Jornal dos Desportos

Director: Matias Adriano
Director Adjunto: Policarpo da Rosa
Futebol Internacional

Clubes de Manchester abrem cofres para destronar o Chelsea

11 de Agosto, 2017

Pelo segundo ano equipa treinada por Pep Guardiola está sem rival no mercado

Fotografia: Nikolay Doychinov| AFP

Os grandes clubes de Manchester, United e City, os dois mais ricos do Campeonato Inglês, abriram os cofres na pré-época para tentar destronar o campeão Chelsea na \"Premier League\", que começa hoje.

\'Diabos Vermelhos\' e \'Citizens\', contudo, não vão ser os únicos à procura do título do campeonato mais rico e mediático do mundo, sendo que Liverpool, Tottenham, Arsenal e o próprio Chelsea também sonham com a glória.

Se o título fosse dado ao clube que mais gastou, o nome do Manchester City já estaria a ser gravado no troféu. Com 230 milhões de euros gastos, a equipa treinada por Pep Guardiola, pelo segundo ano, não teve rival no mercado.

Após um decepcionante terceiro lugar (a 15 pontos do Chelsea) na primeira época, Guardiola promoveu uma limpeza no balneário nos \'Citizens\' para trazer jogadores que se encaixem melhor na sua filosofia, reforçando principalmente o sector defensivo, que deixou a desejar na época passada.

Chegaram ao clube os laterais Kyle Walker (Tottenham) e Benjamin Mendy (Monaco), os dois defesas mais caros da história, a custo de 57 milhões de euros cada. Um terceiro lateral, o brasileiro Danilo, oriundo do Real Madrid, chega para fortalecer o plantel, e o guarda-redes também brasileiro Ederson (Benfica) vai ficar encarregue de proteger a baliza do City e de fazer a claque esquecer os repetidos erros do chileno Claudio Bravo no ano passado.

Do meio para frente, o português Bernardo Silva (Monaco) vai ter a missão de dar dinamismo a um ataque de peso em que se mantiveram Gabriel Jesus, Sergio Agüero, Leroy Sané, Kevin de Bruyne e Raheem Sterling.

UNITED
Assim como o vizinho, José Mourinho não poupa na segunda época em Old Trafford para tentar recolocar o United no caminho de um título que não conquista desde 2012-13.

Sexto da última \"Premier League\", o United salvou a época com a Liga Europa, o que lhe permitiu disputar a Liga dos Campeões. Para a volta à maior competição de clubes do mundo, Mourinho foi buscar reforços de peso, como o avançado belga Romelu Lukaku (Everton), por quem desembolsou mais de 85 milhões de euros. Também chegaram ao clube o central sueco Victor Lindelof (Benfica) e o médio sérvio Nemanja Matic (Chelsea).

\"Normalmente, a segunda época deve ser melhor que a primeira\", espera Mourinho, que venceu os maiores títulos nas segundas épocas no FC Porto, no Inter, no Real Madrid e nas duas passagens no Chelsea.

CONTE COM
PLANTEL MENOR

O técnico italiano Antonio Conte parece ter pela frente uma época mais difícil, depois de ganhar o título inglês com o Chelsea no ano passado. Os \'Blues\' reforçaram-se com Caballero (City), Rudiger (Roma), Bakayoko (Monaco) e Morata (Real Madrid). Ao mesmo tempo, foram embora de Stamford Bridge Cuadrado, Aké, Loftus-Cheek, Zouma, Begovic, e Matic, entre outros.

Para piorar, Conte não quer mais contar com o seu desafecto Diego Costa, artilheiro da equipa no ano passado e que está a acertar a volta ao Atlético de Madrid.

As condições de trabalho parecem estar mais difíceis para Conte, que nesta época, ao contrário da anterior, terá que conciliar a \"Premier League\" e a \"Champions\", o que exige maior gestão dos seus atletas durante o ano.

ARSENAL QUER
RECUPERAR CAMPO PERDIDO

A vitória de domingo sobre o Chelsea no \"Community Shield\" (1-1, 4-1 aos penáltis) diminuiu um pouco as críticas dos adeptos do Arsenal, revoltados com a renovação do contrato do técnico Arsène Wenger depois de uma época decepcionante, na qual o clube falhou a qualificação à Liga dos Campeões pela primeira vez em duas décadas.

A contratação do atacante francês Alexandre Lacazette, que pode formar um perigoso trio ofensivo ao lado de Mesut Ozil e Alexis Sánchez, e o facto de se concentrar apenas no Campeonato Inglês, como o Chelsea no ano passado, pode permitir aos \'Gunners\' sonharem com um lugar no pódio ou até com o título.A claque, porém, não vai dar trégua ao técnico até o Arsenal recuperar a aura vencedora do início do século.

TOTTENHAM E
LIVERPOOL ESTÁVEIS

O Tottenham, vice-campeão inglês com as melhores defesa e ataque da competição, aposta na estabilidade para dar outro passo rumo a um título que não conquista desde 1960-1961.

A equipa continua sob comando do técnico argentino Mauricio Pochettino, que nesta época vai jogar provisoriamente em Wembley, à espera da conclusão da construção do seu novo estádio. Os \'Spurs\' só perderam o lateral Kyle Walker (City), tendo conseguido manter a base da equipa, como o artilheiro Harry Kane e os talentosos Delle Alli e Christian Eriksen.