Jornal dos Desportos

Director: Matias Adriano
Director Adjunto: Policarpo da Rosa
Futebol Internacional

Benfica mantém ritmo de goleada

14 de Setembro, 2009

Encarnados ganharam gosto pelas goleadas

Fotografia: Jd

O Benfica regressou ontem ao segundo lugar da Liga portuguesa, ao golear o Belenenses, no Restelo, por 4-0, com golos de Saviola, Cardozo, Javi Garcia e Ramires, em jogo da quarta jornada.
Após a goleada ao Vitória de Setúbal (8-1), o Benfica voltou a impor o seu futebol e cedo se adiantou no marcador, por Saviola, perante um Belenenses que raramente conseguiu dar réplica e viria a sentir a maior qualidade de jogo do adversário na segunda parte, na qual sofreu mais três golos.
Num Estádio do Restelo pintado de “encarnado”, o Benfica entrou em campo com uma alteração em relação ao jogo com o Vitória de Setúbal, da terceira jornada, com a troca de Shaffer por César Peixoto, enquanto no conjunto “azul” o destaque do “onze” foi para a estreia do defesa central Beto.
O Belenenses criou perigo logo no primeiro minuto, através de Diakité, mas o Benfica responderia com eficácia, aos seis, por intermédio de Saviola, que, após boa iniciativa individual, entrou na área e inaugurou o marcador, fazendo o seu primeiro golo no campeonato.
Os “encarnados” continuavam a controlar a partida e entregavam a iniciativa ao adversário para, depois, saírem em rápidos contra-ataques, mas depressa reequilibraram a posse de bola e apenas Yontcha, muito sozinho na frente, obrigaria Quim a aplicar-se.
A equipa do Restelo tentava fazer um jogo muito directo a partir da sua defesa, sem resultados práticos e até final do primeiro tempo continuaram a ser os da Luz a rondar com perigo a baliza de Nélson.
Ao intervalo, o técnico belenense, João Carlos Pereira, tirou o lateral esquerdo André Pires e lançou o estreante avançado Lima, mas voltou a ser o Benfica a entrar melhor, com Ramires a proporcionar defesa difícil a Nélson, aos 52 minutos.
Seria o pronuncio do que viria a suceder aos 57 minutos, quando Cardozo dilatou a vantagem, depois de um boa jogada de entendimento entre Saviola e Aimar, com o número 30 “encarnado”, em grande destaque no jogo, a cruzar rasteiro para a finalização do paraguaio.
O Belenenses sentiu o segundo golo e praticamente deixou de criar perigo à defesa visitante, aproveitando o Benfica para aumentar a contagem aos 76 minutos, com Javi Garcia a responder de cabeça a um livre de Aimar e a marcar pelo segundo jogo consecutivo.
Com os três pontos garantidos, Jorge Jesus aproveitou para tirar o autor do terceiro tento e lançou Maxi Pereira, que regressou aos relvados mais de um mês depois de se ter lesionado no joelho direito frente ao Portsmouth, num encontro de pré-época.
O médio internacional brasileiro Ramires fecharia a goleada a dois minutos do final, depois de um cruzamento de Fábio Coentrão, marcando, assim, o terceiro tento na principal competição do futebol português.

Ibrahimovic admite estar
ainda longe da forma física

Apesar dos dois golos marcados até agora no campeonato espanhol, o internacional sueco Ibrahimovic considera que ainda não se encontra nas melhores condições físicas.
“Marquei dois golos e estou muito feliz, mas o importante é jogar e ganhar ritmo de jogo. Ainda não estou a cem por cento, mas aos pontos chegarei lá”, adiantou, citado pela imprensa estrangeira.
O jogador falou do actual momento na equipa do Barcelona, destacando o bom entendimento que começa a ter com Lionel Messi.
“Um facilita a vida do outro, abrem-se espaços e as defesas não sabem como nos marcar. Somos três jogadores muito perigosos”, sublinhou, falando da frente de ataque da equipa espanhola.
Ibrahimovic aproveitou para comentar o jogo de quarta-feira frente à sua antiga equipa, o Inter de Milão de José Mourinho, confessando que será um jogo bastante difícil, mas que as intenções passam por vencer.
“Vai ser um jogo muito duro mas também especial. Joguei três anos ao serviço do Inter e tenho boas recordações”, concluiu.

Paulo Bento sublinha
justeza na vitória leonina

O Sporting arrancou "a ferros" a sua segunda vitória na Liga Sagres e a primeira diante dos seus adeptos, através de um golo solitário de Liedson, a dez minutos do final da partida.
Os leões voltaram a demonstrar algumas dificuldades para se imporem perante um adversário fustigado pelas lesões que levaram Paulo Sérgio a duas alterações forçadas ainda no decorrer da primeira parte.
Paulo Bento, treinador leonino considerou adequada a vitória do Sporting, embora tenha admitido algumas fragilidades no seio da equipa. "Penso que o golo apareceu tarde, tendo em conta aquilo que produzimos e as oportunidades que criámos. Entrámos bem no jogo e tivemos boa dinâmica. Nos primeiros 25 minutos conseguimos uma boa circulação de bola, mas nem sempre com a profundidade adequada", considerou o treinador.
"Nos últimos 20 minutos da primeira parte deixámos de circular a bola e demonstrámos alguma precipitação com um jogo mais directo e algumas más decisões", acrescentou Paulo Bento.
O arranque de temporada pouco convincente parece contribuir para um tardar das boas exibições. Com um público bastante paciente e incansável no apoio à equipa, os leões tiveram de sofrer para ver Cássio finalmente batido. Algo que Paulo Bento atribui à "ansiedade que ia aumentando com o passar do tempo".
"Na segunda parte o golo não aparecia e a ansiedade ia aumentando. As alterações procuravam dar maior largura, mas também traziam maiores riscos nas transições defensivas", revelou o técnico, concluindo que a vitória sobre o Paços de Ferreira "foi mais do que justa".

Liedson marca 100º golo

O avançado luso-brasileiro estava satisfeito com a vitória arrancada pelo Sporting frente ao Paços de Ferreira por 1-0, com um tento da sua autoria. Este foi o 100.º golo de Liedson pelos leões, mas a proeza foi desvalorizada em detrimento dos três pontos.
"O mais importante foi a vitória, que era o objectivo de todos. Tive a felicidade de marcar o golo, que não deixa de ser uma marca importante mas o mérito é de todos", afirmou Levezinho aos microfones da Sport TV, ele que fez o jogo 250 pela equipa.
A equipa voltou a não se exibir em grande qualidade e as oportunidades de golo foram mesmo escassas mas o artilheiro realçou a eficácia leonina: "Não chegámos lá muitas vezes, mas no final tive uma oportunidade para marcar e consegui", concretizou Levezinho.