Jornal dos Desportos

Director: Matias Adriano
Director Adjunto: Policarpo da Rosa
Futebol

Técnico pronto para novo desafio

Manuel Neto - 15 de Janeiro, 2017

Hélder Teixeira assume compromisso de colocar os proletários no Girabola em 2018

Fotografia: Jornal dos Desportos

A direcção do 1º de Maio de Benguela está apostada em regressar ao escalão maior do futebol nacional em 2018. Depois de mais uma despromoção no Girabola, os proletárias definiram os objectivos para época que se aproxima.

A equipa abriu as oficinas na passada quarta-feira, no Estádio Municipal de Benguela, com  a primeira fase de trabalhos incidir na recuperação física dos atletas.

O treinador principal da equipa da Rua Domingos do Ò, Hélder Teixeira, disse ao Jornal dos Desportos estarem criadas as mínimas condições de trabalho para a tarefa que tem pela frente, cujo objectivo principal é o regresso ao Girabola 2018.

"A direcção colocou a disposição do grupo as condições  possíveis e acho que com os parcos recursos que temos vamos tudo fazer no sentido de regressar ao escalão máximo do futebol nacional", anunciou.

"Temos de nos unir cada vez mais com um único pensamento, enfrentar todos os adversários com o objectivo de vencermos, porque só desta forma  conseguiremos atingir os nossos objectivos", destacou.

O técnico sublinhou que não obstante ter poucos reforços para a época que se avizinha, acredita que o plantel que possui dá garantias para o cumprimento dos objectivos que se propõem.

Admitiu fazer da gestão eficiente do grupo um dos trunfos para o sucesso, quer no campeonato provincial quer no zonal de apuramento ao próximo Girabola.

"Sabem que as equipas quando não estão no Girabola têm poucas as hipóteses de conseguirem  reforços, por isso, vamos procurar fazer uma melhor gestão do nosso plantel", reconheceu.

"Estamos certos que perdemos alguns jogadores importantes da equipa, realce para o atacante Filipe que foi o melhor marcador da equipa, ainda assim, temos um núcleo de atletas com alguma experiência e com quem podemos confiar", disse o técnico.

Dos reforços contratados para o provincial que arranca no dia 26 de Fevereiro destacam-se o lateral direito Fenidi (ex- Recreativo da Caála) e o guarda-redes Vani (ex- Académica do Lobito).


REGRESSO
Público solidário com plantel proletário


Hélder Teixeira assegurou que o público amante do futebol em Benguela continua de mãos dadas com o 1º de Maio de Benguela.

Confessou que o facto de a equipa ter sido despromovida tornou o grupo mais forte e unido em busca de um propósito que satisfaça e orgulha todos aqueles que creditam nas capacidades do plantel.

"Muitos pensavam que pelo facto de a nossa equipa ter descido de divisão seria um grande motivo para estarmos dissociados do nosso público, pelo contrário estamos cada vez mais unidos", aclarou.

Confiante na superação das dificuldades e torna-las o sucesso do amanhã, afirmou que a sociedade benguelense e não só estão cientes que a equipa não tinha plantel para grandes desafios.

" Por terem concluído que a equipa não tinha um plantel a altura para o Girabola, hoje este público benguelense  amante ferrenho do futebol não nos deixa isolado, motivos que nos alegra bastante todos os dias", assegurou.

Hélder Teixeira adiantou que o calor que recebe das pessoas incentiva-o a esforçar-se cada vez mais em prol do grupo de trabalho e colocar a equipa no lugar que lhe é devido.

"O 1º de Maio é uma equipa com tradição no futebol nacional e arrasta multidão que pressiona no bom sentido o grupo para a vitória. Os atletas vêem-se obrigada a dar o seu máximo em gesto de agradecimento do carinho e o amor que nutrem ao clube", disse.


DESAFIO
“Vamos nos redimir
de tudo que passámos”


Contratado na segunda volta do Girabola Zap 2016 com o fito de manter a equipa na I divisão, Hélder Teixeira, avaliou a época passada como de triste memória para a sua carreira e dos proletários.

" Como profissional não gostei do sucedido, por isso, vamos lutar com todas as armas no sentido de nos redimirmos de tudo que aconteceu", prometeu a massa associativa.

O antigo guarda-redes do Petro de Luanda e dos Palancas Negras disse que não obstante o passado infeliz que os proletários viveram, o moral do grupo continua na mó de cima rumos decididos a alcançarem os objectivos traçados para este ano.

"Além de sermos treinador temos também a responsabilidade de fazemos o trabalho psicólogo, um aspecto importante para quem trabalha, sobretudo em grupo", justificou o timoneiro confiante numa campanha positiva.

"Temos feito um grande trabalho nesta vertente e hoje podemos aferir sem dúvidas que temos um grupo com bom nível emocional e a despromoção faz parte do passado", reiterou.

De resto, para a competição que se avizinha os proletários querem fazer da união a força para contraporem todas as dificuldades e realizarem assim o sonho da massa associativa. Hélder Teixeira sabe que não será fácil, mas está confiante e acredita numa campanha airosa.