Jornal dos Desportos

Director: Matias Adriano
Director Adjunto: Policarpo da Rosa
Futebol Internacional

AG da Sporting SAD aprovou relatório e contas 2008-2009

01 de Outubro, 2009

A Assembleia-Geral da SAD do Sporting aprovou terça-feira, por esmagadora maioria, o relatório e contas do exercício 2008/09, que apresentou um resultado líquido negativo de 13,349 milhões de euros.
O documento foi aprovado com 168.680 votos a favor e 24 abstenções, enquanto o ponto da ordem de trabalhos referente à política de remunerações foi adiado, a pedido da comissão de accionistas encarregue de a definir, para uma próxima assembleia-geral, o que significa que o presidente José Eduardo Bettencourt e seus pares continuam sem salários atribuídos.
No final da reunião, o presidente da Mesa da Assembleia-Geral da SAD, Rogério Alves, confessou que já esperava o prejuízo de 13,349 milhões de euros, mas sem o explicar, limitando-se a dizer que seria desejável que «os resultados tivessem sido diferentes».

Benfica dispara em bolsa

As acções da SAD do Benfica seguiam ontem em forte alta na Bolsa de Lisboa, no dia da constituição do "Benfica Stars Fund", o fundo de investimento que vai comprar passes de jogadores do plantel encarnado.
Às 9h29, os papéis do Clube da Luz valorizavam 12,71% para 3,37 euros, com 13.619 acções negociadas e protagonizavam o melhor desempenho da bolsa de Lisboa.
Esta subida de ontem levou as acções do clube a cotar no valor mais alto desde Agosto de 2007, período em que os títulos do clube encarnado cotaram nos 3,43 euros.
Desde o início do ano, o Benfica acumula já uma valorização superior a 60%, o que avalia a empresa em 50,5 milhões de euros.
Esta subida está relacionada com o arranque do fundo de investimento "Benfica Stars Fund", que terá como activos os passes dos jogadores de futebol. “A entrada de capital pode ser uma lufada de ar fresco” para o Clube encarnado, disse ao "Diário Económico", João de Deus, analista da DIF Broker.
"O objectivo principal do fundo consiste no direito a participar em determinada percentagem nas receitas e potenciais mais-valias decorrentes da eventual transferência de um conjunto de jogadores vinculados desportivamente à Sport Lisboa e Benfica", segundo o clube, que pretende encaixar cerca de 40 milhões de euros com a constituição deste fundo de investimento mobiliário.

Roberto rende muito

A Direcção do Guimarães tem no brasileiro Roberto uma espécie de galinha dos ovos de ouro, capaz de provar que as aquisições menos dispendiosas também revelam casos de sucesso. Contratado em Janeiro de 2008 ao Varzim, da Liga Vitalis, por apenas 170 mil euros, no espaço de 20 meses quase triplicou o seu valor - o passe do avançado valerá, agora, à volta de 400 mil euros - e muito por culpa do instinto natural para apontar golos decisivos. Por oposição, os 400 mil euros por metade do passe do angolano Santana, ainda não renderam qualquer golo.
Na recepção ao Leiria, Roberto marcou e recuperou um dado curioso: oito dos 12 golos que conseguiu em 44 jogos na Liga Sagres representaram a conquista de 17 pontos, total obtido de cinco triunfos e dois empates. Ou seja, vai pagando a transferência do para Guimarães a um ritmo rentável: cada 10 mil euros investidos já valeu à equipa um ponto.
Se neste campeonato só valeu um ponto, um breve olhar à época passada permite constatar que dez dos 38 pontos somados pelo Vitória saíram dos pés e da cabeça do atacante.
Há dois anos, e logo depois de se ter estreado pelos minhotos, fez o 2-1 na vitória caseira sobre o Leixões e na 24ª jornada apontou o golo do triunfo diante do Marítimo. Dados suficientes para constatar a total rentabilização de um produto barato, que mesmo considerando uma segunda opção pelo técnico Nelo Vingada, dada a preferência atribuída a Douglas, aproveita da melhor forma as oportunidades, - desta vez pela suspensão, de dois jogos, aplicada ao compatriota.

