Jornal dos Desportos

Director: Matias Adriano
Director Adjunto: Policarpo da Rosa
Futebol

Tudo ou nada

Betumeleano Ferro - 20 de Setembro, 2018

Zoran Maki quer vencer o jogo da segunda mo nem que for na marcao de grandes penalidades

Fotografia: PAULO MULAZA | EDIES NOVEMBRO

As meias-finais da Liga dos Campeões Africanos de futebol estão a 90 minutos de se tornar realidade para o 1º de Agosto. O técnico Zoran Maki tem o foco na passagem, porém, ele mostra-se preocupado por a eliminatória ser decidida amanhã, às 14h00 (15h00 em Angola), no estádio do TP Mazembe.
\"Queremos marcar no campo deles, sabemos que não vai ser fácil para nós, porque não vamos jogar num campo, mas sim num inferno\", assegurou.
O estádio do TP Mazembe tem menos lugares para os adeptos do que o 11 de Novembro, o sitio do clube diz que a lotação é de apenas 18 mil e 500, mas o que inquieta o técnico militar é a maneira como a falange de apoio caseira se comporta, eles são ruidosos, é verdade, mas fazem muito mais.
\"Eles (adeptos do TP Mazembe) fazem muita pressão à equipa adversária e também ao árbitro\", enfatizou.
O duplo papel desempenhado pelos adeptos locais costuma fazer mossa, é por isso que Zoran Maki decidiu colocar as barbas de molho, ele sabe de antemão o que o 1º de Agosto tem de fazer, para fazer ouvidos de mercador ao ambiente frenético das bancadas.
\"Eu já falei do pouco tempo de recuperação que temos tido entre um jogo e outro, mas eu estou mais preocupado com o aspecto mental da minha equipa, vai ser fundamental que ela esteja bem no aspecto psicológico\", garantiu.
Se a mente dos militares focar às meias-finais, o jogo vai terminar com um dos prováveis cenários, que o treinador traçou para vencer a eliminatória.
\"A expectativa é tentar ganhar lá ou empatar com golos, mas se não der, também podemos empatar a zero e passar no desempate através de pontapés a partir da marca da grande penalidade, o que conta é passar, não importa como\", enalteceu.
O técnico Maki tem estado debaixo da mira dos críticos por alinhar com um único avançado, Jacques, ele lê o jogo com os seus próprios olhos, por isso, vê o que os outros não enxergam.
\"Há perguntas sem sentido, nem sempre ter dois atacantes resulta em golos, não é bom jogar com 2 avançados contra o Mazembe, porque é um adversário extremamente experiente e muito perigoso no contra-ataque\", realçou.
A sobrecarga de jogos motivou Zoran Maki a adaptar a preparação, para que o 1º de Agosto consiga ter pernas para se aguentar de pé do princípio ao fim, o relvado sintético exige cuidados especiais.
\"Não vamos fazer treinos no sintético, a nossa preparação vai ser feita em relva natural, porque é complicado nesta fase para os músculos dos atletas, pois não estão habituados a isso\", afirmou.
O estádio do TP Mazembe alberga os jogos caseiros da popular equipa de Lubumbashi desde 12 de Julho de 2012, mas se o 1º de Agosto conseguir vencer a eliminatória, vai trazer a memória dos adeptos locais uma lembrança de 30 anos. Em 1988, o Petro de Luanda venceu o Mazembe na Cidadela por 2-1 e, na segunda mão, foi ao reduto do TP vencer por 1-0, apurando-se para os oitavos de final da Taça dos Clubes Campeões, precursora da Champions.

