Jornal dos Desportos

Director: Matias Adriano
Director Adjunto: Policarpo da Rosa
Futebol

Sambilas empatam na Catumbela

Avelino Umba , em Benguela - 29 de Janeiro, 2017

Estudantes às ordens de António Alegre criaram dificuldades à equipa de Kito Ribeiro no teste que terminou igualado a duas bolas

Fotografia: Dombele Bernardo

Com mais dois jogos marcados para esta semana, diante do Recreativo da Caála e do Interclube,  no estágio que realiza em Benguela, a equipa do Progresso Sambizanga voltou a empatar ontem, a duas bolas, desta frente a Académica do Lobito, em jogo de carácter amigável, disputado no estádio do União da Catumbela, que esteve lotado, como se tratasse de um jogo oficial. Bruno e Patrick apontaram os golos dos sambilas, enquanto Adó e Jair marcaram pelos estudantes. 

A equipa da Académica do Lobito foi a primeira a marcar, numa saída em falso de guarda-redes Titi, Adó em situação privilegiada não teve dificuldade de empurrar a bola para dentro da baliza. As equipas foram ao intervalo com o resultado de 1-0 a favor do estudantes.

No segundo tempo, na cobrança de um livre directo, Patrick rematou forte para defesa incompleta de guarda-redes Ndulo e Bruno na recarga repôs a igualdade no marcador.

Minutos depois, Jair numa bela jogada individual desempatou para 2-1. Patrick, dos sambilas, fez o golo final da partida (2-2).

A equipa técnica sambila utilizou dois grupos no jogo com os estudantes. O primeiro "onze" foi constituído pelos jogadores Titi, Ndieu, Nzau, Eliseu, Lunguinha, Serge, Almeida, Norberto, Luís, Vá e Yano, grupo substituído aos 50 minutos (intervalo) por Nyame,), Buchinho, Kibeixa, René, Megue, Pepé,  Cuca, Bruno, Patrick, Fofó e Isne. O central Ndieu manteve-se em campo.

António Alegre alinhou os seguintes jogadores: Ndulo, Vado, Zebedeu, Anastácio, Bartó, Osório, Cláudio, Kalunga, Zizi, Adó, Bumba. Jogaram igualmente Lâmbito, Lito, Carlos, Patrick, Germano, Bartoló, Ibrahim, Jair, Borges e Zuzi.

Motivados pela aproximação do dia do arranque do Girabola Zap 2017, o treinador do Progresso Sambizanga, Kito Ribeiro, tem deixado transparecer a ideia de que reside nos desafios amistosos a solução imediata para os jogadores entrarem na competição oficinal com muito ritmo competitivo.

Embalado nesta visão, os jogos com o Sagrada Esperança, hoje de manhã, com o Recreativo da Caála e com o Interclube, ao longo na semana, no estádio da União da Catumbela, afigura-se como outros dos testes importantes e imprescindíveis para o Progresso Sambizanga, se avaliado o facto de a equipa técnica defender a realização de amigáveis como alternativa para correcções de alguns aspectos e elevar os níveis do conjunto.

À semelhança dos jogos com as equipas do Jackson Garcia (segunda divisão), Kabuscorp do Palanca, Recreativo da Caála e Flamingos da Caponte, esta última do Girabairro benguelense, a equipa sambila não deverá fugir muito do objectivo de tentar promover aquele futebol pragmático, assente na realização de transições rápidas defesa/ataque, a privilegiar quase sempre o passe e a posse de bola.


DIOGO PEDRO
“Concentração
deve ser melhorada”


Depois de empate a três bolas, diante dos Flamingos da Caponte, do Girabairro lobitanga, o Progresso Sambizanga voltou a empatar, desta ante a Académica do Lobito, a duas bolas, no prosseguimento do estágio em Benguela.

O treinador-adjunto dos sambilas, Diogo Pedro "Dione", minimizou o resultado, pois como disse, o mais importante é testar os níveis competitivos dos jogadores e corrigir o que não está bem.

"Pensamos que a equipa tem mostrado alguns níveis de crescimento, embora reconhecemos que ainda tem alguns aspectos que têm de ser trabalhados, sobretudo os níveis de concentração", disse.

Assegurou que no cômputo geral, nos jogos de controlo a equipa tem mostrado desenvolvimento em todos os sectores.

"A equipa continua a trabalhar e neste treino (jogo com a Académica) voltou a mostrar que está à procura daquilo que mais desejamos. Deste modo, vamos continuar a tocar na senda das melhorias", concluiu.

Já o lateral direito Germano, da Académica do Lobito, considera de secundário os resultados obtidos pela sua equipa na pré-época, pois, como disse, o importantes é que os amistosos têm servido para tirar muitas ilações e corrigir vários aspectos em alguns sectores.

"A preparação está a ser boa, não importa o resultado. Temos um treinador, que como viram, não fica sentado e não se cansa em orientar a equipa. É de lá onde ele começa a corrigir o que não está bem dentro das quatro linhas. Grita connosco, empurra a equipa com intenção de começar a ganhar o hábito de vitórias", disse.
AU