Novo Arcanjo já rende
100 mil euros de bilhetes

As obras de melhoramento do Estádio José Arcanjo, cuja lotação aumentou de 5800 lugares para 12 000, permitem ao clube fazer mais receitas. O clube algarvio encaixou cerca de 30 mil euros só no jogo com o Braga, no qual, apesar de terem estado quase 8000 espectadores no estádio, apenas 5720 pagaram bilhetes, tendo os restantes lugares sido destinados a convites, crianças e atletas de formação das modalidades do clube.
No domingo, o José Arcanjo deverá registar casa cheia ante o FC Porto, e a receita deverá chegar aos 60 mil euros. Os dragões reservaram 2000 bilhetes, ocupando todo o topo norte, e a venda dos ingressos em Olhão está a decorrer em bom ritmo. Somando os jogos já realizados no novo Arcanjo (Académica e Braga) e incluindo já a partida com o FC Porto, os rubros-negros somam um encaixe superior a cem mil euros, ou seja, quase dez por cento do orçamento para a época (1,3 milhões de euros).
Também no âmbito das receitas, o Olhanense assinou ontem um contrato de publicidade estática com a Central de Cervejas. O acordo rubricado pelos líderes das duas entidades, Isidoro Sousa e Alberto da Ponte - que até vestiu a camisola rubro-negra -, é válido por dois anos.

Guarda-redes do Dortmund
agredido num restaurante

Roman Weidenfeller, guarda-redes do Borussia Dortmund, não vai esquecer tão rapidamente a noite de terça-feira, depois de ser alvo de agressão quando se encontrava a jantar com um amigo, assistindo aos encontros da Liga dos Campeões pela televisão.
 De acordo com o diário Bild, Weidenfeller partilhava mesa com um amigo de longa data num restaurante italiano e acompanhava os encontros da Champions pacatamente quando foi importunado por 5 desconhecidos, que se apressaram a agredir a dupla a socos.
 “Caíram em cima de nós de repente. Tive alguma sorte apesar de ter apanhado dois murros bem fortes na cara, uma vez que os meus reflexos serviram para me esquivar dos restantes golpes. O meu amigo ficou em mau estado...”, revelou Weidenfeller antes de se deslocar ao hospital para acompanhar a situação do seu companheiro.
As autoridades germânicas descartam que esta acção esteja directamente relacionada com a profissão de Weidenfeller ou demais questões futebolísticas, assumindo tratar-se de um desentendimento motivado pela escolha da mesa.

México renunciou
organizar Mundial

A Federação Mexicana de futebol (FMF) anunciou a desistência da sua candidatura à organização do Mundial 2018 ou 2022.
O organismo explica que a crise e as perspectivas a curto prazo não permitem ao governo mexicano “estabelecer compromissos de investimento que permitam financiar a tempo as obras necessárias para a magnitude do evento!”.
A federação acrescenta, que nem a médio prazo seria possível assegurar a possibilidade de um investimento em infra-estruturas para as cidades que poderiam vir a ser sede na candidatura.
O México tem um número suficiente de estádios para receber um campeonato do Mundo, mas a maioria foram construídos há algum tempo e necessitariam de remodelações importantes.
Portugal e Espanha têm uma candidatura conjunta à organização do Mundial de 2018 ou 2022.
Além da candidatura ibérica, a FIFA recebeu também “propostas” da Bélgica e Holanda (conjunta), Inglaterra, Austrália, Estados Unidos, Indonésia, Japão e Rússia para 2018 ou 2022. Coreia do Sul e Qatar candidatam-se para 2022. A decisão da FIFA será conhecida no final de 2010.