GERALDO E PAIZO
\"Intocáveis\" podem ajudar a resolver eliminatória

Os esquerdinos Paizo e Geraldo estão quase confirmados no \"onze\" titular para amanhã a tarde. A presença dos influentes atletas mais do que aumentar as opções de Zoran Maki, o técnico do 1º de Agosto reconheceu que ambos jogadores \"foram baixas importantes\" no embate da primeira mão. Embora tenha valorizado a boa entrega do 1º de Agosto na primeira mão, o técnico reconheceu que os esquerdinos trazem sempre um diferencial, quando estão em campo. \"É verdade que às vezes dizemos, que só faz falta quem está presente, mas o Paizo e o Geraldo fizeram falta, mas agora já vão estar presentes, esperamos fazer melhor com eles\", vaticinou.Quer Paizo, como Geraldo, fazem parte dos intocáveis de Zoran Maki, pelo que o ex-capitão Kali, que pendurou as chuteiras no clube do coração, corrobora da opinião do treinador.
\"O Paizo e o Geraldo foram ausências de peso, porque são referências da equipas nestes últimos anos\", enalteceu.
O desempenho ofensivo de Geraldo pode ser a chave que o 1º de Agosto precisa, para girar a lingueta da fechadura para entrar nas meias-finais, é a convicção do guarda-redes Landu, do Interclube.
\"O Geraldo faz falta a equipa, porque é o principal agitador do jogo ofensivo do 1º de Agosto, fez imensa falta no jogo da primeira mão\", afirmou.
A fama de Geraldo é conhecida nas hostes do adversário, pois em várias ocasiões fez parte da equipa ideal da jornada, é por este e outros motivos que o guarda-redes Landu vai apoiar a distância o campeão angolano. \"É claro que estou a torcer pela passagem do 1º de Agosto, o Geraldo é um dos que a equipa vai ter de contar para passar\", garantiu.
Antes temido no continente por causa do faro pelo golo, o ex-atleta Akwá também é dos que acredita que, com Geraldo, as chances do 1º de Agosto são maiores. Com base naquilo que viu sábado \"in loco\" no 11 de Novembro, o eterno craque do futebol angolano vê os militares com bons olhos.
\"O Geraldo é titularíssimo nessa equipa, é claro que fez muita falta na primeira mão, em que eu vi o 1º de Agosto em cima do Mazembe\", enalteceu.O TP Mazembe veio a Luanda sem 10 jogadores, um deles é o histórico Kalaba, autor do primeiro golo no estádio da equipa, mas o técnico do vice-campeão da RDC não garante que todos eles vão estar prontos para amanhã.
 \"Tenho um plantel de 26 jogadores, não sei se os que estiveram ausentes vão estar disponíveis, vamos ver se os recuperamos, há entre eles alguns atletas que são interessantes,  têm características que se adaptam aos jogos em casa\", esclareceu.    

DO CAMPEÃO NACIONAL
Landu e ex-colegas vêem qualificação  
  
 
   A boa atitude competitiva do 1º de Agosto na primeira mão deu uma certeza ao guarda-redes Landu, \"a eliminatória está 50 por cento para cada lado\", diz ele. O experiente atleta do Interclube gostou da postura do campeão e vê a passagem como uma possibilidade real.
   \"Acho que o D´Agosto tem meio caminho andado na eliminatória\", mostrou-se convicto.
   O embate de amanhã vai ser decisivo para as duas equipas, assim Landu quer que o 1º de Agosto aproveite tudo de bom que fez em Luanda para causar estragos extramuros.
    \"Basta marcar um golo para mudar o curso da eliminatória, o que vi me permite concluir que o 1º de Agosto vai a Lubumbashi com a lição bem estudada para passar a eliminatória\", vaticinou.
     A enchente de sábado no 11 de Novembro deu aos militares a vacina para ficar imune a todas as adversidades, que vai encontrar no recinto do TP Mazembe.
   \"É estádio pequeno, mas os adeptos apoiam muito, mas eu acho que os jogadores do 1º de Agosto não vão sentir pressão, eles não tremem depois do apoio que tiveram em  Luanda\", perspectivou.
    O guarda-redes do Interclube anseia ver o campeão com pontaria afinada, se houver eficácia, o 1º de Agosto vai impedir que o TP Mazembe mostre o que escondeu em Luanda.
     \"Eles (atletas do Mazembe) não deram tudo aqui, vieram para não sofrer golos, não deram tudo porque vieram para levar a decisão da eliminatória para a sua casa, esconderam a cara, se viessem para jogar de igual para igual, talvez teríamos visto outra equipa no 11 de Novembro\", argumentou.
      Esta é também a convicção de Kali. Ele consegue antever um Mazembe com outra atitude competitiva, para ser superior ao seu 1º de Agosto.
     \"Todos sabemos que vai ser um jogo bem diferente, o adversário vai ser mais ousado em casa, houve muito respeito na primeira mão, as duas equipas tiveram cautelas, foi esse clique que faltou para apimentar mais o jogo\", sublinhou.
     Sem receio de vaticinar, o ex-capitão garantiu que as duas equipas não vão se poupar nesse decisivo jogo, pois sabem que estão sem alternativa.
     \"O TP Mazembe tem um plantel rico e extenso, se calhar não trouxe certos jogadores em Luanda em função da estratégia, mas o 1º de Agosto também tem os seus trunfos, o treinador Maki conhece bem o plantel que tem e vai jogar com as armas que tem, para contrariar o Mazembe\", anteviu. Já o ex-goleador Akwá quer que o 1º de Agosto se convença de que a eliminatória está mesmo em aberto, e faça tudo o que estiver ao seu alcance para chegar às meias-finais.