Jornal dos Desportos

Director: Matias Adriano
Director Adjunto: Policarpo da Rosa
Futebol

Treinador do 1º de Agosto aponta fraca qualidade

Augusto Panzo , em Benguela - 27 de Janeiro, 2017

Militares "bisaram" título no Campeonato Nacional que decorreu na província de Benguela até quarta-feira última

Fotografia: António Soares

As goleadas registadas na série B do Campeonato Nacional de futebol na categoria de Sub-17, competição que consagrou, pela segunda vez consecutiva, a equipa do 1º de Agosto, demonstra a fraca qualidade de muitas formações do escalão. A avaliação é do treinador dos militares, Telmo Costa, em entrevista ao Jornal dos Desportos. 

De acordo com o treinador campeão, numa competição de importância como o "nacional" de Sub-17, não deveria constar certas equipas. Telmo Costa disse que a série A foi muito equilibrada, mas pelo contrário, o outro grupo foi bastante permeável, razão pela qual, tais resultados indiciam alguma falta de qualidade às equipas que foram desfeiteadas.

“A nossa série foi bastante equilibrada. Na outra série houve realmente equipas que não mereciam estar, porque não reuniam as qualidades exigidas para disputarem um Campeonato Nacional. Foi pena que muitas das nós conhecemos, que têm muita qualidade, tal como o Petro e o Interclube, não participaram, o que retirou alguma competitividade, pois, com essas presentes, a prova teria mais equilíbrio ainda”, disse. Telmo Costa elogiou a postura dos seus rapazes, depois de ter tido um mau arranque na competição.

“Começámos por ganhar o provincial de Luanda com uma margem folgada de 19 pontos. Não iniciámos bem aqui o torneio (nacional), mas depois começámos a jogar melhor e os jogadores começaram a ficar mais confiantes e pronto. Esse é o trabalho de um ano de formação”, apontou.


O treinador da formação do ex RI 20 lamentou as ausências das formações do Petro de Luanda e do Interclube, que retiraram algum equilíbrio e nível competitivo à prova.

“Este campeonato poderia ter mais equipas e ser um pouco mais competitivo, mas ainda assim, acabou por ser uma prova bastante boa, com óptimos relvados. Portanto, acho que o futebol está de parabéns”, afirmou o técnico.


TÉCNICO DA ACADÉMICA
Quinhentos reprova
idade dos campeões


O treinador da Académica do Lobito, equipa finalista vencida da segunda edição do Campeonato Nacional de Futebol em Sub-17, Daniel Quinhentos, felicitou o 1º de Agosto pela revalidação do título, mas fez um apelo aos seus colegas de profissão nas áreas de formação, para que primam pela verdade desportiva.

Falando em entrevista conjunta para a Rádio Cindo e Jornal dos Desportos, no fim do jogo correspondente à final dessa prova, Daniel Quinhentos deu o benefício à dúvida, em relação aos jogadores do clube militar.

“Faço um apelo no fundo do meu ego. Meus colegas das áreas de formação nos clubes, por favor, vamos trabalhar com a verdade sobre as idades dos jogadores. Estou muito feliz por tudo que os meus meninos fizeram e pelas equipas que passaram por aqui (Benguela). Muito obrigado pelo futebol de formação”, disse.

Insultado se tal afirmação significa uma acusação directa à equipa técnica do 1º de Agosto, Daniel Quinhentos preferiu deixar a resposta no ar.

“Dou muito benefício à dúvida, porque não é possível ver jogador com 16 anos de idade a apresentarem aquele fulgor todo. Um porte físico dubitável, para além do tipo de remate que estes estavam a executar ao longo dos jogos, que indiciavam alguma suspeita de idade. Por isso repito, deixo o meu benefício à dúvida”, lançou.

 Não obstante isso, Daniel Quinhentos reconhece que o 1º de Agosto tem uma grande escola de formação de jogadores.

“Vamos aceitar que o 1º de Agosto tem uma grande academia de formação de jogadores de futebol e está a fazer um grande trabalho, razão pela qual, está de parabéns. Mas fica o meu benefício da dúvida. Vamos trabalhar para bem do futebol jovem”, disse, a terminar a sua reflexão.

De salientar que as equipas da Académica do Lobito e do 1º de Agosto, na categoria de Sub-17, deformaram-se pela segunda vez consecutiva este ano numa final do campeonato da categoria, curiosamente na mesma província, e o resultado voltou a ser favorável à formação militar.

Francisco Chilumbo, o atacante da Académica do Lobito, sagrou-se melhor marcador da competição, com 23 golos, numa prova que ficou manchada pelas volumosas goleadas de 19-0, 14-0 e 12-3.
AP