Jornal dos Desportos

Director: Matias Adriano
Director Adjunto: Policarpo da Rosa
Futebol Internacional

Itália está fora do Mundial

25 de Junho, 2010

Campeões do mundo estão fora da prova

Fotografia: AFP

As surpresas sucedem-se. Depois da França, o ainda campeão mundial em título, a Itália, também disse adeus ao Mundial ao perder, na tarde de ontem com a Eslováquia por 3-2. A Itália disse adeus e perdeu a oportunidade de revalidar o título conquistado na Alemanha, há quatro anos, numa partida em que os italianos A selecção ‘azzurri’ despertaram tarde demais num final de jogo dramático.

A primeira parte pertenceu aos eslovacos que se estrearam em Mundiais, e, pelos vistos, da melhor forma possível, dado que conseguiram o apuramento para os “oitavos”, e que exibiram um futebol alegre e dinâmico, sempre virado para o ataque. A Eslováquia foi a primeira a marcar, através de uma boa finalização de Vittek, na sequência de um erro pouco habitual. De Rossi fez um mau passe, Chiellini atrasou-se e a bola sobrou para o avançado eslovaco marcar.

A segunda parte, todavia, foi muito diferente. A entrada de Pirlo na Squadra Azzurra transfigurou a equipa, quebrou a monotonia e lançou os italianos ao ataque. Quagliarella também entrou bem na partida e quase marcou aos 66’ mas Skrtel salva o empate em cima da linha. O desafio entrava então num ritmo alucinante, com a bola a circular de um ataque para o outro. No entanto, o golo voltou a pender para a Eslováquia. Vittek antecipou-se a Chiellini num cruzamento de Hamsik e fez o 2-0, aos 72 minutos.

A resistência italiana parecia ter sido desfeita, mas Di Natale deu novo sopro de vida aos campeões do Mundo. O guardião Mucha tentou atrasar o recomeço e envolveu-se numa escaramuça com Quagliarella dentro da baliza. Resultado: cartões amarelos para cada um, num jogo que registou mesmo oito admoestações.A Itália lançava o assalto final e Howard Webb entrou no rol de protagonistas, ao considerar fora de jogo o lance que teria originado o empate italiano.

O juiz inglês declarou posição irregular de Quagliarella, que acabaria por meter a bola nas redes aos 85’, deixando o banco transalpino à beira do desespero. Um lance que deixou muitas dúvidas... A Eslováquia, todavia, não quis deixar fugir o pássaro e fez o 3-1 aos 88’, num belo remate de Kopunek. Tudo parecia acabado, mas Quagliarella volta a brilhar com um belo chapéu e reduz para 3-2. Mais um golo e tudo poderia ter sido diferente para a Itália, mas a derrota foi confirmada pelo apito final. Os campeões do Mundo são eliminados na primeira fase, com o Paraguai e Eslováquia a seguirem em frente na prova.


Ficha técnica

Ellis Park, em Johannesburgo
Árbitro: Howard Webb (Inglaterra)
Eslováquia 3-2 Itália

Eslováquia (4-2-3-1): Mucha; Pekarik, Skrtel, Durica e Zabavnik; Kucka e Strba (Kopunek); Stoch, Hamsik e Jendrisek (Petras); Vittek (Sestak)
Técnico: Vladimir Weiss


Itália (4-3-3): Marchetti; Zambrotta, Cannavaro, Chiellini e Criscito (Maggio); De Rossi; Gattuso (Quagliarella) e Montolivo (Pirlo); Pepe, Iaquinta e Di Natale
Técnico: Marcello Lippi

Paraguai empata com Nova Zelândia

O Paraguai qualificou-se para os oitavos-de-final do Mundial, ao empatar a zero com a Nova Zelândia, e garantiu, desta forma, o primeiro lugar do Grupo F, com 5 pontos. A Itália é a grande surpresa. A equipa transalpina perdeu com a Eslováquia por 3-2. O Paraguai de Oscar Cardozo, que foi titular no jogo frente à Nova Zelândia, conseguiu o apuramento para os “oitavos”, com cinco pontos, mesmo tendo empatado sem golos neste seu último encontro.

Mais ofensivos que os neo-zelandeses, que promoveram uma das surpresas deste Mundial ao empatarem com os campeões italianos, os paraguaios estiveram sempre mais perto do golo. Aliás, a estatística mostra um encontro pobre: sete remates para os sul-americanos e apenas um para a formação da Oceânia. Caniza foi o elemento mais ofensivo, com duas oportunidades mais flagrantes: aos 14 minutos rematou de longe e a bola passou por cima, e aos 19’ voltou a tentar a sua sorte, novamente de longe, com o esférico a embater nas malhas laterais.

Aos 35’, foi a vez de Valdez que rematou rasteiro, à entrada da área, mas a bola foi parar às mãos do guardião neo-zelandês. Na segunda parte, a história não foi muito diferente e o nulo manteve-se, mas era tudo o que o Paraguai precisava para seguir em frente neste campeonato do Mundo e como líder do Grupo F.


Ficha técnica 

Peter Mokaba, em Polokwane
Árbitro: Yuichi Nishimura (Japão)
Paraguai 0-0 Nova Zelândia

Paraguai (4-3-3): Villar; Caniza, Da Silva, J. Cáceres, Morel; Vera, Victor Cáceres, Riveros; Santa Cruz, Óscar Cardozo (Barrios), Haedo Valdez (Benítez)
Técnico: Gerardo Martino


Nova Zelândia (3-4-3): Paston; Reid, Nelsen e Smith; Bertos, Vicelich, Elliot e Lochhead; Smeltz, Killen (Brockie) e Fallon (Wood)
Técnico: Ricki Herbert