Jornal dos Desportos

Director: Matias Adriano
Director Adjunto: Policarpo da Rosa
Futebol

Vasiljevic define tctica

Paulo Caculo - 28 de Dezembro, 2017

Tcnico do 1 de Agosto foi apresentado ontem ao plantel

Fotografia: Edies Novembro

A Selecção Nacional dá sequência hoje aos trabalhos de definição da táctica, em sessão agendada para as 16 horas, no Estádio da Cidadela.
Ontem, o seleccionador Srdjan Vasiljevic trabalhou com os 25 jogadores de forma exaustiva os pormenores de ordem técnica e táctica, consubstanciados na armação do jogo ofensivo e defensivo, circulação, passe e posse de bola, hoje, o grupo volta à carga.
 O técnico sérvio está a passar a imagem de que começa a trabalhar na estratégia de jogo pretendida, com o foco nos pontos fortes e fracos dos adversários. E, diga-se, nesse aspecto, os habituais cuidados com a defesa para evitar riscos desnecessários, e apelos à eficácia ofensiva como garantias de consolidação do triunfo, centralizam as atenções da equipa técnica.
Se, por um lado, a integração dos jogadores do Petro ajudou a acrescentar mais opções e perspectivas de qualidade ao futebol da selecção, por outro, as ausências da maioria dos atletas do 1º de Agosto “abrem" espaços de progressão - pelo menos para já - para alguns jovens que integram o grupo.
A partir das sessões de treinos da próxima semana, o seleccionador  pode deixar transparecer quais  os jogadores que devem dar corpo ao “onze” para  o jogo de estreia com o Burkina Faso, a 16 de Janeiro.
Depois dos ensaios de fim-de-semana, a equipa técnica dos Palancas deve entrar na fase derradeira de acertos da estratégia. Nessa altura, deve descortinar os prováveis titulares, assim como ser conhecido o modelo táctico que constitui o suporte do jogo do combinado nacional, que não deve fugir do habitual.


SELECÇÃO NACIONAL
Vá antevê estreia vitoriosa


A Selecção Nacional estreia-se no CHAN de Marrocos no dia 16 de Janeiro, na cidade de Agadir, diante da  congênere do Burkina Faso, mas o médio Vá antevê como vai  ser o duelo com os "Cavalos burkinabes".
Em declarações à imprensa, no final da sessão de treinos, o jovem promissor mostrou-se convicto de que o triunfo não escapa à equipa de todos nós. Justifica o discurso com o facto de acreditar que o trabalho de casa está a ser muito bem feito.
"Não vamos para perder e espero vencer o jogo com o Burkina Faso, porque eles não são invencíveis. Acreditamos no nosso trabalho, no nosso potencial e tudo faremos para vencer este jogo", assegurou o médio da Selecção Nacional.
Vá, concorda igualmente que depois de dois resultados menos conseguidos, espera que  a selecção reaja em conformidade. Em face disso, acredita que "à terceira pode serve vez",  em relação aos objectivos que Angola persegue na disputa da prova continental.
"O grupo está a trabalhar muito bem, todos estão a empenhar-se ao máximo. Todos queremos estar no CHAN, fazer parte da selecção e a concorrência pelos lugares está a ser intensa", confessou ele.
Neste reencontro entre Palancas Negras e Cavalos burkinabes, o médio admite que a sensação de vingança representa um bom motivo para o combinado nacional lutar pela vitória, e "apagar" do subconsciente os jogos de triste memória para Angola quando a 10 de Setembro de 2014 em pleno Estádio 11 de Novembro, o Burkina Faso afastou a Selecção Nacional da fase final do CAN-2014 que se disputou na Guiné Equatorial, e recentemente a 10 de Junho em Ougadougou, aquando da derrota por 1-3 no desafio de abertura do Grupo I das eliminatórias ao CAN de 2019, na República dos Camarões.
Estão ainda encravadas  na garganta as duas pesadas  derrotas, o jovem médio promissor da selecção nacional concorda que o jogo do dia 16 de Janeiro pode ser uma oportunidade para Angola "dar o troco, pela mesma moeda".
"Vou trabalhar para dar o meu melhor, para ajudar o grupo a alcançar os objectivos. Vencer o primeiro jogo é importante. Vamos ao CHAN para vencer todos os jogos, sabemos que não será fácil, que as outras selecções  também estão com o mesmo objectivo", rematou o médio.