Jornal dos Desportos

Director: Matias Adriano
Director Adjunto: Policarpo da Rosa
Futebol

Vasiljevic assume Palancas

Augusto Panzo - 09 de Dezembro, 2017

Petrolferos prometem ganhar para continuar no grupo da frente

Fotografia: Mota Ambrsio | Edies Novembro

O sérvio Sergei Vasiljevic assume desde ontem à tarde o comando da Selecção Nacional \"AA\", vulgo Palancas Negras, após ter sido apresentado pelo presidente da Federação Angolana de Futebol (FAF), Artur Almeida e Silva, num acto que decorreu  no auditório do Centro de Imprensa Aníbal de Melo (CIAM).
O treinador tem 43 anos de idade e no seu currículo uma passagem por várias selecções do seu país e em equipas europeias como jogador, em muitas das quais conquistou títulos mundiais inclusive. Tal como foi em 2015, ao serviço do combinado nacional Sub-20 da Sérvia.
O novo treinador dos Palancas Negras vai ter três adjuntos, sendo um sérvio e dois angolanos, nomeadamente Miroslav Maksimovic e Silvestre Pelé. O terceiro não foi revelado por razões estratégicas, pois, até ontem o presidente do clube do qual sairá ainda não tinha dado o seu aval.
Ao novo técnico foram colocados muitos desafios, como o de melhorar os Palancas Negras no ranking do continente, produzir bons resultados nas datas/FIFA, construir uma equipa coesa, ganhadora, capaz de dignificar a imagem da Nação angolana.
Sergei Vasiljevic é possuidor de licença EUFA FS-Pro desde 2009,  professor especialista da escola de treinadores da Sérvia e, enquanto atleta, jogou em seis clubes do seu país, com destaque para o FC Estrela Vermelha de Belgrado e ainda no Dínamo de Bucareste, da Roménia, tendo terminado a sua carreira na República de Cazaquistão.
Começou a carreira de treinador em 2004 num clube da quarta divisão da Sérvia, tendo em função dos resultados positivos alcançados, treinado equipas do primeiro escalão da Sérvia, além de ter sido ainda director desportivo da selecção do seu país.
Trabalhou igualmente nas selecções Sub-20 da Sérvia, com as quais ganhou o Campeonato Mundial da categoria em 2015, sendo este o momento mais alto da sua carreira como treinador.  
Na ocasião Artur Almeida e Silva disse que a partir do momento da apresentação do técnico, Angola estava a entrar numa nova era do futebol nacional, visto que essa nova equipa técnica dos Palancas Negras veio para dar outra postura ao futebol.
O presidente da FAF alertou que se pretende entrar para uma segunda fase do futebol nacional, lembrando que muitas foram as razões que fizeram com que a FAF definisse essa nova etapa de escolha, pois, cingiu-se a manancial de factores.
\"Foram muitas as razões que nos levaram a definir essa escolha, tal como o profissionalismo, a orientação técnica, conhecimento e experiência do futebol, compromisso com a formação, vontade de vencer, ser estudioso permanente do futebol e passar os seus conhecimentos aos treinadores nacionais, para além da dedicação, persistência, domínio das coisas modernas que hoje se verificam no futebol moderno\", disse.
\"Estes foram, sem sombra de dúvida, os factores que tomámos como importante na hora de escolher o novo treinador\", afirmou o dirigente máximo da FAF na hora de apresentar o novo seleccionador dos Palancas Negras\", acrescentou o dirigente que, depois, adiantou, igualmente, terem existido outros factores que influenciaram na escolha, como a criação de modelos de jogos e outros.

SELECCIONADORES
A lista de treinadores já vai muito longa


O técnico Vasiljevic Srdjané apresentado ontem no Centro de Imprensa “Aníbal de Melo, pela Federação Angolana de Futebol é sérvio de nacionalidade, nasceu a 1 de Abril de 1973, torna-se o trigésimo nono treinador da selecção nacional de futebol de honras, desde 11 de Novembro de 1975, data da proclamação da independência de Angola.
Entre os treinadores nacionais destaca-se Oliveira Gonçalves, que qualificou Angola pela primeira vez a uma fase final de um campeonato do mundo, na Alemanha, em 2006, para além de competir em 2008 no CAN do Ghana.
Lito Vidigal foi finalista derrotado no CHAN de 2011, no Sudão, outra das referências entre os técnicos nacionais.
Carlos Alhinho (luso-caboverdiano) levou pela primeira vez Angola à fase final de um CAN, em 1996, na África do Sul. O brasileiro Djalva venceu a Cosafa em 1999.

