Jornal dos Desportos

Director: Matias Adriano
Director Adjunto: Policarpo da Rosa
Futebol Internacional

City quer bater recordes de transferências

27 de Julho, 2017

Manchester City gastou em dois dias 85 milhões de euros por duas contratações

Fotografia: RINGO CHIU | AFP

Em dois dias, o Manchester City gastou 85 milhões de euros, em duas contratações: Danilo (ex -FC Porto e Real Madrid) e Mendy (ex -Mónaco). Ao todo, os "Citizens" somam já 238 milhões dispendidos neste mercado de Verão (que só acaba a 1 de Setembro), dos quais 176 milhões  para reforçar a defesa, tão carente de qualidade nas últimas épocas.

Em dois dias, 85 milhões de euros investidos em dois laterais, um direito e um esquerdo.

O City, particularmente, desde que se vendeu aos milhões árabes em meados de 2008, certamente está no patamar dos clubes com condições de investir forte. Este ano, todavia,  aposta em bater todos os recordes. Nas últimas duas temporadas, junta o mercado de Verão e o de Janeiro, os "Citizens" dispenderam 213 milhões de euros, em reforços; assim, só nesta janela – aberta no passado dia 1, a apenas 24 dias –, já lá vão 238 milhões.

A mais recente "loucura" dos novos-ricos de Manchester, é o lateral -esquerdo franco -senegalês Benjamin Mendy, um dos grandes destaques do Mónaco, de Leonardo Jardim , na última temporada. Pela gazela esquerdina, o City não hesitou em prescindir de 55 milhões de euros, um grande negócio para os monegascos, que há precisamente um ano pagaram “míseros” 15 milhões para  resgatá-lo ao Marselha. No domingo, Danilo foi apresentado: pelo internacional brasileiro, o gigante inglês pagou 30 milhões de euros ao Real_Madrid – exactamente, o mesmo valor que os merengues depositaram nos cofres do FC Porto, em 2015.

A estas entradas é preciso juntar as de Kyle Walker (outro lateral -direito), contratado ao Tottenham a troco de 51 milhões de euros; Bernardo Silva, ex -Mónaco que custou 50 milhões; Ederson deixou o Benfica com os "Citizens" a desembolsarem 40 milhões; e ainda, a jovem promessa brasileira Douglas Luiz, que rendeu 12 milhões aos depauperados do cofre do_Vasco da Gama.

Ao todo, o City gastou 176 milhões de euros, neste mercado, em contratações para o sector defensivo, claramente o mais problemático da equipa, nos últimos anos. O dinheiro está a ser gasto para reforçar aquela zona – e sem grandes resultados: em 2014/15, Mangala, ex- FC Porto, foi a contratação mais dispendiosa (30,5 milhões) do clube na janela de Verão. Fez duas épocas sofríveis, acabou emprestado ao Valência, e neste momento, está no lote dos dispensáveis. Na época seguinte, foi Otamendi, outro antigo jogador dos "dragões" a chegar aos "Citizens" a troco de uma quantia ainda mais exorbitante: 44,6 milhões de euros! O internacional argentino conseguiu, porém, apresentar um rendimento superior ao de Mangala, hoje um indiscutível no centro da defesa.

A maior loucura, porém, ocorreu na época passada, após uma longa novela de Verão, o City pagou 55,6 milhões de euros ao Everton para garantir os serviços de John Stones, um promissor central inglês de 22 anos.