Jornal dos Desportos

Director: Matias Adriano
Director Adjunto: Policarpo da Rosa
Futebol

Técnico Vaz Pinto prepara jogos em atraso

Augusto Panzo - 16 de Julho, 2017

Treinador confia na qualidade e capacidade técnica da sua equipa

Fotografia: VIGAS DA PURIFICAÇÃO| Edições Novembro

Depois de terminar a primeira fase da Taça da Confederação com uma vitória e aguarda pelo veredicto da CAF para conhecer a sua sorte na competição, face ao cenário criado com a suspensão do Sudão pela FIFA, o técnico do Recreativo do Libolo centraliza agora as atenções no Girabola.

Vaz Pinto disse em entrevista ao Jornal dos Desportos que a primazia neste momento é para as provas nacionais e pretende tirar melhor proveito dos jogos que tem em atraso, com o fito de encurtar as distâncias em relação aos outros concorrentes.

"Bem, cumprimos com o que nos cabia fazer nas Afrotaças.

Agora daqui para frente vamos virar as nossas baterias para o Girabola Zap, onde os nossos objectivos passam por diminuir a distância em relação aos outros clubes que se encontram no topo da classificação", começou por afirmar o treinador do clube de Calulo.

Apesar de confiante da capacidade da sua equipa, o técnico tem consciência de que a tarefa não será fácil, tendo em conta que os referidos concorrentes também estarão atentos a esse factor que se apresenta favorável ao Libolo.

"Sabemos que temos agora três jogos de atraso em relação aos outros concorrentes, então será muito bom que aproveitemos melhor esses jogos em atraso. Vai ser difícil, até porque quando os adversários estão com mais um jogo, acabam por dizer que todas as equipas estão em vantagem acrescida. Então nós que temos três jogos em atraso, o que diremos?", interrogou-se Vaz Pinto.

"O que nós temos a fazer é diminuir a distância, pensando jogo a jogo, de modo que possamos também ter uma satisfação com o desempenho da equipa nessa competição de formas a fazermos boas contas no final", assegurou.

Quinto classificado da tabela geral, o Recreativo do Libolo tem três jogos em atraso no Girabola Zap 2017, devido ao seu engajamento na primeira fase da Taça da Confederação, nomeadamente diante do Interclube, Petro de Luanda e 1º de Maio de Benguela.

Em 16 partidas que disputou, a formação libolense tem uma diferença pontual de 11 pontos, (até a disputa da 20ª jornada) diante do líder 1º de Agosto (41/30), sete pontos do Petro, o segundo classificado (37/30) e a cinco e quatro do terceiro e do quarto classificados (35/34/30).

Em caso de vitória nos três jogos que lhe restam por disputar, o Recreativo do Libolo poderá atingir a cifra de 39 pontos, pode reduzir a diferença para dois, em relação ao actual líder.


QUALIFICAÇÃO
“O feito orgulha
a Nação angolana”


A possível qualificação do Recreativo do Libolo abre boas perspectivas ao futebol nacional, já que Angola pode voltar a colocar quatro representantes nas próximas Afrotaças, facto que Vaz Pinto considera um orgulho para toda a Nação. 

"Obviamente que este apuramento aos quartos-de-final é uma grande alegria para todos nós, porque esse não é apenas um orgulho do Libolo, mas também para Angola porque acabámos de dignificar o país", recordou.

Reiterou que o feito alcançado deixa o país numa posição de prestigio. "É muito importante, porque o feito alcançado pelo Libolo acaba de abrir caminho para que Angola possa recuperar a posição de colocar os quatro representantes nas competições da CAF", sublinhou.

      "Os próprios jogadores sabiam dessa responsabilidade, porque a última equipa a chegar nesta fase foi o Interclube e há muito tempo as equipas angolanas não conseguiam entrar na fase de grupos", lembrou.

O treinador do Libolo corroborou da ideia de que isso terá pesado muito na mente dos jogadores, a julgar pela forma como se apresentaram no desafio com o Smouha do Egipto. "Provavelmente isso terá pesado na mente dos meus jogadores. Se calhar foi por isso que eles se apresentaram daquela forma no jogo com o Smouha", admitiu.

"Sabiam da necessidade de se passar à outra fase, o que a acontecer, poderia facilitar o país a colocar mais representantes nas competições africanas. Daí, que a responsabilidade tenha afectado provavelmente a psique dos jogadores, provocando a inibição durante o jogo, pois, sabiam que poderiam fazer a história", rematou.

Sobre a motivação dos atletas, o treinador do Recreativo do Libolo revela que ela é alta, mas reconhece que há muito por se fazer para manter intacto os objectivos traçados para esta época.

"A motivação é grande, mas temos que melhorar. Temos que olhar para as dificuldades que tivemos neste jogo e fazer delas a referência para os nossos trabalhos diários, de modo que a diferença que possa haver entre outros adversários seja diminuída", reconheceu.


OPTIMISMO
Treinador promete surpresas ao TP Mazembe


O respeito pelo TP Mazembe nas Afrotaças é um facto incontornável, conforme o reconheceu o treinador Vaz Pinto ao Jornal dos Desportos, (entrevista concedida antes do levantamento da suspensão do Sudão) mas deixa um claro recado aos companheiros da caminhada, de que o Recreativo do Libolo vai entrar nos "quartos" com os pés bem assentes no chão.

"Temos um respeito pelo adversário, mas não o tememos porque agora temos de passar jogo a jogo, pois, quem chega à fase de grupos e passa para os quartos-de-final, merece sonhar ir mais além, mas com os pés bem assentes no chão",  realçou.

O treinador apontou a humildade como sendo uma arma fundamental para o grupo, de maneira que o Libolo continue a sonhar em função do real valor dos adversários.

"É importante sermos humildes. Temos consciência do real valor da nossa equipa e o real valor dos adversários. E se de facto continuarmos a ser humildes, havemos de continuar a nossa caminhada para bem do Recreativo do Libolo", contou.

Outrossim, Vaz Pinto tem já os olhos postos no TP Mazembe, próxmo adversário, equipa que considera de peso, com um certo prestígio na prova e com boas performances nas competições africanas.

"No ranking anunciado em Junho último pela Confederação Africana de Futebol (CAF), o TP Mazembe era líder. É o número um dos clubes em África, no que toca às performances nas competições continentais. Este é um facto a reter", referiu.

Contudo, deixou o recado de que a sua equipa vai trabalhar em todos os aspectos, no intuito de tentar contrariar esse favoritismo imediato que se atribui ao TP Mazembe.

"Sem dúvidas, o TP Mazembe é uma equipa que dispensa apresentações em África, mas ao longo dessa fase de grupos da Taça da Confederação ficou demonstrado que nem sempre aquele que é mais cotado, acaba por seguir em frente", lembrou.
 
Ainda assim, Vaz Pinto pensa que apesar do favoritismo que recair sobre o TP Mazembe, não descarta a possibilidade do Libolo fazer boa figura na Taça da Confederação.

"Sabemos que é um adversário de muita qualidade, grande nível e difícil quando joga no seu estádio. Isso exige de nós todo o cuidado necessário, mas não está posta de parte a hipótese da sua equipa fazer boa figura nessa prova", garantiu.

O treinador do Libolo revelou que pretende nos próximos dias recolher todas as informações possíveis do adversário para começar a trabalhar ao pormenor na estratégia a implantar na eliminatória.

"Vamos ter tempo de analisar o adversário e preparar esses jogos um pouco mais à frente, recolher todas as informações possíveis e todos os dados sobre os jogos que efectuou, de modo a que possamos estar melhor preparados ainda", recomendou o técnico.