Jornal dos Desportos

Director: Matias Adriano
Director Adjunto: Policarpo da Rosa
Modalidades

1º de Agosto busca desforra

Silva Cacuti - 18 de Março, 2016

O jogo está marcado para hoje, as 18h00, na quadra do Ex-RI20, casa das militares.

Fotografia: Jornal dos Desportos

Ganas de vencer de forma confortável e esclarecer a condição de dominante no andebol sénior feminino nacional são alguns itens que vão apimentar a postura do 1º de Agosto na recepção ao rival, Petro de Luanda, na partida que marca o início da segunda volta do campeonato provincial de Luanda. O jogo está marcado para hoje, as 18h00, na quadra do Ex-RI20, casa das militares.

A Filipe Cruz e pupilas não se admitem mais desfeitas. Carlos Hendrick, presidente do emblema militar, ficou visivelmente irritado, quando assistiu, no campo do Catetão, à derrota da sua super equipa por 24-26. Na mesma semana, as militares tinham precisado de um prolongamento para vencer o Petro de Luanda, na Supertaça Francisco de Almeida.

O 1º de Agosto faz do campeonato provincial de Luanda uma fase preparatória para a Taça das Taças Africanas. Ainda assim, pelo seu potencial, espera-se que enfrente os jogos com mais tranquilidade, principalmente, com o Petro de Luanda que está num processo de renovação de plantel.

A equipa tem respondido bem aos estímulos causados pelo melhor entrosamento de Luísa Kiala e Albertina Cassoma, cuja produção tende a subir a cada jornada. À entrada da segunda volta do provincial de Luanda, a equipa militar já é a mais concretizadora, com 91 golos apontados. Sofreu 66 golos, depois de quatro partidas disputadas.

A jogar em casa, as militares são favoritas e jogam pressionadas a vencer, factor que pode actuar a seu desfavor, diante de um Petro de Luanda que nada tem a perder.

"Ganhar ou perder, a nossa equipa é muito jovem e está a fazer um bom trabalho", comentou Antunes Gomes, adepto petrolífero para mostrar a ausência de pressão na equipa orientada por Vivaldo Eduardo.

O Petro de Luanda tem a defesa mais consistente do campeonato provincial de Luanda. Em três jogos disputados, as petrolíferas sofreram 51 golos. Em contrapartida, a equipa tricolor ainda não marcou trinta golos numa partida; tem uma média inferior a 24 golos.

A Marinha de Guerra e o ASA abrem a primeira jornada da segunda volta no mesmo recinto. Marinheiras e aviadoras podem proporcionar um jogo renhido a julgar pelo resultado tangencial (23-22) para as aviadoras na primeira volta.

Em masculinos, joga-se para acerto à primeira jornada da competição de Luanda com o 1º de Agosto receber o Petro de Luanda, às 18h00, no campo do Gama ao bairro Miramar. Na mesma quadra, a Marinha de Guerra defronta o Interclube para fechar a jornada.