Jornal dos Desportos

Director: Matias Adriano
Director Adjunto: Policarpo da Rosa
Modalidades

1º de Agosto sonha com Super Globe

Silva Cacuti - 16 de Abril, 2017

O 1º de Agosto está expectante em relação a uma decisão da Federação Internacional de Andebol (IHF) relativamente à realização do Super Globe

Fotografia: Jornal dos Desportos

A expectativa foi anunciada por Amilcar Aguiar \"Micá\", vice-presidente para a modalidade no clube afecto às Forças Armadas Angolanas.

A versão masculina da prova, 10 edição, está marcada para Setembro, novamente no Qatar.

\"Estamos expectantes, aguardando que a federação internacional finalmente agende e materialize esta competição\", disse o responsável pelo andebol militar.

Quando a competição esteve agendada para o Brasil, em 2016, Mica referiu, na altura, que a  equipa militar tinha sido notificada pela federação.

Congratulou-se coma ideia de participar na prova e defendeu que \"seria uma forma de internacionalizar a marca \"D`agosto\".

Sobre o assunto a IHF ainda não se pronunciou. O Super Globe é uma competição da IHF que congrega os vencedores das provas continentais. A sua versão masculina começou a ser disputada em 1997. Disputou-se em 2002 e 2007. A partir de 2010 a prova ganhou regularidade anual.

A equipa sénior feminina do 1º de Agosto está, actualmente, envolvida na disputa da taça das taças africanas, depois de ter garantido a revalidação da supertaça Babacar Fall, após vitória sobre o CARA da República do Congo por 26-17.

Hoje, para a terceira jornada da taça das Taças as militares, orientadas por Morten Souback defrontam o THBC do Madagascar e amanhã na sequência, jogam diante do KADA do Quénia.

As angolanas começaram a prova com folgada vitória, de 32-10, sobre o HC vainqueur da RDC. Ontem defrontou a equipa marroquina do Nouasser.
                               

TENIS AFRICANO
Aléssio Peter regressa cedo


O atleta Aléssio Peter da Selecção Nacional de juniores e sub-21 foi afastado permaturamente no Campeonato Africano de Ténis de Mesa, que encerra hoje, às 20h00, na República da Tunísia.

A única esperança angolana na grande cimeira da modalidade do continente africano regresou cedo para casa. O mesa tenista do Clube da Colheita do Ponta do Pargo de Portugal falhou os objectivos pré-definidos pela direcção da Federação Angolana de Ténis de Mesa presidida por Antónia Ribeiro.

O fracasso ganhou também outro contorno. Esta foi a última oportunidade desperdiçada para sagra-se campeão de juniores, visto que despediu-se desta categoria. Os próximos compromissos africanos serão nas de sub-21 e seniores, onde as hipoteses são escasssas.

A aposta da presidente Antónia Ribeiro realizou três partidas, obtendo um saldo de duas derrotas e uma vitória. Em sub-21, venceu o seu primeiro confronto, derrotando o Emmanuel Koroma, das Ilhas Seychelles, por 4-0. Os parciais foram os seguintes: 11-0, 11-6, 11-1 e 11-4.

Na segunda oportunidade a pujança já não foi a mesma. Permitiu que que fosse surprendido nos 16 avos. O acto macabro foi protagonizado pelo tunisino Chouayb Lagha. Derrubou o único representante de Angola, por um score de 4-1 e os parciais foram os seguintes: 6-11, 9-11, 5-11, 9-11 e 8-11.
                                               Álvaro Alexandre