Jornal dos Desportos

Director: Matias Adriano
Director Adjunto: Policarpo da Rosa
Futebol

Sporting corre atrás de dinheiro

Betumeleano Ferrão - 05 de Fevereiro, 2018

Direcção do clube pede aos atletas para empenharem-se ao máximo ao longo do campeonato para motivarem os patrocinadores

Fotografia: António Soares

O Sporting de Cabinda definiu a permanência no campeonato nacional da primeira divisão como o objectivo principal, assegurou em entrevista ao Jornal dos Desportos, o presidente do clube, Manuel Coelho.
O dirigente leonino defendeu que para atingir a meta, dependia da componente financeira. Sem avançar valores, revelou que a depreciação financeira é neste momento, o primeiro adversário.
\"Dificilmente avanço números, por causa da depreciação que a nossa moeda está a sofrer, se conseguirmos 275 milhões de kwanzas pode ser suficiente para estarmos satisfeitos\", declarou.
As mudanças inesperadas no calendário do futebol africano e nacional, apanhou os leões em contramão. Ainda assim, a direcção promete correr contra o tempo, para evitar que o dinheiro se torne no obstáculo mais perigoso do campeonato.
\"O grande problema aqui, não é ter um orçamento, porque nós fizemos o nosso orçamento com antecedência. A questão, agora, é conseguir esse financiamento dentro dos prazos que queremos\", afirmou Manuel Coelho.
O Sporting de Cabinda está em sintonia com o seu patrocinador e com o governo local, pelo que o presidente de direcção mostra-se esperançado em ver a questão resolvida nos próximos dias. 
\"Estamos a conversar para encontrar a melhor solução. Para nós, o mais importante é conseguir o dinheiro e adequar os gastos à nova realidade que surgiu, a ideia é sempre diminuir os custos da participação no campeonato\", esclareceu.
O clube espera dos patrocinadores o cumprimento da promessa, o dirigente anseia ver o plantel  corresponder dentro das quatro linhas, para que quem disponibilizar os valores não se arrependa.
\"A nossa preparação decorre sem sobressaltos. É verdade que começámos mais tarde que o previsto, mas vamos fazer a nossa parte, para merecer os apoios de que necessitamos\", garantiu.
 A inesperada alteração do calendário futebolístico nacional, afectou em demasia os leões, que é o único dos 16 competidores  impossibilitado de viajar por estrada.
\"Infelizmente, a localização da nossa província não nos ajuda, porque não temos  alternativa, só temos o avião por opção. Como se vê, não é uma situação viável para nós, temos de gastar sempre em passagens aéreas\", deplorou.
O Girabola ZAP ficou mais curto, vai exigir mais esforço físico e financeiro dos clubes. O presidente Manuel Coelho afirmou que a sua equipa foi das que não tem alternativa, senão aceitar o voto da maioria.
\"A decisão foi o resultado do consenso a que se chegou,  para nós um campeonato em séries ou nos moldes actuais, dá no mesmo. Nós tínhamos de viajar sempre de avião, então, é na mesma dispendioso para nós. Nenhum cenário que se propôs nos ia beneficiar\", concluiu.