Jornal dos Desportos

Director: Matias Adriano
Director Adjunto: Policarpo da Rosa
Modalidades

Abertura do Nacional tem lugar hoje

Sérgio V.Dias, No Cuito - 17 de Julho, 2015

Festa nacional da ginástica em juvenis e iniciados arranca hoje no Cuito

Fotografia: Nuno Flash

Tudo a postos para a abertura oficial e início hoje, no Cuito, da VII edição do Campeonato Nacional de Ginástica de Iniciados e Juvenis, competição em que se fazem presentes as províncias de Luanda, Huambo, Benguela, Malanje, Lunda Sul, Cuando Cubango, além da anfitriã. Ao governador provincial do Bié, Álvaro Manuel de Boavida Neto, cabe as honras do discurso de abertura da actividade.

A prova, com início hoje dia 17 de Julho e que se estende até 19 deste mês, junta a nata do país em termos de ginástica rítmica e acrobática em iniciados e juvenis. O Pavilhão do Sporting do Bié, no Cuito, com as condições técnicas devidamente preparadas, vai acolher toda a gama da festa da ginástica no país.

Para essa VII edição do Campeonato Nacional de Ginástica de Iniciados e Juvenis, a comitiva da federação angolana da modalidade, que já se encontra na capital biena, é encabeçada pela sua vice-presidente Elsa Marina Holária Francisco Pitra.

A responsável da Federação Angolana de Ginástica vai tecer, igualmente, na cerimónia de abertura, algumas considerações em torno da prova, de que é coordenadora e que este ano tem como palco a capital da martirizada província do Bié.

O presidente da Federação angolana da modalidade, Auxílio Jacob, por seu turno, apenas hoje chega ao palco da competição.

Na antevisão da realização deste campeonato de ginástica, o responsável máximo da federação da modalidade referiu que esta VII edição pode vir a superar as anteriores, já que vários atletas participantes podem ser convocados para a Selecção Nacional.

O combinado nacional de ginástica, lembre-se, vai competir no próximo Campeonato do Mundo da categoria e por arrasto disso, pode carimbar os passaporte para os Jogos Olímpicos do Rio de Janeiro, Brasil, em 2016. Para as primeiras horas de hoje, os vários atletas que participam na prova têm agendados treinos de adaptação para mais tarde darem, então, o pontapé de saída para esta VII edição do Campeonato Nacional de Ginástica de Iniciados e Juvenis. 


Ausência 
Huíla falha prova


Os ginastas da província da Huíla podem falhar a sua participação na VII edição do Campeonato Nacional de Ginástica nos escalões de iniciados e juvenis, em ambos os sexos, a decorrer este fim-de-semana na cidade do Cuito, província do Bié.

A confirmação é do presidente de direcção da Associação Provincial dos Desportos Individuais da Huíla (APDIH), Juka Fernandes, que justificou a falta de recursos financeiros para custear a passagem de deslocação dos atletas como sendo um dos principais motivos na origem do entrave. Em entrevista ontem ao Jornal dos Desportos no Lubango, afirmou que foram feitas solicitações de patrocínios junto dos parceiros que sempre mostraram interesse em apoiar a modalidade na província, porém, tiveram respostas negativas.Juka Fernandes, agastado com a situação, considerou lamentável, pois a Federação Angolana de Ginástica (FAG) tem feito já o possível em custear o alojamento e alimentação das caravanas desportivas participantes nas provas nacionais e acrescentou que existem províncias que só têm a responsabilidade de subvencionar apenas a transportação e não o fazem.
Gaudêncio Hamelay, no Lubango


GINÁSTICA
Brasil com mau
desempenho


A expectativa da ginástica artística do Brasil para os Jogos Pan-Americanos de Toronto era mostrar ao Mundo, pela primeira vez, a geração feminina mais talentosa desde o surgimento de Daiane dos Santos e Daniele Hypolito e o novo momento da selecção masculina, mais forte do que nunca na história. Mas a delegação brasileira despede-se de Toronto com o seu pior desempenho desde os Jogos Pan-Americanos de Winnipeg, também no Canadá, há 16 anos.

O Brasil ganhou apenas cinco medalhas (uma de ouro, uma de prata e três de bronze), terminando os Jogos apenas no quinto lugar do quadro geral da modalidade tanto em número total de medalhas (empatou com a Colômbia e Cuba) quanto pela quantidade de ouro.

Em 2011, quando a ginástica masculina ainda contava com um único atleta de sucesso (Diego Hypolito) e promessas como Sergio Sasaki e Arthur Zanetti, o Brasil ganhou seis medalhas, sendo quatro no sector masculino. A equipa feminina, que ainda tinha Daiane dos Santos, obteve duas de bronze, com Daniele Hypolito. Agora, com atletas melhores, foi pior.

O fraco desempenho em Toronto tem alguns atenuantes. O primeiro deles, técnico. Os Estados Unidos enviaram uma equipa praticamente completa no masculino e, como sempre, uma muito forte (ainda que reserva) no feminino. O Canadá evoluiu e, competindo em "casa", teve a melhor ginasta da competição.