Jornal dos Desportos

Director: Matias Adriano
Director Adjunto: Policarpo da Rosa
Futebol Internacional

Modric admite que prefere enfrentar velha inglesa

Paulo Caculo | Em Moscovo - 11 de Julho, 2018

Capito crota joga na equipa Tottenham ao lado dos ingleses Kyle Walker e Danny Rose

Fotografia: AFP

O capitão da selecção da Croácia, Luka Modric, disse ontem em conferência de imprensa que era um desejo defrontar a Inglaterra nas meias-finais do Mundial da Rússia, antes da final de domingo.
De acordo com o médio croata, o que mais preocupa no conjunto da Inglaterra é a recém-descoberta da consolidação de um grupo bastante unido e compacto e cuja vitória sobre a Suécia no jogo passado deixou claro o trabalho que tem sido feito pelo “cauteloso” técnico Gareth Southgate.\"Eles parecem muito fortes como um conjunto. Não sei se existe uma mentalidade diferente, mas parece que eles são mais como um conjunto. Eles têm essa união que é muito importante para ter sucesso”, disse.
Luka Modric fala ainda das nuances deste duelo com a equipa dos \"Três Leões\": “é sempre bom jogar contra equipas como a Inglaterra.
São muito fortes e temos que respeitá-los. Não é dinheiro que vai jogar. Serão 11 guerreiros contra 11”.
O capitão da Croácia jogou ao lado dos ingleses Kyle Walker e Danny Rose no Tottenham, mas recorda os passos dados pelo avançado Harry Kane na carreira profissional. \"Harry era jovem e estava a chegar ao futebol inglês. Ele sempre foi um jogador esforçado. Lembro-me de uma história sobre ele, mas vou guardar para mim mesmo”, disse, sorridente, antes de reiterar conhecer o potencial do adversário.
“A Inglaterra é perigosa nas bolas paradas. Têm jogadores como Maguire, Harry Kane e [John] Stones, que são fortes e que marcam muito nos jogos decisivos. Nós vamos ter que prestar atenção a esses detalhes, porque sofremos um golo deste jeito contra a Rússia que não deveríamos ter permitido”, rematou o médio.

Antigo CRAQUE ALEMÃO
Lothar Matthaus rendido às qualidades de John Stones

John Stones tem sido um dos jogadores em destaque na formação inglesa, que continua a brilhar por terras russas no Campeonato do Mundo. O central tem recebido muitos elogios pelas prestações positivas no Mundial-2018, mas agora deve ter certamente subido aos céus com as palavras de Lothar Matthaus.
O antigo internacional germânico, um dos melhores de sempre na sua posição, teceu rasgados elogios ao inglês, chegando a considerá-lo um dos melhores do Mundo.
\"Estava a torcer por Inglaterra, porque admiro o estilo de jogo deles nestes últimos dois anos. Fiquei fã deles quando venceram a Alemanha em 2016, por 3-2, num amigável em Berlim. Aliás, comecei a achar que a equipa deles seria temível nos próximos torneios\", começou por dizer Lothar Matthaus.
A seguir, destacou a importância de Stones na forma de jogar da selecção dos \"Três Leões\", elogiando a aprendizagem que o central tem tido com Pep Guardiola no Manchester City: \"Disse a um vizinho que estava sentado ao meu lado no último jogo de Inglaterra que o Jonh Stones é um dos melhores centrais do Mundo\".
Logo a seguir, Matthaus garantiu que também Harry Kane tem de começar a ser visto com outros olhos, assumindo que se Inglaterra conquistar o Mundial, o avançado do Tottenham pode sonhar com uma presença nos finalistas da Bola de Ouro.

SELECCÃO DA CROÁCIA
Demitido técnico adjunto
por declaração polémica   


A federação da Croácia demitiu Ognjen Vukojevic, adjunto de Zlatko Dalic no comando técnico da selecção de futebol que disputa o Mundial da Rússia.
A decisão surge na sequência da polémica suscitada por um vídeo difundido nas redes sociais, após a eliminação da Rússia nos quartos-de-final do Mundial, em que este acompanha o central Domagoj Vida; enquanto o defesa grita \"Glória à Ucrânia\", o técnico afirma que \"esta vitória é pelo Dínamo e pela Ucrânia\".
Ambos têm ligação ao Dínamo de Kiev, no entanto, as palavras utilizadas geraram um tremendo mal-estar junto da Federação Internacional de Futebol Associado (FIFA), que fez uma advertência ao jogador, e também no país anfitrião da prova.
Perante as reacções, Domagoj Vida e Ognjen Vukojevic asseguraram que não tiveram a intenção de fazer uma declaração política.
No entanto, a escolha das palavras do vídeo não os ajuda: \"Glória à Ucrânia\" é o slogan dos ultranacionalistas que, em 2014, depuseram o presidente eleito, Viktor Yanukovych, pró-russo. Desde então, a Ucrânia mantém um conflito com a Rússia pela disputa da Crimeia.