Jornal dos Desportos

Director: Matias Adriano
Director Adjunto: Policarpo da Rosa
Futebol Internacional

Real desafia Barcelona numa poca escaldante

29 de Agosto, 2009

O Real Madrid gastou imensos milhões em contratações, 94 para arrebatar Cristiano Ronaldo e desafiar o FC Barcelona, que conquistou a época passada um inédito “triplete” e parte como favorito para vencer a Liga espanhola de futebol.
Com o regresso de Florentino Perez à presidência, voltaram as contratações milionárias aos “merengues”, mas, desta vez, todas na mesma altura, de Ronaldo a Xabi Alonso, passando por Kaká, Benzema, Albiol ou Arbeloa.

Desta forma, o Real Madrid, que ainda persegue Ribery, vai surgir completamente revolucionado, com um conjunto repleto de grandes individualidades... nada que meta “medo” a um “Barça” que tudo ganhou em 2008/2009 (Liga dos Campeões, Liga espanhola e Taça do Rei).
Com uma equipa baseada na “cantera”, o “onze comandado por Pep Guardiola, liderado pela “magia” de Messi, surge muito pouco alterado, sendo a troca do camaronês Samuel Eto’o pelo sueco Zlatan Ibrahimovic, numa operação complexa com o Inter de Milão, a única mudança significativa.

Na época passada, o FC Barcelona esteve num plano sensacional, a um nível poucas vezes visto, em termos de qualidade e constância de grandes exibições, pelo que, mantendo o nível, o que não será fácil, continuará imparável.
Os primeiros encontros da época já deram para ver que a equipa catalã continua intratável, mesmo com a lesão de Andrés Iniesta, um dos maestros do meio-campo, juntamente com Xavi Hernandez, um dos mais “geniais” jogadores do Mundo.

Depois, o “Barça” tem um guarda-redes que transmite segurança (Victor Valdez), uma defesa sólida, com Daniel Alves, Puyol, Piqué e Abidal (também chegou Maxwell), um “trinco” precioso (Touré Yaya) e Henry e Ibrahimovic na frente... junto ao melhor do Mundo (Messi).

Assim, e como o colectivo é ainda melhor, muito melhor mesmo, do que a soma das individualidades, o FC Barcelona parte à “frente” do Real Madrid, que vai ter de formar um novo conjunto, pois pouco resta de 2008/2009.
Com tantos jogadores de qualidade, os “merengues” têm, no entanto, a vantagem de poderem ir ganhando à custa da inspiração das “estrelas”, enquanto o chileno Manuel Pellegrini (ex-Villarreal) constrói um “onze”.

Mourinho reparte favoritismo no derby para as duas equipas

O técnico José Mourinho, afirmou ontem, que no jogo de hoje, frente ao AC Milan, não existe favorito à vitória: “É uma equipa com potencial. Nos derbys não há favoritos, embora a equipa que esteja pior costume vencer”.

Sobre a polémica com a comunidade islâmica em que se viu envolvido, após ter abordado a possibilidade de o jogador ghanês Muntari ter uma quebra de rendimento na altura do Ramadão, que levou a várias reacções negativas por parte da comunidade islâmica – houve mesmo um líder desta comunidade em Itália que fez ameaças ao técnico pela Internet – José Mourinho culpou a Comunicação Social: “Se por acaso algo me acontecer, a responsabilidade será vossa”, afirmou.

“A situação criada em torno do Muntari é da vossa responsabilidade. Eu sei o que disse. Eu referi que vocês não podem criticar a decisão do Muntari porque se trata de uma questão de fé e religião”, continuou.

Como forma de encerrar tal polémica, Mourinho declarou “Isto quer dizer que eu aceito a sua atitude. Nunca disse que ele deveria esquecer a sua fé. Se alguém na comunidade islâmica está aborrecido comigo, a culpa é vossa”.

Clássico de Milão domina atenções na 2º ronda do Cálcio

O clássico de hoje entre o AC Milan e o Inter de Milão, no estádio San Siro, é a atracção da segunda jornada do Campeonato Italiano. Será a primeira vez que jogadores como o central brasileiro Lúcio e o atacante camaronês Samuel Eto'o disputarão a importante partida com a camisola do Inter.

Enquanto o tetracampeão italiana estreou com um empate a uma bola com o Bari em San Siro, o AC Milan agora sob o comando do técnico brasileiro Leonardo foi a Siena e venceu os donos da casa por 2-1, com dois de Alexandre Pato e uma grande actuação de Ronaldinho Gaúcho. Outro atleta que pode entrar em campo é o médio holandês Wesley Sneijder.

Ainda para hoje, o Bari recebe o Bolonha no estádio San Nicola em busca dos quatro pontos, depois de empatar com o Inter de Milão na estreia.

Um dia depois, a Juventus vai à capital italiana defrontar o Roma a procura da segunda vitória. O médio brasileiro Diego, que teve um bom desempenho na primeira partida, é a esperança do clube de Turim.
No Roma, o técnico Luciano Spalletti deverá promover o regresso do central brasileiro Juan, que volta após longo tempo lesionado.

Ferdinand enaltece La Liga e considera a melhor do Mundo

Com a Liga espanhola a coleccionar estrelas de primeiro plano, há muito quem defende que os dias de domínio da Premier League no panorama internacional chegaram ao fim. E Rio Ferdinand, um dos símbolos mais marcantes da Liga inglesa, admite que esse cenário está sobre a mesa.

Para o capitão do Manchester United, será a próxima edição da Liga dos Campeões a definir quem está por cima: “Liga espanhola contratou muitos jogadores de renome - Cristiano, obviamente, mas também Kaká e Ibrahimovic.

São três dos melhores jogadores mundiais e qualquer equipa ou campeonato gostaria de contar com eles. Juntam-se a Messi, Iniesta e Xavi e outros do mesmo valor, e por isso Espanha tem o direito de reclamar para si a melhor Liga do mundo” admite o internacional inglês em entrevista à Associated Press.

Ainda assim, Ferdinand acredita que os ingleses terão uma palavra a dizer até Maio: “Nos últimos três ou quatro anos tivemos sempre um mínimo de duas equipas inglesas nas meias-finais da Liga dos Campeões e isso é um indicador do que vale a Premier League. Esta época, temos de esperar para ver se ainda somos os melhores”, admite.

Acerca da concorrência interna, Ferdinand não se mostra chocado com o investimento milionário do Manchester City, que pretende entrar na luta pelo título com os quatro consagrados: “bom que haja mais equipas a lutar pelos primeiros lugares, quem sou eu para dizer que um clube deve ou não investir mais dinheiro nesta altura?” questiona, sublinhando contudo que não está preocupado com a situação: “Teria muito mais inveja se não tivéssemos a equipa que temos”.