METAS
“Objectivo não é apenas meu”


O treinador apresentado ontem pela FAF tem como missão fundamental a recuperação da imagem do futebol nacional, que se encontra degradada de um tempo a esta parte, que exige para tal que se trabalhe em conjunto, no sentido de que essa tarefa possa ser possível.
\"Gostaria de agradecer a forma como fui recebido. Vou falar directamente dos desafios que me foram colocados, que passam necessariamente pela recuperação da imagem do futebol angolano, que se vem degradando nos últimos tempos. Esse objectivo não é apenas meu, mas de todos nós, incluindo o elenco da própria federação\", revelou o contratado treinador.
\"Os objectivos no CHAN são bem claros e não gostaria de dizer que esses passam apenas por essa competição, mas também para a qualificação ao CAN e ao Mundial. Com certeza que este é o início e espero um futuro auspicioso. Angola quando se qualificou para o Mundial em 2006 estava no 46º lugar do ranking e vocês sabem em que posição está agora. Eu quero, com a ajuda de todos, alterar este quadro\", salientou.
O técnico não conhece a fundo o futebol nacional, mas adiantou que esteve em Angola há três meses com o fito de ter alguma noção sobre a matéria, bem como tem acompanhado a evolução da modalidade em Angola através da internet e dos títulos Jornal de Angola e Jornal dos Desportos.
\"Não conheço em profundidade o futebol angolano, mas estive cá há três meses com o propósito de ter mas ou menos alguma noção. Também posso assegurar que tenho recorrido muitas vezes à internet, via pela qual tenho conseguido algumas informações obre o futebol angolano, assim como através da leitura dos títulos Jornal de Angola e Jornal dos Desportos\", esclareceu.
Sergei Vasilejvic negou fazer menção do quanto vai ganhar, alegando não ser ético e por não ter autorização de o fazer. \"Não estou em condições de falar sobre a componente financeira, porque isso não me cabe direito de o fazer. É da competência da família da FAF fazer isso\", justificou o treinador dos Palancas Negras.                                               

RECONHECIMENTO
Artur Almeida agradece Bianchi


O presidente da Federação Angolana de Futebol (FAF) agradeceu de antemão o trabalho levado a cabo pelo hispano-brasileiro Beto Bianchi, que culminou com o apuramento da Selecção nacional para o Campeonato Africano das Nações para jogadores internos (CHAN), que o Marrocos vai albergar em Janeiro próximo.
\"Tenho aqui a agradecer o professor Beto Bianchi pelo trabalho brilhante que fez diante dos Palancas Negras, que culminou com a nossa qualificação para uma fase final do CHAN de Marrocos, numa altura em que muitos não acreditavam na possibilidade de nos qualificarmos para essa competição\", disse Artur Almeida e Silva.
Solicitou para que todos pensem positivo, olhando para a selecção de Angola, para a federação e para o desporto no geral com muita corrente positiva, evitando as imaculações de muitas situações, que na sua óptica acabaram por ditar a saída de Beto Bianchi à frente dos destinos dos Palancas Negras, quando na realidade todos gostariam que aquele técnico se mantivesse no comando da selecção.
Artur Almeida agradeceu igualmente os jogadores e os clubes cujos atletas contribuiram para o apuramento ao CHAN de Marrocos, com maior particularidade para o Petro de Luanda, por ter sida aquele clube que cedeu o seu técnico para trabalhar com os Palancas Negras.
\"Uma palavra de apreço ao presidente do Petro, Tomás Faria e a direcção do mesmo clube, pela cedência do seu técnico à Selecção Nacional \'AA\', bem como às pessoas que na maior parte são invisíveis mas que sempre deram o seu melhor a favor dos Palancas Negras, facto que nos deixou muito honrados\", reconheceu.  O treinador brasileiro, segundo o presidente da Federação Angolana de Futebol deveria apenas cessar vínculo em Fevereiro do próximo ano, mas razões objectivas fizeram com que o acto apenas acontecesse ontem.
O mesmo antes da sua saída deixou já uma lista de jogadores para o seu sucessor apresentado ontem pela FAF.