Jornal dos Desportos

Director: Matias Adriano
Director Adjunto: Policarpo da Rosa
Futebol

Seleco de sub-17 recebida em festa

Valdia Kambata - 02 de Agosto, 2018

O feito progatgonixado pela seleco de Sub-17 na Cosafa prova que h talentos no paspara novas conquistas no futuro

Fotografia: Edies Novembro

O Presidente da Federação Angolana  de Futebol (FAF), Artur Almeida, afirmou ontem, no aeroporto Internacional 4 de Fevereiro, na cerimónia de recepção à Selecção Nacional de Sub-17, que venceu a inédita Taça Cosafa, ser apenas o começo das muitas conquistas previstas.
O feito, que também qualificou os angolanos para a fase final do Campeonato Africano da categoria, a disputar-se em 2019 na Tanzânia, segundo o dirigente máximo da FAF, orgulha a todos e é fruto do trabalho que está a ser feito em prol da modalidade a todos os níveis.
\" Isto é apenas fruto de um trabalho, que está a começar. Ainda não fizemos nada, pois, é apenas uma conquista e ainda há muito por se fazer. É lógico que é uma grande satisfação para todos nós, para estes jovens e os seus familiares\", enalteceu.
Em relação aos próximos passos rumo ao CAN2019, Artur Almeida  garantiu continuarem a trabalhar, para uma participação que dignifique o país. Revelou existir já um plano, que visa uma presença ao nível da competição e dos objectivos definidos.
\"Vamos trabalhar com o mesmo querer e a mesma força, independentemente das dificuldades, mas os nossos objectivos é fazermos o melhor. Já existe um plano especifico, elaborado pela nossa equipa técnica e vamos procurar, dentro do limite, fazer o nosso trabalho para que nada falte\", esclareceu.
Quanto aos prémios pela conquista do troféu, o responsável máximo do futebol nacional disse não estar contemplado qualquer remuneração, para esta categoria. Contudo, sublinhou que os atletas vão continuar a merecer todo o apoio e carinho da FAF.
\"Em principio, não temos condições para premiar e não está regulamentado qualquer  honorário para este escalão. O que posso garantir é que vamos continuar a trabalhar com os nossos jovens, e dizer que ninguém está a conquistar espaços no nosso futebol pelos prémios, mas servir a nação e o futebol\", salientou.
O presidente da federação aproveitou a ocasião, para enaltecer a postura e o profissionalismo demonstrado pelo jovem Domingos, que mesmo perdendo a sua mãe, efectuou todos os jogos e com a mesma determinação. \"Quero mandar um abraço ao Domingos, que viu a sua mãe partir para a eternidade, mas manteve sempre o profissionalismo\", exaltou.
Por sua vez, o médio ofensivo Osvaldo Capemba, melhor goleador angolano da prova, garantiu que o excelente trabalho em grupo, esteve na base da conquista da taça regional e, consequentemente, o apuramento ao CAN, a disputar-se no próximo ano.
\"O treinador aconselhou-nos sempre a mantermos a união, entrega, orgulho e dedicação, pois, seria muito difícil conquistarmos o torneio se não tivéssemos esta postura\", precisou.
O atleta confessou que a Selecção Nacional, não era tida nem achada, mas, aos poucos, às pessoas começaram a ver os angolanos de outra forma e o grupo acreditava ainda mais, que era possível efectuar uma boa campanha.
\" Quando chegamos ninguém acreditava na nossa equipa, mas felizmente conseguimos vencer todos os jogos e estamos todos muitos felizes pelo feito alcançado\", avançou.


PALANQUINHAS
Angolanos regressam
com dever cumprido

A campanha da Selecção Nacional de Sub-17, na prova disputada nas Ilhas Maurícias, foi a todos os níveis positiva. A par do título colectivo conquistado, os angolanos, a título individual, arrebataram mais dois troféus.
O médio Zito, com um futebol que impressionou pela qualidade, precisão de passe, posicionamento e liderança, foi considerado o melhor jogador do torneio, enquanto Giovani conquistou o troféu de guarda-redes menos batido, com apenas um golo sofrido. Com um semblante do dever cumprido, a chegada na sala de desembarque, os jovens foram aplaudidos pelos presentes, que se mostraram regozijados pela prestação, com destaque para o regresso às competições africanas.Na caminhada para a conquista da Taça Cosafa, os comandos do técnico português Pedro Gonçalves conseguiram um registo 100% vitorioso. Na primeira fase, no Grupo C, deixaram pelo caminho as selecções do Malawi, Suazilândia e Zimbabué, e, nas meias-finais, despacharam os namibianos com um triunfo expressivos de 7-0.