Jornal dos Desportos

Director: Matias Adriano
Director Adjunto: Policarpo da Rosa
Futebol

Soares indiferente ao sucesso da equia

Benigno Narciso-Lubango - 14 de Dezembro, 2017

Responsvel tcnico do Desportivo promete aperfeioar qualidades tcnicas

Fotografia: Jos Soares |Edies Novembro

O treinador do Clube Desportivo da Huíla (CDH), Mário Soares, rejeitou que o êxito da equipa militar da Região Sul no Girabola Zap 2017,em que ocupou a honrosa sétima posição na tabela de classificação com 40 pontos, altere a personalidade, conduta social, profissional e atitude.
“Continuo a ser a mesma pessoa, dedicada ao trabalho, defendo principalmente as minhas ideias. Os resultas apareceram como fruto do trabalho, que começamos no início da época. Colhemos os frutos do nosso trabalho, da dedicação, da nossa entrega e compreensão dos atletas. Isso, não pode obrigar-me a mudar de comportamento, de atitude, ou deixar de ser o Mário Soares”, refutou.
O treinador deve manter-se no comando técnico da equipa na próxima época, assegurou que o quadro técnico da formação afecta à Região Militar Sul procurou moldar, desde o início do campeonato, um conjunto capaz de lutar por resultados positivos, jornada após jornada.
Reforçou que a campanha do Desportivo na prova “baseou-se” no princípio de pensar um jogo de cada vez, premissa maximizada com a vantagem dos atletas terem interiorizado da melhor maneira as suas obrigações e responsabilidades, dentro e fora dos campos.
“Desde os primeiros dias de treinos, queríamos e tentámos moldar uma equipa que fizesse bons resultados, de jornada a jornada, e tivemos um princípio: pensar de jogo a jogo. Creio que nessa forma de pensar, a garotada compenetrou-se das suas obrigações e responsabilidades. Não ver a pontuação que podia ser alcançada, porque essas contas são feitas no fim, mas olhar para o que se pudesse fazer no jogo imediato, ou melhor, no jogo da semana. E, resultou”, relatou Mário Soares.
Humilde e focado nas ambições futuras, Mário Soares revelou estar ciente de que o futebol é uma ciência e é dinâmico. Neste sentido, referiu que o treinador tem como  imperativo aprender todos os dias, pois só assim, se elevam aos níveis de capacidade necessários para encontrar soluções práticas e científicas, aspectos que se repercutem em resultados positivos no campo.
“O futebol é hoje ciência, é dinâmico. Temos de aprender todos os dias, procurar solução para este e aquele problema, tanto em termos práticos e como científicos. Interagir com os colegas de profissão, procurar as melhores soluções para que os atletas absorvam, e isso espelhar-se em resultados positivos”, disse.