Jornal dos Desportos

Director: Matias Adriano
Director Adjunto: Policarpo da Rosa
Futebol

Sempre sonhei jogar no Girabola

Paulo Caculo - 07 de Setembro, 2019

Jovem formado na Escola de Futebol do Kilamba Kiaxi almeja altos voos na carreira

Fotografia: Jornal dos Desportos

O jovem extremo-esquerdo Simão Mabele, de apenas 19 anos, materializa ao serviço do Ferrovia do Huambo, o sonho de pisar, pela primeira vez, os relvados do Girabola Zap.
Um ano após ter sido cedido, por empréstimo, pelo Progresso Sambizanga ao clube do planalto central, o extremo formado na escolinha de futebol do Kilamba Kiaxi, acabaria por ser determinante no apuramento dos locomotivas ao campeonato nacional.
“Marquei quatro golos, fizemos uma boa época no Provincial e na fase de apuramento ao Girabola Zap 2019/2020. Estou, agora, a viver um sonho antigo, porque sempre esperava jogar no campeonato nacional”, apressou-se a confessar Mabele.
O jogador tinha apenas 12 anos, quando, alimentado pelo sonho de se tornar futebolista, ainda no bairro Golfe 2, impressionava os mais velhos com o seu talento, nos “trumunus” em campos do areal, improvisados com balizas feitas de paus.
“Jogar futebol sempre foi meu sonho. Sempre gostei de assistir os jogos do campeonato e tenho os meus ídolos. Admiro o futebol de Job e do Ary Papel. São bons jogadores. Espero, um dia, chegar ao nível destes atletas”, disse o talento promissor, descoberto em 2016.
Mabele garantiu ter sido muito bem recebido no plantel do Ferrovia, onde diz ter encontrado um grupo de jogadores unidos e que estão comprometidos com a principal causa: trabalhar para manter a equipa no Girabola Zap.
“O que mais nos motiva a prosseguir com o nosso trabalho é a boa época, que fizemos no campeonato provincial e, posteriormente, na segunda divisão. Fizemos subir a equipa para a Primeira Divisão e, agora, o grande objectivo é permanecer no campeonato”, atirou o jovem extremo.
O jogador não poupa elogios ao técnico João Pintar, por acreditar ser o grande “estratega” de todo o sucesso do Ferrovia do Huambo. Destaca a experiência do treinador, audácia e trabalho árduo desenvolvido pela equipa técnica do clube.
Diz estar feliz por fazer parte “de uma equipa humilde”, que “começa a construir a sua história” no campeonato nacional, “à custa de muito trabalho, espírito de luta e entreajuda”.
O jovem considera que foi a lateral esquerdo que começou a dar nas vistas, mas admite ter sido a jogar na posição de extremo esquerdo, que melhor convenceu os técnicos com quem trabalhou e trabalha actualmente. Pessoalmente, diz sentir-se à vontade para jogar em qualquer um dos sectores, pois é polivalente.
“Também faço golos. Aliás, fiz quatro golos durante a fase de apuramento ao Girabola Zap. Sempre fui titular na equipa do Ferrovia e tenho procurado manter a regularidade na equipa, porque a concorrência é enorme”, assegurou Mabele.

DESAFIO
“Vamos ficar no campeonato”


Simão Mabele afirma não ter dúvidas de que o Ferrovia do Huambo vai concretizar o objectivo de permanecer vários anos no Girabola Zap. Sustenta o seu optimismo com o facto de haver uma aposta séria da direcção, equipa técnica e colectivo de jogadores.
“Esse é o grande objectivo. Estamos no campeonato para ficar. Sabemos que não será fácil, porque o Girabola Zap é uma competição muito difícil. Esperamos, apenas, que continuem os apoios à nossa equipa, de formas a que possamos cumprir com os nossos objectivos. Quero ajudar o Ferrovia a manter-se na primeira divisão”, assegurou.
O jogador concorda que a equipa não teve um bom começo de campeonato. Mas, admite ele, as derrotas com o Cuando Cubango FC e Interclube já foram digeridas pelo plantel, que projecta uma boa resposta na próxima jornada, diante do 1.º de Agosto, em Luanda.
“Temos jogos muito complicados. Mas vamos recuperar a nossa posição no campeonato. As primeiras jornadas não correram bem. Estamos confiantes no sucesso da equipa neste campeonato. Queremos justificar, da melhor forma, a nossa presença entre os melhores do Girabola Zap”.
O grande sonho de Mabele, segundo ele, é atingir o estrelato no Girabola Zap, ser uma referência entre os jovens futebolistas promissores em Angola, chegar à selecção nacional e ganhar muitos títulos individuais e colectivos.
O jogador confessou, ao nosso jornal, estar extremamente focado no sucesso da carreira. Mas, para tal, acredita que os êxitos a serem alcançados no futuro, com a camisola do Ferrovia do Huambo, serão determinantes para que goze da visibilidade necessária.
“Todos temos de começar por algum lado e eu comecei pelo Ferrovia. Mas devo todo este meu curto percurso à Escola de futebol do Kilamba Kiaxi, que me permitiu iniciar no futebol. No Progresso Sambizanga dei os passos necessários, embora não tive as oportunidades que esperava para brilhar”, referiu.
Mabele sustenta que quer crescer enquanto futebolista e alcançar outros patamares na carreira, de preferência com a camisola de um clube grande do Girabola Zap.
“Qualquer futebolista sonha chegar à selecção nacional. Eu não fujo à regra. Quero sempre muito mais. O meu grande sonho é jogar fora do país, numa equipa de nível mundial”, desejou Mabele.