Jornal dos Desportos

Director: Matias Adriano
Director Adjunto: Policarpo da Rosa
Modalidades

1º de Agosto e Petro jogam a final

Francisco Carvalho - 30 de Outubro, 2015

As militares do Rio Seco vão em busca do segundo título consecutivo

Fotografia: José Soares

Com olhos no maior troféu continental de clubes, as equipas seniores femininas de andebol do Petro de Luanda e do 1º de Agosto defrontam-se hoje na final da Taça de Clubes Campeões Africanos, que decorre na cidade de Nador, em Marrocos. As militares do Rio Seco entram na quadra com rótulo de campeãs africanas, depois de conquistar o troféu na edição anterior, e as petrolíferas aspiram voltar a manter a chama de Catetão.

Após a derrota no jogo da final na edição passada, as meninas do Petro de Luanda sentem a necessidade de devolver o orgulho aos adeptos e sócios da equipa tricolor. Comandadas pelo experiente técnico Vivaldo Eduardo e coadjuvado por Edgar Neto, as petrolíferas reforçaram-se com duas estrelas de selecções campeãs mundiais (Brasil e Sérvia) para resgatar o troféu perdido. Donas de um currículo invejável, as super-campeãs continentais vão precisar de energia suplementar para expelir o petróleo diante das militares.

Ciente das responsabilidades, Vivaldo Eduardo e companhias prometem manter ou elevar os níveis competitivos até aqui exibidos. Qualquer deslize ou fragilidade em diferentes sectores, em qualquer momento do jogo, constitui mais uma sentença de eliminação do maior lugar do pódio da Taça de Clubes Campeões Africanos.

Do outro lado da quadra estão as campeãs continentais. Liderados tecnicamente pelo português João Florêncio, o 1º de Agosto entra no pavilhão para manter o troféu conquistado pela primeira vez na história do clube. É slogan e decisão da equipa do Rio Seco conquistar todas as competições. Para a final de hoje, as militares estão preparadas para ultrapassar qualquer tentativa de ofuscação do objectivo. Os resultados ao longo da competição continental provam os altos níveis competitivos.

Para chegar a final, na quarta-feira, o 1º de Agosto derrotou nas meias-finais o África Sport de Abidjan, da Costa de Marfim, por dez golos de diferença: 31-21, com os favoráveis 14-7 ao intervalo. A diferença espelha a "fúria" exibida na partida.

Antes, a equipa do Rio Seco "amarrotou" o HC Heritage do Congo por 50-21, em partida da terceira jornada do grupo B, quando ao intervalo já vencia por 25-10. As campeãs africanas venceram o TKC dos Camarões por 26-16, num jogo controlado e cilindraram o Al Ahly do Egipto por 42-16.  As diferenças nos resultados espelham a ganância pelo título.

O Petro de Luanda manteve uma caminhada até à final sem grandes esforços. Com os pés no chão, sempre procurou controlar os resultados com objectivo de vencer. Nas meias finais, a equipa de Vivaldo Eduardo venceu o FAP dos Camarões por 28-20, quando ao intervalo já ganhava por 12-9.

A cidade marroquina de Nador é testemunha fiel da final da 37ª edição da Taça de Clubes Campeões Africanos. O 1º de Agosto leva o segundo troféu ou o Petro de Luanda aumenta o pecúlio?