterano Kêmbwa.De 26 anos de idade, Yuri assegurou que o moral do grupo é alto e que o pensamento está voltado única e exclusivamente para recepção a os estudantes do Lobito.

“O moral está alto. Treinamos bem e, por isso, o pensamento está virado para o jogo com a Académica”, reiterou.No aspecto pessoal, prometeu uma prestação melhor que as anteriores fazendo jus ao lema decretado pela equipa técnica liderada por Mário Soares, que passa por crescer e fazer sempre melhor.

“Podem esperar por um Yuri sempre melhor já que trabalho para dar o meu melhor e merecer sempre a confiança do treinador. Prometo marcar golos porque essa é minha função na equipa dentro do campo”, assegurou.O atacante antevê dificuldades, contudo, mantém-se fiel na convicção pelo triunfo. “É um adversário difícil que está a procura de pontos. Prevemos dificuldades sim, mas estaremos lá com o propósito de garantir apenas os três pontos”, espelhou.
Benigno Narciso, no Lubango

ACADÉMICA
Estudantes do Lobito  aguardam garantias

 Apesar da direcção da Académica do Lobito manter a posição de não jogar amanhã com  o Desportivo da Huíla, a equipa está concentrada e a qualquer altura pode seguir para o Lubango, para  cumprir a 21ª jornada, na qual tem a forte pretensão de vencer para sonhar na manutenção à mais alta-roda do futebol nacional. 

Uma fonte contactada pelo JD de uma possível ida do presidente à cidade capital,  para junto das entidades afins tratar do problema que assola o clube nos últimos sete meses,  que levou ao esvaziamentos dos cofres do clube, disse "Vamos aguardar e depois se vê", disse. A Académica do Lobito ocupa a 14ª (antepenúltima) posição com 15 pontos, na tabela da classificação geral, está  de resto na zona de despromoção de divisão.

Por isso, um triunfo no confronto diante da formação militar da Frente Sul pode galvanizar os ânimos dos jogadores, e despertar o interesse da sociedade lobitanga, a reunirem os apoios necessários para a equipa terminar a prova. Em caso da efectivação da deslocação à cidade do Lubango, a equipa técnica da Académica do Lobito liderada por José Silvestre "Pelé" pode apostar no sistema táctico versado no 4x4x2, formado por  Bombasa- Poko, Lito Kapunge, Zebedeu e Lourenço- Bruno, Claúdio, Osório e Kalunga - Chiló e Ben Traoré.   Júlio Gaiano - Lobito.

CEPTICISMO
A anunciada  retirada da equipa principal da Académica Petróleos Clube do Lobito do GirabolaZap2017 pela direcção, é vista com alguma deferência entre os lobitangas, que acreditam tratar-se de mais uma táctica forjada para pressionar a entidade patrocinadora que se mantém calada,  face às necessidades requeridas para o clube.

Entre os lobitangas, as opiniões divergem-se. Alguns apoiam a decisão tomada pela direcção (abandonar a prova), enquanto os demais reservam-se na apreensão. Acreditam, por isso, estar-se diante de um dilema que ameaça a verdade desportiva, caso se materialize a hipotética intenção de deixar a competição, daí, a exigência de buscar solução para o problema, que segundo eles, cheira à chantagem.
JULIO GAIANO - Lobito