Jornal dos Desportos

Director: Matias Adriano
Director Adjunto: Policarpo da Rosa
Futebol

Talent Spy busca mais parceiros no pas

03 de Dezembro, 2017

bom saber que j h preocupao, em alguns clubes de criar um departamento de scouting e informaes, algo que antes no existia", concluiu Pedro Vital.

Fotografia: Jo Cola, Edies Novembro

O futebol angolano ambiciona novos incentivos, esse é o motivo principal por que o projecto Talent Spy está a tentar se juntar aos clubes nacionais para atingir as novas metas preconizadas, assegurou Pedro Vital, gestor de produtos da referida instituição.
\"Nós queremos ser parceiros para ajudar no processo evolutivo que se pretende. Pretendemos que contem também connosco para chegar aonde se pretende\", assegurou em entrevista ao Jornal dos Desportos a entidade acima citada.
A porta de oportunidade está a abrir-se aos poucos para a Talent Spy, e enquanto esperam pelos resultados finais, o projecto futebolístico quer mostrar aos futuros parceiros o que de novo tem para contribuir para a mudança. \"Queremos que olhem para nós e estamos a apresentar as soluções que temos para Angola\", afirmou.
Presente em mais de 100 países, Pedro Vital, revelou que a intenção, se necessário for, passa por adaptar muito do que viu, a realidade angolana, pois em alguns casos há similaridades.
 \"O objectivo é usar também aqui a experiência e a maturidade que adquirimos em todos os sítios em que estamos representados. Achamos que podemos contribuir com a nossa experiência para ajudar, lá onde for possível\", vaticinou.
O Petro de Luanda, Sagrada Esperança e AFA são alguns dos parceiros que a Talent Spy conseguiu no futebol nacional, mas o gestor de produtos mostrou-se convicto de que com o passar do tempo outros clubes podem aceitar colaborar com o projecto.
\"Nesse momento, estamos em fase de negociações com mais outros clubes, queremos dar o nosso cunho, contribuir com a nossa experiência para que se possa fazer esse caminho evolutivo que se quer atingir\", garantiu.
Algumas das ferramentas que a Talent Spy trouxe não estavam em uso no futebol nacional, ainda assim um ou outro clube sabia da sua existência, mas grosso modo não se sabia do que se tratava.
\"Quando há 3 anos me contactaram para vir a Angola deu para descobrir que o scouting ainda era desconhecido, porque as equipas nem sequer tinham este departamento. Não tinham profissionais qualificados, já que chegamos a dar uma formação e o que constatamos agora é que as coisas já estão a mudar um pouco. Existem coisas que introduzimos e que foram bem assimiladas\", enalteceu.
A Talent Spy diz ter mais outras ideias inovadoras para partilhar com os seus parceiros angolanos, a medida que as coisas começarem a ser postas em prática, novos ventos vão começar a \'soprar\' nos clubes que aceitaram  abraçar o projecto.
\"Há alguns conhecimentos que temos e que aos poucos estamos a transmitir, mas nem tudo vai ser feito de uma só vez porque o que interessa é que as coisas sejam feitas. É bom saber que já há preocupação, em alguns clubes de criar um departamento de scouting e informações, algo que antes não existia\", concluiu Pedro Vital.

EM 2018
Organização aposta na inovação

Pedro Vital assegurou que se nada de anormal acontecer, em 2018 pode realizar-se o III Congresso de Futebol. Afirmou que em princípio, os organizadores devem ser os mesmos, contudo, o gestor de produtos da Talent Spy garantiu que a temática e os exemplos podem ser outros.
\"Já estamos a trabalhar nisso, vai ser uma espécie de continuidade ao que temos vindo a fazer, mas posso adiantar com antecedência que os novos temas vão ser lançados em discussão, em função do que temos vindo a realizar aqui\", sublinhou Pedro Vital.
A intenção é aceitar fazer parte da organização de congressos e trazer coisas novas ao futebol angolano, o nosso entrevistado lembrou que o primeiro evento, realizado o ano passado, nada teve a ver com o que aconteceu em Novembro.
\"A principal diferença acabou por ser essa, trouxemos temas que acrescentaram mais informações a quem assistiu o evento. Quem esteve presente nas duas ocasiões é capaz de concordar connosco porque agora os painéis, dessa vez não falaram só de scouting\", recordou.
Afirmou que a presença de pessoas com capacidade para falarem com propriedade dos temas que lhes foi atribuído bem como aqueles que por qualquer motivo não estavam presentes, honraram o compromisso assumido.
\"Tivemos pessoas novas, como o coordenador jurídico do FC do Porto, um treinador da Federação Espanhola, e outros que não vieram, mas participaram por Skype e acrescentaram valores a discussão\", argumentou.

II CONGRESSO
“Valorizamos a AFA
e os outros clubes”


O II Congresso de Futebol que decorreu o mês passado em Luanda deu destaque a AFA apenas pelo facto do clube do Morro Bento ter sido um parceiro no evento, esclareceu Vital.
A organização do congresso decidiu dar destaque ao que é feito naquela academia. Contudo, esclareceu que para a Talent Spy o futebol angolano é muito mais amplo. \"Valorizamos a AFA e o trabalho que faz, assim como os outros clubes ligados a formação\", garantiu.
A ideia de realizar o segundo congresso acabou por ser conjunta, FAF, F3M, Talent Spy, Macrosport e AFA, pelo que a decisão de abordar o tema \"Projecto AFA\" também acabou por ser colectiva. \"Foi por ser co-organizador que demos destaque ao que tem feito, mas sem passar um outro tipo de ideia\", defendeu.
A Talent Spy chegou há 3 anos ao futebol angolano para tentar cooperar com todos os interessados nos seus projectos e a AFA foi a primeira porta que se abriu, porém, há outros interessados que seguiram o mesmo exemplo.
\"Nós estamos atentos ao que é feito na formação dos clubes e são poucos ainda os que aceitaram as nossas ferramentas, mas quero destacar aqui o Petro de Luanda e o Sagrada Esperança, dois clubes nos quais já fizemos trabalhamos ligados a formação. A AFA foi a primeira a utilizar as nossas ferramentas, mas nesse momento não é o único\", garantiu.