Jornal dos Desportos

Director: Matias Adriano
Director Adjunto: Policarpo da Rosa
Futebol

Sambilas moralizados mesmo sem salrio

Avelino Umba - 08 de Dezembro, 2018

A equipa teve como local alternativo de trabalho o estdio dos Coqueiros

Fotografia: Jornal dos Desportos

 A equipa técnica e jogadores do Progresso Sambizanga, bem como os restantes funcionários do clube, estão há seis e 18 meses sem salário, daí a greve que se instalou, desde terça-feira, na referida agremiação. Ainda assim, o plantel às ordens de Guilherme de Sousa \"Matateu\" está compenetrado e confiante numa vitória esta tarde, a partir das 17h00, nos Coqueiros, diante do FC Bravos do Maquis.  
O líder da comissão técnica dos sambilas, assegurou ontem a este jornal, antes do último aprumo, realizado no estádio dos Coqueiros, que sabem do potencial do adversário, uma equipa bastante forte e organizada bem orientada por Zeca Amaral.
\"Sabemos que o Maquis FC é uma equipa  bem preparada, com um grande treinador, mas o Progresso também trabalhou, para manter os seus níveis de concentração e lutar para os três pontos. Vamos jogar em casa com o apoio dos nossos adeptos e o nosso maior objectivo é a conquista da vitória, pois disso acreditamos\", referiu.Quanto a semana de trabalho, que coincidiu com a greve no clube, organizado pelo pessoal das camadas de formação e os administrativos, Matateu explica que em função disso, o clube tem as portas fechadas, por isso a equipa trabalhou fora de seu complexo, de formas a não defraudar as expectativas.
\"O clube está com as portas fechadas, devido a greve que se observa desde terça-feira última. A equipa teve como local alternativo de trabalho o estádio dos Coqueiros, onde  preparou o jogo de amanhã (hoje). Não que o plantel não tenha problemas e não esteja solidária com os grevistas, mas são situações que a direcção está a tratar, pois sabemos que a equipa tem compromissos com a Federação, assim como com os adeptos\", disse.
“A greve é feita pela maior parte dos trabalhadores sambila,  que reivindicam aquilo que é justo: 18 meses de salários em atraso. Nós também não  fugimos à regra, porquanto pode ser benéfico para o clube no seu todo\", realçou.