Jornal dos Desportos

Director: Matias Adriano
Director Adjunto: Policarpo da Rosa
Futebol

Seleccionador Nacional encontra opes

Paulo Caculo - 21 de Dezembro, 2017

Srdjan Vasiljevic procura alternativas

Fotografia: Mota Ambrosio | Edies Novembro

Uma situação inusitada está a acontecer com a Selecção Nacional de Honras, que prevê representar o país numa prova continental. Segundo apurou o Jornal dos Desportos, de uma fonte federativa, o grupo teve de transferir-se para a Cidadela, o seu local de preparação, depois de quase duas semanas a trabalhar no Estádio 11 de Novembro.
Questões relativas com as cobranças, alegadamente feitas pela administração do Estádio construído pelo Executivo, em 2010, por ocasião do CAN, parecem estar na base da troca de palco de preparação do combinado nacional.
Numa altura em que a direcção da Federação faz contas para garantir as melhores condições para  a selecção que vai  competir em Marrocos, Artur de Almeida volta a confrontar-se com mais uma grande contrariedade, uma vez que a Cidadela não reúne as melhores condições se comparar com o Estádio 11 de Novembro e os Coqueiros.
Enquanto isso, ao contrário das duas primeiras semanas, o grupo de trabalho da selecção nacional engordou drasticamente, em virtude dos novos jogadores convocados pelo seleccionador nacional e a \"redenção\" dos atletas do Petro de Luanda, numa altura em que menos se esperava.
À disposição do técnico Srdjan Vasiljevic estão, agora, 33 atletas, quatro jogadores acima do previsto na convocatória. Ou seja, integram os trabalhos os guarda-redes Landu (Interclube), Jotabé (Maquis), Rui (1.º de Maio) e Josué (Kabuscorp), defesas Lunguinha, Nari (Kabuscorp), Mira (Petro de Luanda), Medá ( Real Sambila), Waldez (Interclube), Lito (Académica Lobito), Adilson (Caála), Buchinho (Progresso  do Sambizanga), Jó (Desportivo da Huíla), Tó Carneiro (Interclube) e Depaizo (Libolo); médios Celson Barros (Libolo), Paty (Interclube), Mano Calesso (Kabuscorp), Manguxi (Petro de Luanda), Almeida e Mega (Progresso do Sambizanga), Chiló e Ito (Interclube), Gui (Maquis), Dudu Leite (Caála) e Herenilson (Petro de Luanda) e os avançados Vá e Fofó (Progresso do Sambizanga), Kaporay (1.º de Maio), Bugos (Sagrada Esperança), Moco (Interclube), Job (Petro de Luanda) e Adó Pena (Sagrada Esperança).
Gerson, guarda-redes do Petro, também foi convocado, porém, não integra a preparação por problemas familiares, ao passo que  Wilson integra o grupo a qualquer momento, proveniente de Portugal.

A preparação do combinado nacional está focalizada em exercícios físicos e ensaios técnicos e tácticos, consubstanciados em trabalhos de movimentação colectiva e individual com a bola, circulação, passe e posse do esférico. No CHAN, Angola figura no Grupo D, juntamente com os Camarões, Congo e Burkina Faso, com o qual joga na estreia no dia 16 de Janeiro, no Estádio Adrar, na cidade de Agadir.


Adjunto de Vasiljevic
minimiza ausências

A Selecção Nacional é um projecto nacional aberto a todos os jogadores que se mostrem disponíveis. Quem o diz é Love Cabungula, membro da equipa técnica dos Palancas Negras, durante a abordagem às incidências da preparação com vista à participação no Campeonato Africano das Nações, reservada a jogadores que evoluem nas ligas dos países (CHAN) que está agendada para o período de 13 de Janeiro a 4 de Fevereiro no Reino de Marrocos.
O antigo avançado dos Palancas Negras, hoje nas funções de treinador - adjunto das honras, fez questão de esclarecer o sentimento da equipa técnica em relação às ausências nos trabalhos, de parte de atletas convocados pelo seleccionador Srdjan Vasiljevic.
\"Sendo a selecção nacional uma casa de todos, penso que os jogadores que inicialmente foram seleccionados, quem de facto tiver de vir é bem vindo, como o fizemos com os jogadores do Petro. Pensamos que o grupo que está aqui é o mais importante, afinal, são os jogadores que estão à disposição da equipa técnica. Como podemos ver, todos estão a dar o melhor de si, de formas a dignificarem a confiança que lhes foi depositada\", disse.
\"Demos as boas - vindas aos jogadores do Petro, até porque se trata de um projecto nacional, em que todos os atletas são muito bem - vindos\", acrescentou Love Cabungula.
De acordo ainda com o membro da equipa técnica dos Palancas Negras, os trabalhos decorrem bem \"tal como previsto\", e convida quem esteja com eventual dúvida a observar os níveis de motivação da equipa.
\"Acreditamos, que estamos muito bem encaminhados para o que são os nossos objectivos. O ambiente da selecção é salutar. O pessoal conhece-se muito bem, estamos a trabalhar muito bem sem qualquer problema, temos uma equipa técnica nova, são pessoas de trato fácil e que  harmonizam tão bem o grupo. Desta forma, pensamos que não teremos grandes problemas no que é a interpretação, os métodos de trabalho da equipa técnica\", garantiu.
Love Cabungula garantiu, por outro lado, que os jogadores estão a encaixar perfeitamente as ideias do novo seleccionador. A entrada de jogadores novos, segundo ele, está a ser estimulada pela equipa técnica, razão pela qual justifica a presença no grupo de atletas da selecção de Sub-20.
\"Temos na selecção jovens com potencial, tal como todo o resto de convocados e pensamos que temos um grupo de trabalho muito forte, para fazer uma boa escolha em torno do que serão os 23 jogadores que vão representar o nosso país no CHAN. Todos os jogadores têm qualidades e estão a fazer de tudo de modos a justificar a convocatória\", esclareceu.
PAULO CACULO