Jornal dos Desportos

Director: Matias Adriano
Director Adjunto: Policarpo da Rosa
Futebol

Vaz Pinto considera calendário apertado

Paulo Caculo - 16 de Maio, 2017

Técnico do Libolo considera calendário bastante agressivo

Fotografia: José Soares | Edições Novembro

 O português considera que às dificuldades de disputar um Girabola Zap já difícil por diversas razões, acrescenta-se um calendário apertado, por imperativos de engajamento na fase de grupos da Taça da Confederação.

De acordo ainda com Vaz Pinto, poucas equipas no mundo enfrentam calendários como este que o Libolo tem pela frente, mas garante ser com satisfação que os jogadores mostram-se dispostos a disputar um “calendário bastante agressivo”. “É um calendário extremamente apertado e acho que haverá poucas equipas, a nível mundial, que tenham estes ciclos que nós estamos a ter. Nós, num campeonato que já é difícil, de campos com alguns problemas, deslocações muito longas e com este calendário bastante agressivo, enfim… Mas é por um bom motivo: é porque estamos a representar Angola ao nível africano e, é com muito orgulho que o fazemos!”, disse.

O técnico do Libolo endereça, por isso, parabéns aos atletas pela conquista dos três pontos na prova africana, porque considera ter sido uma vitória muito importante, da capacidade de um grupo de jogadores que se entrega ao trabalho, diariamente, com muita atitude e profissionalismo.

“Algumas ausências importantes na equipa têm afectado, de alguma maneira, o rendimento. Temos tido muitas baixas. Ressalvo que são lesões de natureza traumática (pancadas) e é bom que isto se saliente. Não há equipa técnica que possa evitar isto. Esse pormenor tem dificultado e condicionado as nossas escolhas, não pela qualidade, mas pela quantidade”, acrescenta.

Vaz Pinto admite que a equipa está numa fase de época crucial e não tem, como gostava, muitas soluções, embora aquelas que dispõe “têm correspondido bem”.