Jornal dos Desportos

Director: Matias Adriano
Director Adjunto: Policarpo da Rosa
Futebol

Wiliete paga desperdcio com goleada

Benigno Narciso-Lubango - 07 de Outubro, 2019

O golo espevitou ainda mais a formao de casa ante um adversrio que cedeu e caiu. Assim, sem tirar o p do acelerador, o Desportivo confirmou a sua ascenso no desafio

O favoritismo e superioridade do Desportivo da Huíla foram colocados em evidência no jogo de ontem, no Lubango, diante do estreante Wiliete de Benguela, fruto da sua maior força competitiva. Por isso, a vitória, por 3-0, acaba por ser merecida ante um adversário que apenas mostrou forças na primeira parte.
 Ou seja, a actuação sustentada entre os três sectores, o que permitiu ao Wiliete disputar em igualdade de circunstâncias toda a primeira parte, o que fez a equipa criar inúmeras ocasiões de golo, acabou por servir a pouco.
Ainda assim, a postura da equipa de Benguela cedo despertou a formação huilana, que avisada colocou-se de sobreaviso, facto que evitou, ainda que com alguma sorte, dissabores que resultariam do adiantamento do Wiliete no marcador.
A justificar “a sorte” dos militares da Região Sul, sobretudo na primeira parte, aos 18´, contaram com a ajuda de um dos postes da baliza à guarda do internacional angolano Ndulo.
Aos 40´, a irrequieta formação verde e branca voltou a estar muito próxima do golo, no segmento de uma investida que não culminou no fundo da baliza contrária, por falta de acutilância e confiança do avançado, que não soube justificar e converter em vantagem a postura destemida, esclarecida e progressiva da equipa de Agostinho Tramagal, durante a primeira parte.
Contudo, o aparente excesso de confiança com que os militares huilanos iniciaram a primeira parte ficou nos balneários, pois Mário Soares corrigiu a postura até então adoptada pela sua equipa. Por isso, completamente transfigurado, o Desportivo entrou a carregar na segunda parte. Com um volume de ataques ofensivos, uma vez em contra-ataques rápidos e outras em jogadas continuadas, sufocou o Wiliete que se revelou impotente e por isso incapaz de neutralizar o poderio contrário.
Diante desse quadro e para justificar a superioridade, o camaronês Boateng, ao serviço do Desportivo, colocou a sua equipa em vantagem aos 53\', com um cabeceamento na sequência da cobrança de um livre, à entrada da grande área contrária.
O golo espevitou ainda mais a formação de casa ante um adversário que cedeu e caiu. Assim, sem tirar o pé do acelerador, o Desportivo confirmou a sua ascensão no desafio quando aos 79´, Manico elevou a vantagem para 2-0, e aos 83´, Emanuel, após jogada de insistência na pequena área do Wiliete, fez o 3-0.