Jornal dos Desportos

Director: Matias Adriano
Director Adjunto: Policarpo da Rosa
Futebol Internacional

Drago vai arder com Porto-Benfica

08 de Fevereiro, 2020

Porto e Benfica jogam um duelo que poder ter contornos decisivos para o desfecho do campeonato

Fotografia: DR

FC Porto e Benfica vão medir forças esta noite (21h30) no Estádio do Dragão. A equipa de Bruno Lage chega a este clássico com sete pontos de vantagem, pelo que um triunfo sobre os 'azuis e brancos' - ou até mesmo o empate  deixará os 'encarnados' bem mais confortáveis para o que resta da temporada. Aos 'dragões' não há outra alternativa senão vencer.
Na época transacta, quando as duas equipas se encontraram na 24.ª jornada, também no Dragão, o cenário era bem diferente. O FC Porto liderava a competição, com mais um ponto do que o Benfica, que vinha de uma recuperação sensacional desde a chegada de Bruno Lage à equipa principal. As 'águias' chegaram a estar a sete pontos de distância da liderança, mas conseguiram vencer todos os jogos até ao duelo decisivo na cidade Invicta, onde uma vitória catapultaria os 'encarnados' para a liderança do campeonato.
Foi precisamente o que aconteceu. O FC Porto até marcou primeiro por Adrián López, só que João Félix e Rafa deram a volta ao marcador e à classificação, colocando o emblema da Luz na liderança do campeonato, da qual não mais sairia.
No FC Porto, Sérgio Conceição devolveu a titularidade a Brahimi e Marega, recuperados de lesão, e, fiel ao 4-4-2, manteve Adrián López no ataque, Manafá no lado direito da defesa, e Óliver no meio-campo, relegando Fernando Andrade e Otávio, titulares nos dois últimos encontros, para o banco de suplentes, onde também se sentaram Éder Militão e Soares.
No Benfica, Bruno Lage voltou a contar com Ferro e André Almeida, após castigo, repetindo o 'onze' dos últimos jogos, antecipado até por Sérgio Conceição, com uma linha de quatro defesas (que incluiu ainda Rúben Dias e Grimaldo), dois médios (Samaris e Gabriel), dois alas (Pizzi e Rafa) e dois avançados (João Félix e Seferovic).
Num jogo de equilíbrios, o Benfica conseguia ganhar superioridade no corredor central, capitalizando as movimentações alternadas de Pizzi e Rafa, de fora para dentro, e, com isso, foi tendo tempo e espaço para construir jogadas de ataque. Por sua vez, os azuis e brancos apostavam na profundidade de Marega, mas seria numa recuperação de bola que chegariam ao golo e à vantagem, após perda de Rafa e progressão de Brahimi, apenas travada à entrada da área do Benfica.
Quase um ano depois, FC Porto e Benfica voltam a encontrar-se no Dragão, para a 20.ª jornada, num contexto diferente daquele que sucedeu em 2018/19, mas com a mesma importância no que diz respeito às contas do título.