Jornal dos Desportos

Director: Matias Adriano
Director Adjunto: Policarpo da Rosa
Futebol Internacional

Empresrio de Bruno Fernandes exige mais

07 de Setembro, 2019

Vencimento e clusula exigida pelo empresrio do jogador podem complicar negociaes

Fotografia: DR

Terminada a "novela" que se arrastou ao longo de todo o verão, Bruno Fernandes, que foi insistentemente apontado a Manchester United, Tottenham e Real Madrid, acabou por permanecer no Sporting, pelo que cabe a Frederico Varandas cumprir a promessa de melhorar o contrato do médio.
O jornal "O Jogo" escreveu ontem que o presidente leonino já tem reunião agendada com o empresário do internacional português, Miguel Pinho, após o regresso da selecção lusa, onde vão ser discutidos os pormenores da renovação.
O capitão do emblema verde e branco, que actualmente aufere 1,3 milhões de euros líquidos, já terá, de resto, feito saber que pretende ver o vencimento aumentado para um valor entre os 2,1 e os 2,2 milhões de euros por época.
A direcção do clube de Alvalade, por sua vez, pretende que as negociações fiquem encerradas mediante o pagamento anual de uma verba situada entre os 1,7 e os 1,8 milhões de euros. Além disso, quer ver o actual vínculo, válido até Junho de 2023, prolongado por mais um ano, e a cláusula de rescisão, de 100 milhões de euros, aumentada.
As complicações no que a esta operação diz respeito não ficam, no entanto, por aqui. Miguel Pinho defende ter direito a um pagamento de cinco milhões de euros, derivado da cláusula presente no actual contrato, que obriga a isso mesmo caso seja rejeitada uma proposta de 35 milhões de euros.

I LIGA
Grandes lucram no mercado

Os três grandes portugueses gastaram 135 milhões de euros em reforços e encaixaram 324,5 milhões na venda de jogadores. Ou seja, Benfica, FC Porto e Sporting juntos tiveram um lucro (diferença entre compras e vendas) de 189,5 milhões de euros.
O Benfica foi o clube que mais lucrou neste defeso - um total de 181,5 milhões de euros -, muito à custa da venda milionária de João Félix, cuja transferência para o Atlético de Madrid (a mais alta este verão a nível mundial) rendeu 120 milhões aos cofres das águias. Já o FC Porto encaixou 88 milhões (Militão foi a venda mais cara, 50 milhões para o Real Madrid) e o Sporting 55 (Raphinha para o Rennes por 21 milhões foi o negócio mais lucrativo).
Em termos de gastos, o FC Porto foi o clube que mais dinheiro desembolsou no reforço da equipa.
A SAD dos "dragões" investiu 60 milhões de euros em contratações, com o japonês Nakajima (12M) a liderar o top das compras. O Benfica esteve mais poupado - gastou 49,75 milhões -, com quase metade deste valor (20M) a ser investido no avançado espanhol Raúl de Tomás. Já os leões gastaram 25,25 milhões de euros em jogadores e o mais caro foi o lateral direito francês Rosier (oito milhões).

BRASIL DISCRETO

A janela de transferências teve pouco impacto sobre os clubes brasileiros. Foram realizadas poucas negociações de relevância. A principal delas foi a ida de Philippe Coutinho para o Bayern de Munique por empréstimo. A contratação mais significativa foi a do lateral Éder Militão pelo Real Madrid por 50 milhões de euros. Em seguida, a chegada de Rodrygo também ao Real Madrid, depois de boa passagem pelo Santos, por 45 milhões de euros.
A janela foi marcada pela frustração da negociação de Neymar. O fecho da janela confirmou a falta de acordo de Paris Saint-Germain pela venda do atacante. O jogador sondado pela Juventus, procurado pelo Real Madrid e alvo de investidas insistentes do Barcelona acabou por ficar mesmo na equipa francesa.

BARCELONA
Início de época preocupa


Uma vitória, um empate e uma derrota em três jornadas da liga espanhola, são os resultados iniciais do Barcelona em jogos oficiais. Os mesmos não são bons para o alto nível do clube, ainda mais numa competição por pontos corridos que dominou nos últimos anos.
Para o fraco desempenhos da equipa catalã deve estar a contribuir as ausências, por lesão, de Messi e Suárez. O Atlético tem já cinco pontos de vantagem, algo que ainda não é tão preocupante, até porque a prioridade do clube deve ser a Liga dos Campeões.
O técnico Ernesto Valverde precisava dos seus protagonistas no ataque para formar o trio de ataque com Antoine Griezmann. A equipa precisa ainda de adaptar o jovem holandês Frenkie De Jong ao meio-campo que tem alternado com Busquets, Rakitic, Rafinha e Arthur como companheiros de sector.
O Barça calhou no complicado Grupo F da "Champions", com Borussia Dortmund, Inter de Milão e o Slavia Praga, esta última equipa que deve ser o fiel da balança em termos de saldo de golos. A estreia acontece no próximo dia 17, diante dos alemães, no Signal Iduna Park.
O Dortmund tropeçou na terceira jornada da "Bundesliga" ante do "novato" Union Berlin. A derrota por 3-1 fez o Leipzig assumir a liderança da prova como único cem por cento vitorioso em três jornadas e o Bayern de Munique, que empatou na estreia em casa com o Hertha Berlin por 2-2, estar a um ponto de vantagem.
A equipa alemã continua a ser uma equipa competitiva. É treinada por Lucien Favre e que conta com a experiência de Matts Hummels na defesa e Marco Reus no meio-campo de um sistema 4-2-3-1 com Jason Sancho pela direita, já com três assistências na época, e servindo Paco Alcácer, que foi às redes quatro vezes.
Na segunda jornada, a 2 de Outubro, o Barcelona recebe no Camp Nou o Inter. A equipa é agora comandada por Antonio Conte, treinador intenso e que costuma fazer as suas equipas tornarem-se competitivas em  pouco tempo.
Já alcançou duas vitórias na Série A italiana a jogar um 3-5-2 com Candreva e Asamoah colocando muita intensidade pelas alas e colocar um lateral no trio de centrais pela direita para dar mais rapidez e agilidade à retaguarda – no Chelsea era Azpilicueta, nos "neroazzurri" o escolhido é Danilo D'Ambrosio-. Mas a força mesmo está na dupla de ataque formada por Lukaku e Lautaro Martínez, que já têm demonstrado bom entendimento.
As equipas adversárias não são equipas do quilate do Barcelona no cenário europeu e mundial, mas podem complicar. Ainda mais para uma equipa que até aqui é uma grande incógnita. É possível voltar aos carris com o regresso de Messi, afastado por uma lesão na panturrilha que parecia corriqueira, porém tirou o craque da pré-época e das primeiras partidas.
A boa notícia até aqui é o início com muita personalidade do jovem guineense Ansu Fati, 16 anos que já marcou golo na equipa profissional do Barça. E pouco além disso. Ainda os problemas defensivos, a baixa intensidade de Busquets e a dependência da profundidade das descidas de Jordi Alba pela esquerda. Sector que deve ter Griezmann, protagonista com dois golos nos 5-2 sobre o Real Betis, mas a jogar como "falso nove".