Jornal dos Desportos

Director: Matias Adriano
Director Adjunto: Policarpo da Rosa
Futebol Internacional

Portugal conquista Liga das Naes

10 de Junho, 2019

Gonalo Guedes foi o autor do nico golo da partida e que deu o ttulo sua seleco

Fotografia: AFP

A selecção de futebol de Portugal conquistou, ontem, a primeira edição da Liga das Nações ao bater a Holanda por 1-0, no Estádio do Dragão. Gonçalo Guedes marcou o único golo da partida.
Esta foi a terceira final da história da selecção portuguesa, depois do desaire com a Grécia (1-0) no Europeu de 2004 e das vitória com a França (1-0 após prolongamento) no Europeu de 2016 e agora contra a Holanda (1-0) na final da Liga das Nações.
O seleccionador Fernando Santos fez três alterações no "onze" inicial que tem usado, com destaque para a inclusão de Gonçalo Guedes no lugar de João Félix. O avançado do Benfica fez a sua estreia, e como titular, na última quarta-feira, frente a Suíça (3-1), mas desta vez foi relegando para o banco, aparecendo no seu lugar o jogador do Valência, que fez companhia na frente a Cristiano Ronaldo.
Fernando Santos optou ainda por tirar Rúben Neves, que esteve na origem do segundo golo de Portugal perante os helvéticos, e colocou Danilo, que tinha estado ausente do jogo das meias-finais por castigo. Por seu lado, José Fonte foi o escolhido para render o lesionado Pepe e fez a dupla no centro da defesa com Rúben Dias.
Pela 81ª vez, Rui Patrício defendeu a baliza da selecção portuguesa, isolando-se como o guarda-redes mais internacional de sempre pelo país, e à sua frente teve um quarteto composto por Nelson Semedo à direita, Raphäel Guerreiro à esquerda, com Fonte e Dias no centro.
No meio campo estiveram William Carvalho e Danilo, mais recuados, com Bruno Fernandes e Bernardo Silva mais à frente, no apoio a Gonçalo Guedes e Ronaldo.
A selecção lusa entrou melhor na partida e manteve-se superior ao longo dos primeiros 45 minutos. Destaque para as exibições dos avançados Cristiano Ronaldo e Bernardo Silva, contrastando com Gonçalo Guedes, praticamente \"desaparecido\" no primeiro tempo.
O sportinguista Bruno Fernandes mostrou-se com altos e baixos, tendo sido dos que arriscou mais a sorte nos remates à baliza holandesa.
Apesar da fraca exibição na primeira parte, Gonçalo Guedes redimiu-se aos 60 minutos ao abrir o marcador. A jogada foi de Bernardo Silva, a tocar atrasado para o avançado do Valência que, à entrada da área, chutou forte e colocado, sem hipótese de defesa para Cillessen.
Em vantagem, Fernando Santos fez três alterações, fazendo sair Gonçalo Guedes, Bruno Fernandes e Danilo e entrando Rafa Silva, João Moutinho e Rúben Neves.

Aos Penáltes
Inglaterra bate Suíça e conquista terceiro lugar


A selecção de Inglaterra ficou ontem com o terceiro lugar da Liga das Nações, após vencer a Suíça no desempate por penáltis (6-5), após 120 minutos de jogo sem golos, em que dominou, mas foi perdulária.
Depois de ter marcado uma das seis grandes penalidades cobradas pelos britânicos, Jordan Pickford decidiu o jogo de atribuição dos terceiro e quarto lugares da primeira fase final da competição, ao defender o penálti cobrado por Josip Drmic.
Apesar de não ter deslumbrado, a formação treinada por Gareth Southgate conseguiu uma justiça tardia, já que falhou muitas oportunidades - atirou quatro bolas ao poste -, perante uma Suíça que privilegiou a defesa e raramente ameaçou a sua baliza.
Após a derrota na meia-final com a Holanda (3-1, após prolongamento), a Inglaterra reapareceu no Estádio D. Afonso Henriques com ataques rápidos, conduzidos ao primeiro toque, e quase marcou aos dois minutos.
Desmarcado por Jesse Lingard, Harry Kane entrou na área pelo lado direito e tentou um \"chapéu\" que só não deu golo, porque o guardião Yann Sommer tocou ao de leve na bola e desviou-a para a barra.
Já os helvéticos mudaram o 4x3x3 da meia-final com Portugal (derrota por 3-1) para um 3x4x3, com os supostos alas, Edimilson Fernandes e Xherdan Shaqiri, a descaírem para o centro do terreno, mas a sua produção ofensiva foi nula na primeira parte, mesmo com alguma circulação de bola no meio-campo contrário, nos minutos iniciais.
Assente num 4x4x2, com meio-campo forte, a equipa inglesa mostrava-se perigosa quando ultrapassava a linha média suíça.Num desses lances, Raheem Sterling, desmarcado precisamente por Kane, ficou enquadrado com a baliza e rematou cruzado para defesa do guardião contrário, ao minuto 14.
A segunda parte prosseguiu numa toada lenta até aos 70 minutos, à excepção de duas ocasiões, uma para cada lado: aos 55 minutos, o guardião suíço desviou para o poste um corte de Fabian Schar na direção da própria baliza, enquanto Granit Xhaka obrigou Jordan Pickford a defesa difícil, aos 56.
Os britânicos arriscaram um pouco mais na ponta final e introduziram mesmo a bola na baliza, aos 84 minutos, pelo recém-entrado Callum Wilson, após cabeceamento de Dele Alli à barra. O avançado, no entanto, cometeu falta sobre Manuel Akanji e o golo foi anulado com recurso ao videoárbitro, para desagrado dos adeptos ingleses, em larga maioria nas bancadas.
O domínio inglês estendeu-se ao prolongamento, com cruzamentos para a área saídos da esquerda e da direita, mas sem marcar.
A selecção dos "três leões" ainda teve tempo para 'esbarrar' de novo na trave, num livre batido por Sterling, aos 117 minutos, antes de conseguir o triunfo no desempa.