Jornal dos Desportos

Director: Matias Adriano
Director Adjunto: Policarpo da Rosa
Futebol

Sofrer para sorrir no fim

Jorge Neto - 28 de Julho, 2018

Militares ontem acreditaram sempre que era possvel fazer a reviravolta, por 2-1, diante do Zesco United

O público presente ontem no estádio 11 de Novembro - mesmo o que seguiu à distância - vibrou o, ao rubro, com o golo marcado por Bobó aos 97´, ditando a vitória do 1º de Agosto, por 2-1, diante do Zesco United, porque teve de acreditar para fazer a reviravolta, depois de estar em desvantagem no marcador. O zambiano Chingando adiantou a sua formação no placar e  Geraldo igualou aos 89´.
 Foi uma ponta final imprópria para cardíacos, pois, os militares deram o mote quando menos se esperava. O jogo iniciou com as equipas predispostas a marcarem cedo. Os agostinos queriam fazer jus ao factor casa, enquanto os visitantes não se intimidaram e criaram igualmente situações de perigo para a baliza de Tony Cabaça. 
O técnico Zoran Maki deixou no banco Geraldo e Buá mas, ainda assim, os bicampeões nacionais tiveram como dinamizadores nas acções ofensivas Mongo e Razaq, que quase chegaram ao golo, não fosse a intervenção do guarda-redes Jacob Banda ou a má finalização do avançado nigeriano.
Os militares, de facto, acabaram por tomar  às rédeas do desafio e criaram oportunidades para  adiantar-se no marcador, mas pecavam na finalização, uma situação já demonstrada em outros jogos, que ontem não se adequava, a julgar pelas ambições do 1º de Agosto nesta competição. Aliás, apenas a vitória interessava, daí a postura ofensiva adoptada pelo conjunto rubro e negro.
O jogo ganhou um bom ritmo, os zambianos responderam na mesma moeda, com jogadas que chegaram a criar calafrios ao último reduto dos agostinos, mas Tony Cabaça transmitiu confiança aos seus colegas aos remates dos adversários.
O intervalo chegou com o nulo no marcador a penalizar mais a formação angolana que não conseguiu traduzir em golos as várias oportunidades durante os primeiros quarenta e cinco minutos do desafio.

2ª PARTE
No regresso dos balneários os zambianos entraram melhor e quase festejaram o golo, mas novamente a atenção de Tony Cabaça foi fundamental para anular a jogada de bastante perigo para a sua baliza. Vendo que as coisas não corriam como esperava, o técnico sérvio fez entrar Geraldo e Buá para os lugares de Jacques e Mongo, com o intuito de alterar o rumo dos acontecimentos.
Os zambianos mostraram sempre ser uma equipa bem organizada e que sabia o que queria em campo, daí terem inaugurado o marcador aos 67´, por Chingando, num remate de fora da área, após Isaac perder a bola, quando os militares estavam balanceados para o ataque. Com a vantagem, os \"electricistas\", designação do Zesco United cresceram no jogo e chegaram a incomodar mais a defesa angolana.
A desvantagem em nada servia as ambições dos bicampeões, pois seria a confirmação de falhar a qualificação nos quartos-de-final desta competição, continuando na última posição quando faltam apenas duas jornadas. Todavia, Geraldo encarregou-se de igualar o desafio aos 89´, dando um forte alento, que foi bem aproveitado por Bobó, aos 97´, ou seja, no período de compensação. Com isso, os agostinos continuam na corrida para o apuramento.


ARBITRAGEM
\"Bom trabalho\"

O trabalho do árbitro Bernard Camille (Seychelles) não teve influência no resultado final. Controlou o desafio e mostrou apenas duas cartolinas amarelas no primeiro tempo, como prova do bom comportamento que os jogadores demonstraram neste período. Acompanhou de perto as jogadas e apitou de tal modo que quase nem se notou a sua presença em campo.

MELHOR EM CAMPO
\"Bobó decidiu\"

Ao marcar o golo que ditou a vitória do 1º de Agosto diante do Zesco United ontem, o defesa-central Bobó destacou-se no conjunto militar. O experiente jogador foi fundamental para o triunfo dos militares, ajudando a sua equipa a conseguir o resultado que projectou para este desafio. Depois de falhar na marcação do golo sofrido Bobó sempre acreditou e nos minutos finais resolveu o jogo com a \"cabeça fria\".

ZORAM MAKI 1º de Agosto
\"Os jogadores estão de parabéns\"

\"Foi um jogo muito difícil, sabíamos que seria assim, mas criamos oportunidades no primeiro tempo para marcar e encarar o desafio mais tranquilos. Não conseguimos concretizar no primeiro tempo para marcar e encarar o desafio mais tranquilos. Não conseguimos concretizar e o futebol é mesmo assim, o adversário marcou, mas não e o futebol é mesmo assim, o adversário marcou, mas não desta.\"Foi um jogo muito difícil, sabíamos que seria assim, mas criamos oportunidades não desistimos, acreditamos que seria possível, arriscamos e felizmente conseguimos a vitória, que é muito importante para as nossas aspirações nesta competição. Os jogadores estão de parabéns\".


GEORGE  LWANDAMINA Zesco United
\"Nunca pensamos em perder o jogo\"

\"Fizemos um bom jogo e tínhamos quase tudo sobre o nosso controlo. Sabíamos que o adversário estava em casa e que seria muito difícil para nós, mas naturalmente queríamos vencer e chegamos a ter vantagem. Nunca pensamos que iríamos perder este jogo porque era muito importante para nós, tendo em conta os nossos objectivos. O 1º de Agosto foi um digno adversário e ganhou bem\".