Jornal dos Desportos

Director: Matias Adriano
Director Adjunto: Policarpo da Rosa
Futebol

Tala Hady acusa Associação

Jorge Neto - 06 de Março, 2017

Decisões parciais acontecem na instituição que rege o futebol luandense de Velhas Guardas

Fotografia: José Soares, Edições Nouvembro

A direcção do clube das Velhas Guardas do Tala Hady, acusa a Associação Provincial de Futebol das Velhas Guardas de Luanda, de ser parcial na tomada de decisão de casos, que estão sob a sua jurisdição.
 
O presidente do referido clube, Arlindo Pedro, manifestou o seu descontentamento, ontem, ao Jornal dos Desportos, pela forma como os dirigentes associativos tomam partido nas decisões de protestos, que opõem as duas formações, por também estarem envolvidos nos clubes em causa.De acordo com o interlocutor, as decisões parciais há muito que acontecem naquela instituição que rege o futebol luandense de Velhas Guardas, e que há poucos dias um caso fez entornar o caldo.

O caso começou a ser construído no torneio que decorria em 2016, denominado Campeonato Provincial de Futebol de Velhas Guardas (CARRS), organizado pela Associação Provincial que foi interrompido para dar início ao Torneio Vigília/Ana Samba 14ª edição, de 2017, em que o castigo de um jogador da equipa do Tala Hady resultou em protesto, pelas Velhas Guardas do Rangel, por utilizar a posterior no torneio, que não tinha terminado em 2016.

Segundo o presidente das Velhas Guardas do Tala Hady, Arlindo Pedro, os regulamentos não eram claros em relação a isso, e a Associação Provincial numa reunião técnica, sem competência para o efeito, introduziu um ponto nos regulamentos e deliberou que \"doravante os castigos aplicados aos atletas em torneios findos, sejam cumpridos nas competições a seguir\".

O dirigente é de opinião, que o ponto em causa não está relacionado com o caso do seu atleta, por tratar-se de um castigo que devia ser cumprido numa competição, por se disputar e não em uma que já tinha dado início, mas faltava concluir.

IMPUGNAÇÃO
Recurso apresentado suscita uma resposta


As Velhas Guardas do Tala Hady apresentou o recurso a Associação Provincial e aguarda por um resultado favorável, defendendo a verdade desportiva.Arlindo Pedro acusa os dirigentes da associação de desempenharem papéis duplos, ou seja, no clube e na instituição que dirige o futebol de Velhas Guardas em Luanda, cita como exemplo, o senhor Cubila, vice-presidente da Associação Provincial e dirigente da equipa das Velhas do Rangel.

O número \"um\" da direcção das Velhas Guardas do Tala Hady não entende como é que a associação tendo um Conselho Jurisdicional e de Disciplina, solicitam um consultor designado Jordan Coelho, filiado a Federação Angolana de Futebol, por ser ele quem fez a nova direcção da associação tomar posse.

\"Jogámos e goleamos a formação das Velhas Guardas do Rangel, por 4-0, no sábado antepassado, referente aos quartos-de-final do Torneio Vigilha/Ana Samba, 14ª edição, de 2017, e nos vimos confrontado com um protesto do nosso adversário que alegava que nós havíamos utilizado ilegalmente um jogador castigado.

 A intenção do adversária era reverter a derrota na secretária. Infelizmente a associação acabou por considerar o protesto válido, sendo nós os eliminados da prova, traduzindo-se numa grande injustiça\", disse o presidente das Velhas Guardas do Tala Hadey.