Jornal dos Desportos

Director: Matias Adriano
Director Adjunto: Policarpo da Rosa
Futebol Internacional

Seleco com uma palavra a dizer

Matias Adriano - 10 de Junho, 2019

Fotografia: DR

O Mali, para além de ter deixado marcas profundas aos angolanos que andam de mãos dadas com o futebol,  com aquela fantástica recuperação que lhe permitiu, em onze minutos, empatar um jogo que, à partida, parecia já perdido, é  uma selecção com um histórico curioso. Pode não ser taxado como uma selecção de topo, mas também não é nenhum fraco, como alguns podem supor.
Partindo para a sua nona participação na prova, o Mali nunca chegou à conquista do título, mas tem obtido classificações fabulosas.
De resto, já foi finalista em uma ocasião, terceiro em duas e quarto em três, o que diz muito do seu potencial futebolístico.
A primeira vez que o Mali levou o continente rendido à magia do seu futebol aconteceu en 1972, quando o certame se disputou nos Camarões. Nessa ediçao superou tudo e todos, incluindo a selecção anfitriã, até chegar à final que viria a perder para o Congo Brazaville, após derrota por 3-2.
Em 1994, na Tunísia foi quarto, igual clasaificação que obteve em 2002 quando sediou a prova, bem assim como em 2004 na Tunísia.
Apesar de em 2002, em Angola, nao ter passado dos quartos-de-final, fez História em 2012, na Guiné Equatorial, e 2013, na Áfricdo Sul. Numa como noutra edição atingiu as meias-finais, acabando em terceiro lugar. Por tudo isso, não é uma selecção qualquer .