Jornal dos Desportos

Director: Matias Adriano
Director Adjunto: Policarpo da Rosa
Futebol

Tcnico atribui fracasso falta de ritmo e eficcia

Paulo Caculo - 05 de Agosto, 2019

Seleco Nacional falha a presena em mais uma fase final da competio para atletas que jogam no continente

Fotografia: M. MACHANGONGO | Edies Novembro

O afastamento prematuro da Selecção Nacional de honras das eliminatórias de acesso à fase final do CHAN do próximo ano, na Etiópia, resultou do facto dos jogadores estarem sem ritmo competitivo. Foi desta forma que o técnico José Silvestre Pelé justificou o fracasso de Angola, no embate com o conjunto de  e-Swatini.A inesperada derrota, aos pénaltis, após uma persistente igualdade a uma bola (1-1), aliás, resultado conseguido no jogo da primeira mão, no terreno do adversário, contrariou, em absoluto, as expectativas geradas na véspera do desafio. 

Para lograr o apuramento à última fase de disputa da corrida ao CHAN da Etiópia, exigia-se que os Palancas Negras fossem capazes, no mínimo, de evitar que o adversário marcasse um golo. Uma igualdade sem golos era suficiente para colocar a Selecção Nacional na última etapa das eliminatórias.“A equipa começou bem o jogo. Marcámos primeiro, mas a equipa adversária agigantou-se, empatou o jogo e nos pénaltis, venceu a eliminatória. Sentimos que houve uma quebra nos atletas”, lamentou. 

Sublinhou que “vocês sabem que o Girabola ainda não começou, por isso, os jogadores estão sem ritmo. Foi um jogo bastante disputado. Os atletas entregaram-se bem”, justificou-se Silvestre Pelé no final do jogo de sábado à noite, que se disputou no Estádio dos Coqueiros.Como se não bastasse a alegada ausência de ritmo competitivo, o seleccionador elegeu, também, a falta de concentração e eficácia ofensiva,  como aspectos que influenciaram negativamente na queda prematura de Angola nas eliminatórias.

O conjunto nacional adiantou-se no marcador aos 42 minutos, por intermédio de Caranga, mas revelou-se incapaz de segurar a vantagem, consentiu o golo da igualdade, resultado que obrigou que se recorresse ao desempate, através da cobrança de grandes penalidades. Por outro lado, o técnico da selecção nacional e-Swatini, Kosta Papic, afirmou que a vitória diante da similar de Angola, no jogo da segunda "mão" da penúltima eliminatória de acesso à fase final do CHAN'2020, foi sofrida. 

“Foi uma vitória difícil, em que as duas selecções deram o melhor de si, para seguirem em frente na eliminatória", reconheceu, destacou o facto de apenas uma das equipas tinha de seguir em frente e aguardar o próximo adversário. Kosta Papic salientou,  que conseguiu ombrear  com o adversário, e nas penalidades os seus jogadores foram mais eficientes na finalização, garantiram  o apuramento da sua equipa. “Os meus atletas foram mais concentrados e mais felizes. Estamos todos de parabéns”, salientou.