Jornal dos Desportos

Director: Matias Adriano
Director Adjunto: Policarpo da Rosa
Futebol Internacional

Turquia reforça segurança

12 de Agosto, 2017

A violência nos estádios é um dos grandes males que mancha o futebol turco

Fotografia: AFP

No jogo, perdido pela equipa de Pepe e Ricardo Quaresma, as imagens televisivas mostraram que as forças de segurança presentes eram insuficientes para conter uma invasão de campo por parte de milhares de adeptos, assim como de vários confrontos entre apoiantes dos dois emblemas.

O comité disciplinar da Federação Turca de Futebol (TFF) condenou o Konyaspor a cinco jogos à porta fechada, enquanto o Besiktas vai ter de disputar um jogo sem adeptos, e o presidente do clube, Fikret Orman, vai cumprir uma suspensão de 45 dias.

O ministro da justiça turco, Abdülhamit Gül, anunciou hoje que foram emitidos quatro mandados de detenção a pessoas envolvidas nos confrontos, sendo que só bilhetes electrónicos devem ser vendidos para as finais, com medidas adicionais a serem tomadas antes dos jogos da liga e Taça, com especial atenção às provocações através das redes sociais.

“A nossa missão é garantir que o jogo tenha segurança e toda a gente possa divertir-se”, explicou.


SELECÇÃO DO IRÃO
Dois jogadores banidos por
defrontarem israelitas


O Ministério do Desporto iraniano anunciou na quinta-feira a irradiação da selecção nacional de futebol orientada pelo português Carlos Queiroz,  de dois futebolistas que ultrapassaram a ‘linha vermelha’ ao defrontar uma equipa israelita, ao serviço de um clube grego.

“Ehsan Haji Safi e Masoud Shojaei não têm lugar na selecção nacional do Irão, porque eles ultrapassaram a linha vermelha do país\", disse o ministro -adjunto dos Desportos, Mohammad Reza Davarzani, à televisão estatal IRIB.

Os jogadores do Panionios recusaram-se jogar em finais de Julho, a primeira mão da terceira pré-eliminatória da Liga Europa frente ao Maccabi Tel Aviv, com derrota por 1-0 em Israel, mas participaram no encontro da segunda mão, na Grécia, com novo desaire por 1-0.

Na altura, o Ministério do Exterior de Israel teceu rasgados elogios na  conta na rede social Twitter aos futebolistas iraniano Ehsan Haji Safi e Masoud Shojaei, dos gregos do Panionios por terem quebrado um tabu ao defrontarem o Maccabi Tel Aviv.

“Nos últimos 38 anos (desde a criação da República Islâmica]) nenhum dos nossos atletas concordou defrontar representantes de Israel. Até mesmo nos Jogos Olímpicos\", disse o ministro -adjunto dos Desportos, Mohammad Reza Davarzani.

Teerão acredita que participar num encontro desportivo contra atletas israelitas, seja em que situação for, equivale a reconhecer que Israel é um Estado, o que contraria a causa palestiniana.